O Brasil merc das intempries: s ter energia se chover


Profa. Guilhermina Coimbra

Declaraes de autoridades sobre o fornecimento de energia so demonstraes expressas e explcitas da ausncia de previso e planejamentodo setor. Entre as manchetes recentes (13.2.2014) que tratam de energia e “apages”, no encontramos nenhuma informao, comentrio,sobre a necessria e urgente agilizao da utilizao da energia nuclear em larga escala no Brasil (Governo deixa pelo menos 17 hidreltricas do PAC de fora de plano de energia, Consumidor poder arcar com alta no custo de energia, Esprito Santo tem segundo apago em uma semana, Bolvia aumenta fornecimento de gs para Petrobras usar em trmicas, em O Globo; Petrobras compra mais gs da Bolvia, na Folha de So Paulo; Petrobras compra mais gs da Bolvia, Estado de So Paulo; Com a seca, empresas j pagam mais at por energia negociada para 2015, no Correio Braziliense; Energia sem segurana, Falta de gs preocupa, Brasiliense sofre com apages, no Valor Econmico; Queda na conta de luz no aumentou consumo de energia, Ministrio descarta novas medidas para conter demanda; Carvo “suja” matriz energtica do pas; Preo do WTI sobe 9% no ano e fica perto dos US$ 100; Prvias indicam resultados melhores no 4 tri mestre ; Mercado fica mais pessimista com risco de racionamento, em Brasil Econmico; Recursos naturais: combater o desperdcio, Especulao com chuva ainda por vir, Brasil acerta a compra de mais gs boliviano; Investimentos das estatais cresceram 15,9% em 2013).

As informaes omitem que a energia nucleartem, com sucesso, fornecido 77% de toda a energia eltrica, econmica e segura da Regio Sudeste do Brasil.

Constata-se que continua o conluio do silncio sobre a utilizao da energia nuclear como soluo eficaz, econmica e segura,para os “apages” etc. O silncio d a impresso de que se trata de uma estratgia, uma espcie de reserva de mercado para clientes de lobistas (aqueles que trabalham contra os interesses do Brasil).

Entretanto, como matria paga muito bem paga em pgina inteira de jornal de grande circulao-, segue a forte campanha de propaganda terrorista enganosa com o objetivo de paralisar o funcionamento das usinas nucleares brasileiras (O Globo, 9.2.2014, domingo, Economia).

A insidiosa propaganda terrorista enganosa, porm, esbarra na inteligncia da populao brasileira, e quanto mais enganosa a propaganda mais conscientizados se tornam os consumidores brasileiros sobre a indispensabilidade da energia eltrica originada das usinas nucleares brasileiras. Em termos de energia nuclearno Brasil – toda a ateno preciso, mas, para abortar a sabotagem nuclear, assim como a sabotagem contra o Programa Aeroespacial Brasileiro em Alcntara, no Maranho.

7 thoughts on “O Brasil merc das intempries: s ter energia se chover

  1. Se depender de chuvas, no se incomodem. O aguaceiro de maro se aproxima para boiar carres pelas ruas do Rio, Sampa e certamente garagens. A ento veremos de novo prefeitos, governadores e a presidenta a sarem com capacetes, helicpteros e promessas de reparao que nunca alcanam as pessoas afetadas. Filme to manjado, como aquele VIda de Cristo que passava anualmente no Politheama do Largo Machado quando o Carlos Newton era adolescente.

  2. A ilustre Prof GUILHERMINA COIMBRA, chama ateno para algo que no LEMBRADO no equilbrio de nossa Matriz Energtica, a saber: a expanso de nossa rede de Usinas Nucleares, atualmente em nmero de 3. Sendo o Brasil, grande produtor de Urnio (Yellow Cake), e sendo estratgico desenvolver todo o ciclo desse Combustvel Nuclear (Urnio 235), inclusive o reprocessamento das varas queimadas, etc. devemos construir mais Usinas Nucleares.Tambm devemos voltar a continuar as pesquisas no Programa Aeroespacial Brasileiro em Alcntara-MA, uma das melhores Latitudes para esse tipo de atividades. Claro que as Foras que querem nos manter atrasados e dependentes, berraro contra, com todos os pulmes, mas como diz a Prof Guilhermina, cada vez mais a inteligncia da Populao Brasileira vai se desenvolvendo e entendendo a importncia dessas coisas.

  3. Seguro at quando no tiver uma falha tcnica grave (Chernobyl) e ser devastada por um Tsunami (Japo). Acresce-se a isso a vulnerabilidade de nossa Defesa para proteger as instalaes de uma usina nuclear. Agora se se acreditar que Deus mesmo brasileiro…!

    • Prezado Sr. RODRIGUES, Saudaes.
      Toda produo e manipulao de Energia, seja ela qual for, desde o Vapor, perigosa e requer CUIDADOS. A Frana tem mais de 80 Usinas Nucleares, sendo o Pas que proporcionalmente mais usa essa Energia na sua Matriz Energtica, exporta muito, e nunca teve um problema de Segurana. H que ter um grande CUIDADO, s isso.

  4. Senhores,

    Me permitam repetir o que disse l atrs:

    A maior estupidez que um pas pode fazer basear a sua matriz energtica no gasto do bem mais precioso da terra: A gua! Imagine s quantos metros cbicos de gua so necessrios para fazer funcionar uma simples geladeira!

    O mais sensato seria reservar esse precioso lquido para ser gasto com a sobrevivncia humana, como a alimentao e a agricultura! O Brasil, andando como caranguejo, est colocando todo o seu futuro nas mos da natureza, assim como fazia as comunidades pr-histricas e assim como faz ainda hoje a agricultor nordestino. preciso se libertar da dependncia da boa vontade da So Pedro.

    preciso saber que o clima do planeta no estvel e que ele no existe para satisfazer a vontade humana. Embora improvvel, SE APARECER UMA DCADA DE ESTIAGEM, ESTE PAS SER TRANSFORMADO EM UM NADA! E isso sem considerarmos que o mundo se tornar mais seco, conforme apregoa alguns catastrofistas.
    Mas aqui, no! Aqui tudo foi feito para dar errado e a misria favorecer a riqueza de algum.

    Os pases srios j adotaram a energia nuclear faz tempo. Quer chova, quer faa sol, a energia que faz funcionar os metr, a geladeira, os hospitais e o conforto diria estar garantida!
    A gua, l, eles reservam para beber

    Abraos.

    ET: Ns, neste fim de mundo, em um pas governado por bandidos, em quarenta anos no conseguimos nos desenvolver na rea da energia nuclear. No final, no construmos reatores e, muito menos, hidreltricas…

  5. A construo de uma usina nuclear muito cara devido aos cuidados inerentes aos perigos de vazamentos nucleares. A radio produzida pelos rejeitos de uma usina nuclear dura milhes de anos para ser dissipada. Os rejeitos ser um problema para as futuras geraes. Energia nuclear no segura nem no Japo que pas de engenharia de qualidade, direcionada para diminuir os riscos devido as possibilidades de terremotos,tsunamis, ventos de alta velocidade.O Japo est investindo em usinas elicas, instaladas em alto mar , para melhor aproveitar os ventos. A Alemanha est desativando suas usinas nucleraes. Em Angra nunca aconteceu acidente, mas se acontecer, estamos fritos, porque no tem estrada segura ,com largura suficiente para escoar a populao que vive nas imediaes de Angra. Temos urnio , mas no Brasil tambm tem abundncia de energia limpa, podemos investir em pequenas centrais hidroelticas prximas aos centros de carga; elicas, estas ento so ideais, porque os regimes dos ventos completamentam o regime hidrolgico; bio massa , gerao prxima da carga , o excedente pode ser vendido para a concessionria local. Investimento no reforo das linhas de transmisso tambm seria muito bom. As linhas de transmisso que interligam o sul com o sudeste so limitadas na sua capacidade de fluir energia , acontece caso das usinas hidroeltricas do sul abrirem as comportas , ao mesmo tempo que falta gua no sudeste, porque a linha no tem capacidade para escoar toda a energia hidrulica armazenada no sul. O mesmo acontece com a interligao norte sul, cuja linha tambm limitada. Temos tambm o carvo, cujas emisses podem tranquilamente serem mitigadas atravs dos recursos tecnologicos existentes. Gs natural, temos em abunbdncia , turbinas a gs, utilizando o gs natural como combustvel, operando em ciclo combinado uma soluo que aumenta a eficincia , pode operar prxima ao centro de carga, e a poluio gerada facilmente mitigada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.