O Brasil ainda é o Brasil?

Percival Puggina

Por que as instituições nada fazem contra a matriz de corrupção instalada no coração do poder? Mistério. Por que Bolsonaro suscita maior comoção e interesse entre os formadores de opinião do que as denúncias da geóloga Venina Velosa da Fonseca? Mistério. Por que o relatório de uma Comissão Nacional da Verdade que sepulta verdades e ressuscita mentiras ganha espaço como se credibilidade tivesse, malgrado afronte a própria lei que a criou? Mistério. Por que, para tantas pessoas, o mal está na mera existência da revista Veja e não nos crimes que ela denuncia? Mistério. Por que é tão solenemente ignorada a existência do Foro de São Paulo, como bem sinaliza Olavo de Carvalho? Mistério.

Por que não causou estranheza em parte alguma que a pessoa escolhida para ocupar a função de tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, seja, justamente, o ex-presidente de uma cooperativa habitacional que lesou centenas de associados? Não está ele sendo processado por estelionato, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica? Comanda as finanças do PT e só a Veja acha estranho? Mistério. Por que o partido que governa a República perdeu todo interesse em desvendar os enigmas em torno da morte de Celso Daniel? Mistério, mistério, mistério. Para onde quer que se olhe, lá está a densa bruma de onde quase se espera o surgimento de dragões, unicórnios e manticoras.

INTERESSES COMUNS?

Pois eis que, de repente, fica-se sabendo que a presidente da República foi a Quito participar de uma reunião da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) e que nessa reunião foram tomadas diversas decisões envolvendo supostos interesses comuns aos países do bloco. E com que parcerias!

Pois bem, as relações internacionais do Brasil, de uns tempos para cá, seguem estratégias incomuns e nos têm custado muito caro. Não seria preciso mais do que isso para despertar o interesse da mídia nacional. Mas não despertou. Por quê? Mistério. E não me consta que alguém tenha gasto meia hora, seja na mídia, seja no Congresso Nacional, para investigar o que significará, na vida prática, algo tão enigmático (mormente entre nações sob tais governos) quanto a Unidade Técnica de Coordenação Eleitoral que passará a funcionar na Unasul. Por quê? Mistério.

ESCOLA DE DEFESA

Tampouco suscitou interesse a decisão de criar uma Escola Sul-Americana de Defesa, que até sigla já tem: Esude. E para que servirá a Esude? Para constituir “un centro de altos estudios del Consejo de Defensa Suramericano de articulación de las iniciativas nacionales de los Estados Miembros, formación y capacitación de civiles y militares en materia de defensa y seguridad regional del nivel político-estratégico”. Será que só eu fiquei preocupado com isso? Será que só eu fui buscar informações e me deparei com este vídeo? Terei sido o único a descobrir que, conforme ali se explica, a tal Esude tem por objetivo formar civis e militares afastados das “lições caducas com que se formavam nossos militares”, as quais seriam “quase cópias dos manuais gringos, norte-americanos”? O que dizem sobre tudo isso nossos comandantes militares? Mistério.

Definitivamente, de duas uma: ou estou ficando incapaz de compreender o Brasil, suas instituições e seu povo, ou o Brasil está se tornando outra coisa qualquer.

12 thoughts on “O Brasil ainda é o Brasil?

  1. União das nações sul americanas,legal. O Brasil é um país sul americano tem que fazer alianças com seus vizinhos. Parece óbvio. Para a oposição, macaquita e obtusa, só existe EUA e Europa. Vive la France ! Bradou o boca de sovaco. Pensou que o Aécio fosse eleito ele fosse virar embaixador na França. Agora estão espalhando que o comunismo é a meta do PT. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Chega a ser ridículo tamanho o anacronismo.

    • O óbvio Renato Lima, o óbvio. Acordo econômico tem que ser feito com quem tem dinheiro para comprar os nossos produtos. Na Unasul, não tem mais do que dois pois o terceiro já quebrou há muito tempo. E, se pender muito para a esquerda os dois vão embora porque de burros eles não têm nada.
      “Apesar da grande importância que os países da América do Sul deram aos processos de integração, os principais destinos de suas exportações continuam a ser países de fora da região. As balanças comerciais de quase todos os países sul americanos registram Europa, Estados Unidos da América (EUA), Japão e Coréia do Sul, dentre outros, como principais parceiros comerciais.”
      Então, como o fim dos MAV’s está próximo e o porrete vai pegar talvez seja bom conseguires um visto para a Coréia do Norte.

  2. Olha, Renato,
    Em passado recente foi criado o Mercosul, lembra?
    Que fim levou?
    Acabou, simplesmente.
    Se não é para que os países sul-americanos se unirem comercialmente, em termos políticos muito menos, a começar que neste aspecto ideológico, uma espécie de esquerda/socialista, a intenção não é para melhorar as condições do povo, mas possibilitar a permanência dos mesmos no poder indefinidamente!
    O povo é coadjuvante, põe isto na tua cabeça de uma vez por todas.
    Mais a mais, unirmo-nos com Argentina, Bolívia, Uruguai, Equador e Venezuela, para quê?!
    Ajudar a Cristina, Morales, Maduro?!
    Quantas vezes “los hermanos” argentinos nos prejudicaram no Mercosul?
    A Bolívia, quando encampou as usinas da Petrobrás?
    Venezuela, que sequer tem papel higiênico para sua população?
    E, nós, sem crescimento algum?
    Seria a fome com a vontade de comer, esta união ridícula e sem sentido!
    O Brasil devia se aproximar com quem possa nos dar algo em troca, sejam reservas em dólares pelas vendas de nossos produtos, seja em tecnologia, agora querer aproximação com intuitos políticos, por favor, cheira muito mal este objetivo que não tem nada de positivo, ao contrário, transparece golpe de presidentes incompetentesm incapazes, desonestos e corruptos!

  3. Essa gente da esquerda vive de discurso. Trabalho que é bom, nada. Por isso e mais algumas pensam que sabem mais do que os outros. Se acham os melhores.
    No século passado enterraram o povo, parte dele literalmente, nessa aventura aonde tomaram o poder.
    Uma desgraça para a humanidade.
    O mercosul e unasul não passam de mais um delírio ou aquilo que conhecemos “me engana que eu gosto”, para manter esses vagabundos a refestelar com o dinheiro de quem trabalha.

  4. Sou a favor do Mercosul, desde que haja equidade. O problema do Mercosul
    é o PT (Lula) que “comanda” tudo a 12 anos no poder.
    A princípio sou a favor da união dos fracos para terem condições de se defenderem dos fortes, mas sem cunho político. A união dos países sul americanos deve ser apenas para defesa de seus territórios e sua alto determinação em todos os sentidos.
    O problema é a política do PT (Lula), que “comanda” tudo a 12 anos.

  5. Sr. Percival:
    Obrigado pelo texto.
    O Sr. vem ultimamente se superando em cada artigo que escreve.
    O Sr. é realmente um patriota.
    O Sr. é um jornalista decente.
    O Sr. como o Carlos Newton, como o Reinaldo Azevedo, como o Augusto Nunes,como o nosso Francisco Bendls, e , tantos outros(seria enfadonho citar todos), são as células sadias do pensamento patriótico.
    Grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *