O Brasil, o “Petrolão” e o Triângulo das Bermudas

Mauro Santayana
Revista do Brasil

Nas ultimas semanas, o Brasil tem vivido sob o impacto das notícias da “Operação lava-Jato”, que, em busca de associar ao Mensalão, muitos chamam de Petrolão, esquecendo-se de que, enquanto se eleva esse novo escândalo ao posto de “o maior da história”, outros parecem ter se escafedido em um imenso Triângulo das Bermudas, como se tivessem sido reduzidos a pedacinhos pelas lâminas de Freddy Krueger, ou abduzidos por alienígenas.

Esse é o caso, por exemplo, do “Mensalão do PSDB” – perpetrado, de forma pioneira, com a ajuda do mesmo Marcos Valério, durante o governo do Sr. Eduardo Azeredo, em Minas Gerais.

Esse é o caso do “Escândalo do Banestado”, de desvio de mais de 100 bilhões de reais para o exterior, no qual foram indiciados vários personagens ligados ao governo FHC, incluído o Sr. Ricardo Sérgio de Oliveira, “arrecadador” de recursos de campanhas do PSDB, perpetrado, entre 1996 e 2002, também no Paraná, com a ajuda do mesmíssimo “doleiro” Alberto Youssef, do atual escândalo da Petrobras.

Esse parece ser também o caso, do Trensalão do PSDB de São Paulo, que, apesar de ter tido mais de 600 milhões de reais das empresas envolvidas bloqueados pela justiça no dia 13 de dezembro, parece ter sido coberto por um Manto da Invisibilidade digno de Harry Potter, do ponto de vista de sua repercussão.

BONZINHOS E MALVADOS

Seria ótimo se – hipocrisias à parte – o problema do Brasil se resumisse apenas a uma briga entre “bonzinhos” e “malvados”.

Está claro que temos aqui, como ocorre em muitíssimos países, bandidos recebendo propinas no desvio de verbas públicas, atuando como “operadores” e facilitadores no trabalho de tráfico de influência, no superfaturamento e na “lavagem” de dinheiro e no envio de recursos para o exterior.

E também empresários que se acostumaram, com o tempo, a pagar ou a ser extorquidos, a cada obra, a cada licitação, a cada aditivo de contrato, pelos “intermediários” e oportunistas de sempre, e que já sofrem sucessivas paralisações, atrasos e adiamentos nas grandes obras que executam, que ocorrem devido a razões que muitas vezes escondem interesses políticos que nem sempre correspondem aos do próprio país e da população.

E padecemos, finalmente, ainda, da falta de coordenação e entendimento, entre os Três Poderes da República, em torno dos grandes problemas nacionais.

SEM PLANEJAMENTO

Leis, projetos e obras que são essenciais para o futuro do País, não são discutidas previamente entre Executivo, Legislativo e Judiciário, antes de serem encaminhadas para aprovação e execução, o que acaba levando, nos dois primeiros casos, a relações de pressão e contrapressão que acabam descambando no fisiologismo e na chantagem e que afetam, historicamente, a própria governabilidade.

Na contramão do que imagina a maioria das pessoas, com algumas exceções, ao contrário dos corruptos e dos “atravessadores”, os homens públicos – incluindo aqueles que trabalham abnegadamente pelo bem comum – estão muito mais preocupados com o poder, para executar suas teses, ideias e projetos, ou apenas exercê-lo, simplesmente , do que com o dinheiro.

No embate político, ter recursos – que às vezes chegam de origem nem sempre claramente identificada, pelas mãos de “atravessadores” que se oferecem para “ajudar” – é essencial, para conquistar o poder, na disputa eleitoral, e nele manter-se, depois, ao longo do tempo.

REFORMA POLÍTICA

Esse é o elemento mais importante da equação. Mas ele só começará a ser resolvido se houver uma reforma política que proíba, definitivamente, a doação de dinheiro privado a agremiações políticas e candidatos a cargos eletivos, promova a cassação automática de quem usar Caixa 2 e aumente a fiscalização do uso dos recursos partidários ainda durante o período de campanha.

Por mais que sejam importantes, e impactantes, as prisões dos corruptos envolvidos no escândalo da Petrobras e a recuperação dos recursos desviados, se não for feita uma reforma política, de fato, elas não impedirão que mais escândalos ocorram, no financiamento de novas campanhas, já nas próximas eleições.

18 thoughts on “O Brasil, o “Petrolão” e o Triângulo das Bermudas

  1. Temos de estar atentos a um trecho do discurso de ontem da czarina, pois nele está embutido o sonho stalifascista do PT. Ela afirmou que : ” Vamos mudar a Constituição para que o Governo Federal possa atuar na área de segurança ” ? Mais uma vez o fascimo do popululismo vai quere implantar as ‘diretrizes’ da 3.ª Conferência de 2007. Estão qurerendo aproveitar esse assunto de grande apelo popular para enfiar goela abaixo da população uma ” Constituição” que é o sonho de qualquer ditadorzinho de fundo de quintal. As resoluções da 3.ª Conferência de 2007, permite não somente o ‘perdão’ aos mensaleiros, mas perpetuá-los no poder através do voto em lista partidária. Fora isso diminui ainda mais o pode dos Tribunais de Contas, MPs, Justiça e do próprio Congresso. Eles estão querendo essa reforma de qualquer maneira, tanto que estão recolhendo assinaturas junto aos ” movimentos sociais’ dos deserdados. 99 % das pessoas que assinaram esse ‘requerimento’ não tem a mínima noção do que seja voto em lista e/ou distrital. Um golpe desses fascistas travestidos de esquerda!

  2. QUE ESTORINHA É ESSA DE TERGIVERSAR E TIRAR A RESPONSABILIDADE DOS PETRALHAS? A JUSTIFICATIVA É TOSCA:
    -NÓS ROUBAMOS PORQUE OS TUCANOS TAMBÉM ROUBARAM NÓS TEMOS DIREITO DE ROUBAR TAMBÉM PARA MANTER O PODER. ATÉ QUANDO CORJA DE PETRALHAS IRÃO ABUSAR DE NOSSA PACIENCIA? A JUSTIÇA HAVERÁ DE SER FEITA, NÃO SEI DE QUE FORMA, MAS SERÁ FEITA! FORA DILMA E CORJA DE MARGINAIS PETRALHAS, VOCES NÃO TEM A MINIMA CONDIÇÃO MORAL DE CONTINUAR GOVERNANDO NOSSOS DESTINOS! BANDO DE VAGABUNDOS E MALFEITORES!

    • É que petista acha que roubar é direito adquirido. Se assim fosse, como Caim matou Abel e não foi para a Papuda, os homicídio estaria liberado desde os tempos bíblicos. O autor deve achar que no Brasil vivemos sob o direito consuetudinário, onde os costumes fazem as leis.

  3. Mais um pouco de “é tudo culpa do FHC”, “se os outros roubam, nós também podemos” e “eles roubaram mais”, só para ficar mais próximo do que foi roubado no Petrolão, para encerrar com a “reforma” política que só favorece ao corruPTo.

  4. UM MARAVILHOSO 2015 PARA TODOS, INDISTINTAMENTE!
    Saúde, paz e realizações.
    Pois me deparo com este artigo de Santayana e vejo, triste, que a ladainha petista não muda, isto é, compensar seus gravíssimos erros de desonestidade e corrupção com base em crimes praticados no passado.
    A questão não é governar de forma séria e responsável, mas da mesma forma que as administrações anteriores, roubando em valores muito maiores e métodos bem elaborados com sofisticação e cuidados para esconderem a rapinagem contra o povo e Brasil.
    Percebo que para os simpatizantes e sectários petistas nada muda.
    O discurso será sempre o mesmo, e aceite quem quiser as explicações para tanta desfaçatez e descalabro por um governo sem autoridade moral, que se reelegeu às custas de cooptação de votos fraudelenta e que tomou posse ontem para dirigir mais uma vez esta Nação, exaurida de tantos escândalos e que terá mais quatro anos de sacrifícios e explorações de seu povo pela frente.

    • Parece matéria encomendada, pois a Venina entregou o elo de ligação do Gabrielli, Rosemberg Pinto… E em fevereiro vem o Eletrolão, começando por Belo Monte e o consórcio Siemens / Alstom / José Carlos Bumlai. Vão ter de explicar porque a empresa Dangfang foi preterida, através de um decreto do Lulla. Ela apresento uma proposta 40% menor e não precisava de grana do BNDEs. O Bumlai é um pecuarista que tinha entrada livre a qualquer hora e por qualquer motivo no Palácio do Planalto, conforme um cartaz que ficava afixado na portaria principal, coisa que nem ministro tinha.

    • Feliz Ano Novo, Bendl, se for possível, já que, além da nossa faina diária que independe de qualquer governo, temos que remar contra quem quer a nossa derrota e tem o poder nas mãos.

      Mas vamos conseguir. Tudo de bom.

  5. A questão da Petrobrás, é apenas a ponta do iceberg .Segundo um procurador
    de Goias, o BNDES será um foco de rombo ainda maior do que o da Petrobrás.
    Se fizer uma investigação séria em todas a estatais e órgãos público, será estarrecedor ( como costuma dizer Presidente Dilma).
    Mais uma vez, desejo a todos um feliz 2015 e aos mais novos principalmente, não
    pecam as esperanças, não há mal que perdure.

  6. Engraçado isso. As pessoas são contrários ao roubo, desde q seja de tal partido. Ou outro, roubou descaradamente tb, mas não conseguem ver.
    Petralhas e tucanalhas fora, cadeia pra todos.
    SEM DISTINÇÃO PARTIDÁRIA, HIPÓCRITAS!!!!!

  7. E DAÍ?
    Milton Nascimento e Ruy Guerra

    Tenho nos olhos quimeras
    Com brilho de trinta velas
    Do sexo pulam sementes
    Explodindo locomotivas
    Tenho os intestinos roucos
    Num rosário de lombrigas
    Os meus músculos são poucos
    Pra essa rede de intrigas
    Meus gritos afro-latinos
    Implodem, rasgam, esganam
    E nos meus dedos dormidos
    A lua das unhas ganem
    E daí?

    Meu sangue de mangue sujo
    Sobe a custo, a contragosto
    E tudo aquilo que fujo
    Tirou prêmio, aval e posto
    Entre hinos e chicanas
    Entre dentes, entre dedos
    No meio destas bananas
    Os meus ódios e os meus medos
    E daí?

    Iguarias na baixela
    Vinhos finos nesse odre
    E nessa dor que me pela
    Só meu ódio não é podre
    Tenho séculos de espera
    Nas contas da minha costela
    Tenho nos olhos quimeras
    Com brilho de trinta velas
    E daí?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *