O Brasil tem que ser Democracia representativa com VOTO DISTRITAL, fim da “COINCIDENCIA” e do suplente nefasto, sem voto e sem povo

A crise não é do SENADO, da DEMOCRACIA ou de José Sarney. A crise é de tudo isso acumulado, mas tem uma causa, visivel, que vem de muito tempo, mas é claro, logico e irrefutavel, surge da falta de autenticidade e de credibilidade da REPRESENTATIVIDADE.

Só que agora caiu tão fundo no subterraneo da indignidade, que não haverá solução com punições retardadas para culpados também retardados e sim com ampla e total reforma. E essa tem de ser, obrigatoriamente, a REFORMA PARTIDARIA.

Preparei uma relação com 10 itens que precisam ser imediatamente reformados ou reformulados, para que a representatividade seja mais verdadeira. Assim como está, o eleitor não sabe escolher, o eleito nem liga para quem o escolheu.

Um dos principais itens, e no qual ninguém fala porque não interessa ou nem percebem, é a COINCIDENCIA de mandatos. Com essa COINCIDENCIA que está aí, uma parte importante de novas lideranças, no Brasil todo, fica aprisionada pela falta de oportunidade ou intranquilidade com a possibilidade de ficar sem mandato.

Existem exemplos em todos os estados, hoje vou citar apenas alguns. Ciro Gomes é pré-candidato a presidente, embora sua legenda (PSB) jamais tenha feito um presidente em toda a Historia, ou desde 1945/50, quando foi fundado. Se perder, ficará 4 anos sem mandato, a não ser que se candidate a prefeito ou vereador em Fortaleza.

Isso já aconteceu com Suplicy em 1994/96. Perdeu para governador, 2 anos depois se elegeu vereador, era o que havia. Em 1994, Mercadante foi vice de Lula, perdeu. Teve que ficar sem mandato até 1998 quando voltou à Câmara, depois ao Senado.

Em Minas, o caso mais relevante é o de Itamar Franco. Prefeito, varias vezes senador, vice e depois presidente, não lhe deram legenda para o Senado em 2006. Não tem outra eleição a não ser disputar a municipal. mas não quer, nem admite.

E a obrigatoria e imprescindivel r-e-n-o-v-a-ç-ã-o, como fica?

Não posso tratar de todos os itens, mas dois são urgentes. O VOTO DISTRITAL e o fim do execrado suplente, que cada vez se reproduz em maior quantidade. Como é que numa democracia alguém pode ser representante do povo sem voto? É uma excrescencia. Há anos trato disso, o presidente da OAB Nacional fez muito bem em participar da luta.

O VOTO DISTRITAL existe nos mais diversos países. Nos Estados Unidos, essevoto distrital vem desde 1788, a unica Constituição que eles têm. Exercem o mandato de 2 anos em Washington, e seus distritos ficam às vezes a 7 ou 8 horas de distância.

Todos os grandes problemas do Brasil têm inicio na falta de autenticidade dos representantes. E isso só pode melhorar com o VOTO DISTRITAL. Na Inglaterra, se o cidadão não pertencer à Câmara dos Comuns, eleito pelo voto distrital, não pode ser primeiro-ministro. AUTENTICIDADE tem de ser a palavra de ordem. E as CUPULAS concordarão com as reformas que vão atingi-las?

PS- Até mesmo o economico e vitoria do ganho financeiro sobre os lucros verdadeiros da produção e do investimento são alterados para pior pela falta de autenticidade da representatividade, cada vez mais fragil.

PS2- Nos proximos dias, publicarei 10 modificações politicas e eleitorais, imprescindiveis para transformar o Brasil numa DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Modificações que jamais serão feitas. (Escrevo sobre o inutil, mas não posso deixar de escrever)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *