O Brasileirão ficou mesmo com a TV Globo, foi a decisão dos clubes. A RedeTV! luta pelo sublicenciamento, objetivo desde o início. A Band renovará com a TV Globo.

Helio Fernandes

Há meses escrevi sobre o assunto e de forma conclusiva: “Pode até haver confusão, mas no final os 20 clubes continuarão com a Organização Globo”. Analisei o óbvio, mostrei até a enorme diferença entre a Organização (64 por cento da audiência em canal aberto), TV Record (17 por cento), Band (6 por cento), SBT (5 por cento e nem estava interessada), RedeTV! (1 e meio por cento). E sem organização, sem recursos, sem equipe para uma possível transmissão.

Muitos estabanados comentaristas, aqui mesmo no blog, não tiveram dúvidas: “O senhor, logo o senhor, defendendo a Organização Globo?”. Insensatos, querem apenas se exibir, usando o “trampolim para o holofote”. Não apoiei ninguém, analisei, não dava nem para errar.

São muitos os tipos de negociação, o total, por enquanto, é de 1 bilhão e 500 milhões. (Em três anos, o que 500 milhões anualmente). Parece muito, mas dividido por 20 clubes, não é tão fascinante quanto apregoam.

São seis tipos de órgãos de comunicação, mas os mais badalados são a TV aberta e a TV por assinatura. Os outros são incluídos no bloco (como quer a TV Globo) ou cada um dos seis setores negociados separadamente (orientação da TV Record).

A RedeTV! não existe, sua audiência na TV aberta não chega a 2 por cento.  Na TV paga, a RedeTV! nao tem nem canal. Comonão poderá negociar com as 4 maiores (DirecTV, Sky, TVA, Net) tem que procurar se entender com as outras 20 que peram por satélite, cabo, UHF. Qualquer coisa que transmita som e imagem, mesmo que seja pata pouquissimas pessoas.

A defesa ou justificativa da RedeTV! é a seguinte: “Como existem 110 milhões de telespectadores (número apresentado por este repórter), aceitando que tenha apenas 2 por cento desse total, seriam 2 milhões e 200 mil de audiência”.

E completam, explicando: “Isso representa mais de 7 vezes a tiragem confessada pela Folha. E 8 vezes a do Globo”, mas que é um pouco mais baixa do que a do jornal de São Paulo, que só se interessa por SP.

Acontece que a luta não é entre televisões e jornais, e sim disputa de televisões contra televisões. E aí é impossível comparar 64 por cento, com 17, 6, 5 ou 2 por cento.

E nem mesmo a TV Record, que há anos tenta entrar no setor esportivo e com dinheiro jorrado pelas “catedrais” evangélicas. Fácil de concluir: não aceitará sublicenciamento, pois seu objetivo é ultrapassar a própria Globo. Mais do que natural e compreensível.

***

PS – Apesar de toda essa vantagem, a Organização ainda teve a ajuda do corruptíssimo Ricardo Teixeira. Lógico, o presidente da CBF recebe o seu em espécie, a Globo dá total cobertura a ele. “Esconde” as acusaçõs diárias. Dava apoio total, quando ia ao Planalto conversar com Lula.

PS2 – Dados dos pesquisadores. Jogo Corintians-Palmeiras: Globo 33 pontos, Band (sublicenciada) 8 pontos. Excelente negócio para os dois lados.

PS3 – O novo contrato, que começa em 2012, ótimo para os clubes, alguns receberão quase o dobro do que recebiam. O Flamengo (que negociou pessimamente) acabou faturando o que nem imaginava.

PS4 – Outra vantagem para todos: o “Clube dos Treze”, burrice geral, “espécie em extinção”, vai desaparecer mesmo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *