O calor animal do amor, na visão de Mário Quintana

Quintana, um poeta como poucos

O tradutor, jornalista e poeta gaúcho Mário de Miranda Quintana (1906-1994), no poema “Bilhete com Endereço”, fala do querer, do amor e do desejo que ele quer daquela pessoa, ou seja, o calor animal dela.

BILHETE COM ENDEREÇO

Mário Quintana

Mas onde já se ouviu falar
Num amor à distância,
Num tele-amor?!
Num amor de longe…
Eu sonho é um amor pertinho
Um amor juntinho…
E, depois,
Esse calor humano é uma coisa
Que todos – até os executivos – têm.
É algo que acaba se perdendo no ar,
No vento
No frio que agora faz…
Escuta!
O que eu quero,
O que eu amo,
O que desejo em ti,
É o teu calor animal!…

                 (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

One thought on “O calor animal do amor, na visão de Mário Quintana

  1. O lamentável é que Mário Quintana foi recusado seguidamente para ingressar na Academia Brasileira de Letras.

    Lá mesmo, onde ocupa uma cadeira há muitos anos o autor de “Marimbondos de fogo”.

    Não me causará qualquer surpresa se a ABL aceitar em seus quadros o Lula e a Dilma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *