“O casal que mora ao lado” também é ótimo para retomar o hábito de leitura

Resenha: O casal que mora ao lado - Shari LapenaJúlia de Aquino
Instagram literário @juentreestantes

“Quando chega ao quarto do bebê e vê o berço vazio, ela grita” – com essa frase a autora finaliza o primeiro capítulo do livro, que já começa apresentando uma trama envolvente. Por muito pouco esse livro não foi meu favorito do ano passado (foram 41 lidos).

A HISTÓRIA – Marco e Anne são um casal com uma filha recém-nascida, que vão jantar na casa dos vizinhos que moram ao lado, a fim de se distraírem um pouco. A noite, porém, torna-se um pesadelo quando descobrem que a bebê sumiu de seu berço.

A narrativa é muito rápida e cheia de diálogos. O suspense e as reviravoltas fazem a gente virar as páginas e ler vários capítulos direto, “sem perceber”. A construção dos personagens e da trama em si também é genial.

O leitor passa o livro todo imaginando quem poderia ter sido e qual o motivo, a autora dá muitas pistas falsas – e algumas verdadeiras – e, ainda assim, o final é surpreendente em diversos sentidos.

BOA LEITURA –Para quem precisa de um incentivo para retomar o hábito de ler, essa é uma ótima opção! Leitura rápida, fluida e instigante. Mais um do tipo “impossível parar de ler”. Fica então a dica, tanto para esse período de quarentena como para qualquer época!

Livro: O casal que mora ao lado
Autora: Shari Lapena
Editora: Grupo Editorial Record
Páginas: 294

5 thoughts on ““O casal que mora ao lado” também é ótimo para retomar o hábito de leitura

  1. Para quem está confinado de modo forçado e inconformado com a falta do que fazer, eis uma sugestão que exige gostar e querer : aprenda a tocar um instrumento musical. Leva tempo, mas a satisfação resultante compensa o esforço.
    Ficção é do tempo do ronca em que as moçoilas precisavam de passatempo, não havia quase entretenimento, nem internet. O youtube tem tudo o que se precisa para tocar piano até o nível intermediário. Comece, divirta-se e refute a idéia de que ser rato de biblioteca é importante – não é, os tempos mudaram.

    • Esse mesmo é que não deve ser lido! Até Cristo não escapou, meu caro. Foi crucificado porque era um reacionário que tentava um levante contra o império romano que dominava o povo judeu por mais de 2 séculos. Ele acreditava que Deus o ajudaria, como também aconteceu com Batista.
      Se é pra ler alguma coisa, que leiam então Voltaire (o seu Dicionário Filosófico é uma boa pedida). Minha opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *