O casamento real, transformado num espetáculo irreal. Algumas pessoas ganharão dinheiro, o país terá prejuízo de 10 bilhões. A poderosa Inglaterra? Nunca mais.

Helio Fernandes

Neste blog, muitos desprezam o assunto, garantem e repetem: “O povo despreza a realeza”. Não tenho a menor duvida, jamais afirmei o contrário. Só que esquecem (alguns deliberadamente) o fascínio da liturgia.

Exatamente o mesmo sentimento, sensação ou curiosidade em relação ao que acontece no Vaticano. Sabem que falsificaram, comercializaram e até industrializaram o que aconteceu há quase 2 mil anos, só que fizeram com muita competência. Visual e esteticamente atraente. Não confundir o estético com o ético.

Só que examinando com total isenção, existem duas conclusões. 1 – O Reino Unido é noticia no mundo todo, a mídia internacional comprou o espetáculo, transformou um fato normal, o casamento, num espetáculo. Como promoção, não tem preço. Afinal, são 8 mil jornalistas mandando notícias e transmitindo ao vivo.

O “espetáculo” está prejudicado em repercussão, para muitos países, pelo fuso horário. No Brasil começou agora, às 5 da manhã, nos EUA são vários os fusos, basta dizer que na Califórnia, terra de estrelas (Hollywood), começou às duas da madrugada. Podem repetir, lógico, mas não é a mesma coisa.

De qualquer maneira, a Inglaterra (Grã-Bretanha) não terá lucro algum. O lucro material, que “já desmontei”. O faturamento será de 3 bilhões de dólares, não mais. O prejuízo, de 10 bilhões, esse pode aumentar. Muita gente não trabalhou a semana toda. E hoje, feriado nacional, o país, que está quase parando por causa da crise real, vai parar, obrigatoriamente, é feriado nacional.

***

PS – De qualquer maneira, a Inglaterra está falida, não tem mais a menor importância.

PS2 – Ganhou sobrevida com a descoberta de petróleo no Mar do Norte, “quase na esquina” do palacio da Rainha.

PS3 – Financeiramente, perdeu tudo.

PS4 – A Old Bond Street (zona bancária) ja teve importancia. O presidente Campos Salles, em 1900 (assumiu em 1898), passou por ali, em carro aberto, depois de se render aos Rotchilds e “renegociar” a dívida externa. Que Prudente se recusou a renegociar. E expulsou do Catete, o Rotschild que veio “conversar”.

PS5 – Hoje o único fato que sai de Londres para o mundo, é a cotação do petróleo. Ao meio dia em ponto (pelo Big Ben), de um prédio caindo aos pedaços ( na Zona Norte) sete personagens envelhecidos (o mais moço tem 68 anos) divulgam a cotação do petróleo.

PS6 – Já foram independentes. Depois da criação da OPEP, recebem e cumprem ordens. Mas isso acontece em Londres, falam em “importância financeira”.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *