O DEM quer se livrar de Arruda, mas não pretende perder o governo de Brasília. Têm receio da “radicalização” e das jogadas escusas da família Maia, incrível

Essa maldita demonstração de falta de vergonha do governador Arruda, não é surpreendente, por causa do seu  passado. Mas mesmo para Arruda é um escândalo de profundidade inatingível. (Nem Roriz foi tão corrupto, Deus me perdoe. Arruda renunciou a um resto de mandato no Senado, Roriz renunciou desde o início, quase o mandato inteiro).

A situação muda a cada instante. Assim que o governo de Brasília foi pelos ares, a palavra usada era INSUSTENTÁVEL. Acuado e desesperado, Arruda concordou em depor no próprio DEM, e vendo que a situação estava difícil, lançou outra: RADICALIZAÇÃO.

Como todos são ou podem ser vulneráveis, o DEM fez uma pausa para “reflexão”. E deu mais tempo para Arruda se defender. Mas ninguém acredita que “até o dia 10 tudo estará resolvido”.

Arruda vai mergulhando no lamaçal que ele mesmo provocou, junto com quase toda a política do Distrito Federal. O DEM considera Arruda espantosa maldição, mas quer ver se condena o governador, considerando a absolvição do próprio partido.

Primeiro grande objetivo do DEM: perder Arruda, mas não perder o governo de Brasília. Para isso desconsiderariam as acusações contra Paulo Otávio, para que ele possa assumir o cargo, e disputar a reeeleição em 2010. (Mais uma violentação da linguagem, que não está no Acordo Ortográfico com Portugal: a REEELEIÇÃO de quem não foi eleito, caso do vice).

No momento, já existem 4 pedidos de impeachment contra Arruda. Mas o mais importante é o da OAB Nacional. O presidente César Brito garantiu que “amanhã, 5ª feira, o órgão se definirá”.

Arruda não se salva e perderá o cargo, a revolta é muito grande, já chega à opinião pública. Mas se hipoteticamente fosse mantido, não teria secretários, quase todos renunciaram, e os partidos não aceitam indicar outros.

Falta o PMDB, que mobiliza a corrupção. Se ficar a favor da deposição de Arruda, se joga empolgadamente no apoio a Roriz, cujo nome é sinônimo de enriquecimento ilícito.

No momento, 11 da manhã, em Brasília, todos conversam com todos, independente da divergência das siglas. Sarney, o maior vencedor do grande e destruidor escândalo nacional do Senado, defende a permanência de Arruda. E disse pessoalmente a ele: “Fique tranquilo, Arruda, você vai continuar, disso eu entendo melhor do que ninguém”.

O presidente Lula erra tanto quanto errou no episódio Zelaya. Fala e age apressadamente, sem pensar ou examinar o assunto. E disse, assustadoramente: “Imagens não valem nada, a importância é a investigação da polícia”.

Falou bobagem e desmentiu o que era verdade absoluta: “Uma foto vale mais do que 10 mil palavras”. Não ERA UMA FOTO, vídeos em profusão.

O presidente da Assembléia, Leonardo Prudente (que desmentiu o sobrenome) aparece colocando dinheiro na cueca. Não teve nem originalidade, isso já foi feito com repercussão nacional.

(Como o assunto terá desdobramentos, paro aqui, e postarei outras notas, assim que a roda girar. De qualquer maneira, hoje Arruda não será enxotado).

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *