O eterno (e falso) déficit da Previdência no Brasil

Wagner Pires

Acabam de ser divulgados os números da Previdência Social do ano de 2012 no site da Previdência. A notícia é veiculada como se o Tesouro Nacional, por imposição legal, estivesse suprindo um déficit de R$ 67,4 bilhões, gerado pelo pagamento de benefícios ao setor rural – setor deficitário. O setor urbano apresenta superávit.

É risível a insistência do governo em promover a divulgação dos dados nesses moldes, apresentando uma contabilidade parcial de recebimentos e pagamentos, como se as transferências da União, instituídas por lei para a Seguridade Social – que correspondem a aproximadamente 23% das receitas da Previdência – fossem algo a ser expurgado da contabilidade. Ou fizessem parte de um grande favor do governo à Previdência e seus beneficiados.

Ora, os recursos adicionais do orçamento fiscal, fixados obrigatoriamente na Lei Orçamentária Anual- LOA, destinados ao pagamento dos Encargos Previdenciários da União e à cobertura de eventuais insuficiências financeiras decorrentes do pagamento de benefícios, as contribuições sociais das empresas, cujas bases de incidência são o faturamento (conhecidas como Cofins) e o lucro,  e, ainda, as que incidem sobre a receita de concursos de prognósticos, que são recolhidas pela União e, posteriormente, transferidas para a Previdência Social, também são receitas da Previdência instituídas por lei.

Não há outra intenção do governo em apresentar como receitas apenas as contribuições das empresas e dos contribuintes individuais de modo a apresentar déficit, em decorrência do setor rural, senão a de praticar “terrorismo” e justificar a compressão dos rendimentos dos beneficiários que já não produzem mais.

VEJAM AS CONTAS FRAUDADAS

Na prática de tal “terrorismo” as contas apresentadas referentes a 2012 foram estas:

No setor urbano
Arrecadação: R$277,8 bilhões
Pagamentos: R$252,7 bilhões
Superávit: R$25,1 bilhões

No setor rural
Arrecadação: R$5,9 bilhões
Pagamentos: R$73,3 bilhões
Déficit: R$67,4 bilhões

Agregado dos dois setores – urbano e rural
Arrecadação: R$283,7 bilhões
Pagamentos: R$326,0 bilhões
Déficit: R$42,3 bilhões

Como se pode observar, quando se agregam os valores, sem contabilizar as receitas provenientes das transferências da União, o “déficit” corresponde a R$42,3 bilhões, mas a notícia veiculada no site da Previdência é dada como se o Tesouro nacional tivesse feito um aporte de R$ 67,4 bilhões para suprir os benefícios com o setor rural. Como se esses recursos, que não passaram de R$42,3 bilhões, em verdade, não tivessem a sua fonte já definida em lei como fonte de receita previdenciária – as transferências da União.

A Previdência Social tem acumulado sucessivos superávits, em 2009 R$ 4,174 bilhões, em 2010 R$ 4,691 bilhões, em 2011 R$ 12,313 bilhões. Em 2012, muito provavelmente o superávit da Previdência tenha ultrapassado os R$ 15,0 bilhões, como disse a economista Sra. Laura Tavares Soares, em um post aqui da TI, enviado pelo Sr. Ricardo Sales.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

One thought on “O eterno (e falso) déficit da Previdência no Brasil

  1. A QUESTAO NAO E’ SE TEM DE’FICT OU NAO. A QUESTAO E’ QUE O BRASIL GASTA MAIS DE 10% DO PIB COM PREVIDENCIA. E A SITUACAO VAI PIORAR NOS PRO’XIMOS ANO. QUAL E’ O PROBLEMA DOS BRASILEIROS TRABALHAREM MAIS TEMPO? BRASILEIRO ADORA SE ESCORAR NO ESTADO. ENQUANTO ESTA MENTALIDADE NAO MUDAR, NO’S SEREMOS ESTA MERDA DE PAI’S.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *