O excêntrico e extravagante Eike Batista. Os ‘hermanos’, que eram arrogantes, agora submissos a Dona Kirchner. Eduardo Campos convida Beltrame, mente e desmente. A terrível prisão de Guantánamo. Os partidos de Paulinho e de Dona Marina, serão criados.

Helio Fernandes

Na própria revista Forbes ficavam impressionados com a volúpia com que afirmava publicamente: “Serei o homem mais rico do Brasil e, em 2 ou 3 anos o mair rico do mundo”. Carlos Slim, o mexicano mais rico do mundo (que hoje tem negócios rendosos no Brasil de televisão por assinatura), ria.

Há 5 anos, EIke comprou o tradicional Hotel Glória. Queria trocar o nome para “Bilionaire”. Esse é o nome de um hotel na belíssima praia da Sardenha, só funciona 3 meses por ano, no verão. São todos convidados, bilionários do mundo inteiro.

Na véspera de começar o verão, ninguém paga nada, o champanhe corre solto. No dia seguinte, começam a cobrar, nem se sabe quanto, ninguém olha a conta, não é elegante. No último dia do verão, a mesma coisa: despedida geral, de graça, fecha, só abre no ano seguinte.

Um dos executivos de Eike, que conhecia a história do hotel da Sardenha, aconselhou-o a não seguir a fórmula. “Aqui não dará certo de jeito algum”. Eike aceitou o conselho, uma semana depois demitiu o executivo, que está na Justiça, são vários nessa situação. Noutro dia, Eike mandou telefonar para um executivo, surpresa geral, ele havia sido demitido pelo próprio Eike, pessoalmente.

Tudo de Eike é assim, nenhum empreendimento dele termina. A reforma do Hotel Glória não deve ficar pronta nem para a Copa. Se não fosse Dona Graça Foster, que no auge da crise do grupo OGX, disse publicamente, “estamos conversando com Eike”, já teria naufragado. Quem garante que não naufragou?

EDUARDO CAMPOS: “SEMPRE
SE PODE FAZER MAIS”

Mas também é possível mentir mais, o que ele faz com prazer e voracidade. Convidou Beltrame para entrar no PSB e se candidatar a governador. O secretário de Segurança, único responsável pelas UPPs, não deu resposta, mas revelou publicamente o convite.

O governador de Pernambuco, que adora aparecer, veio a público desmentir o convite. Ora, Beltrame é discretíssimo, não adora holofote. Sergio Cabral quer que ele seja vice de Pezão, proposta que não o entusiasma, considera, muito justamente, que Pezão não ganha. Então, por que naufragar com ele?

A TERRÍVEL PRISÃO
DE GUANTÁNAMO

Pela terceira vez, o presidente Obama, publicamente, afirma: “Vou tentar fechar essa prisão, onde, há anos, prisioneiros sem julgamento, fazem greve de fome”. Incrível que o próprio presidente dos EUA venha demonstrar sua FRAGILIDADE, usa a palavra TENTAR em vez de garantir.

A fortaleza de Guantánamo foi construída em 1898, para defender Cuba do ataque do Exército da Espanha. Os americanos derrotaram os espanhóis, preservaram Cuba e conquistaram as Filipinas, dominadas pela Espanha. Agora, Guantánamo serve de “esconderijo” para presos que não querem torturar em território americano.

OS “HERMANOS” CONSIDERAVAM
BUENOS AIRES A CAPITAL DO MUNDO

No início do século passado, se consideravam os grandes aristocratas da América do Sul. Arrogantes e pretensiosos, consideravam que Buenos Aires era o centro do mundo, em vez de Paris ou Nova Iorque. Não usavam tênis, nem deixavam os filhos usarem, já saiam de casa de terno e gravata.

Passaram por várias ditaduras, como todos os países deste continente. Mas sempre cruéis e impiedosas, com exceção de Perón, que era contra violência e tortura. Assim chegaram a 1976, a mais selvagem de todas, durou pouco, até 1983.

Tomavam os filhos dos presos, que só foram saber disso 20 anos depois. Torturavam com prazer (da mesma forma que Pinochet, um dos ídolos do Felipão), não deixavam os presos morrerem, eram jogados ao mar. Só que sofisticados na crueldade, descobriram que se jogassem no mar os presos mortos, eles voltariam à tona. Vivos, ficavam debaixo d’água para sempre.

Agora, na pior crise econômica-financeira-política e moral, têm o Papa Francisco, Messi, três vezes o melhor jogador do mundo, e a rainha da Holanda, um dos países mais democráticos do mundo. Como compensação negativa, têm Cristina Kirchner, 100 por cento de mediocridade. E o povo da Argentina paga e sofre essa reviravolta.

SENADORES FAZEM
VISITA AO SUPREMO

Eram 9, acima de qualquer suspeita, como o excelente filme do italiano Elio Petri. Conversaram com Gilmar Mendes, que garantiu: “Na próxima sessão (deve ser segunda-feira) o plenário examinará minha liminar sobre a criação dos novos partidos.

De acordo com o estabelecido e determinado pela Constituição, podem ser fundados ou criados novos partidos. Só que, sem representatividade, não deviam participar do horário “gratuito”. Nem receber dinheiro do “Fundo Partidário”, como tenho defendido.

Kassab é uma vergonha, ganhou tudo com lobismo, agora é contra, com apoio de Dona Dilma, com pavor do segundo turno.

PÂNICO NOS EUA COM
A CRISE IMOBILIÁRIA

10 milhões de cidadão dos EUA perderam suas casas por causa da voracidade e da ânsia por lucros ilegais de mais de 5 mil bancos (“tamboretes” como se chamavam no Brasil). Ganharam fortunas, nada aconteceu a eles.

Agora, mais 13 milhões perderão as moradias, serão jogados na rua, no escândalo chamado de “subprime”.

O grande cineasta de “Columbine”, Michael Moore, denunciou tudo num notável filme. Como já fizera no filme intitulado “SOS Saúde”, denunciando a máfia dos planos de saúde. Miseráveis exploradores, tanto lá quanto aqui.

PS – O Partido do Paulinho da Força já chegou às 500 mil assinaturas, quer mais. A Rede de Dona Marina chegará, ajudada por todos os que querem segundo turno. O casuísmo de Dona Dilma contras novos partidos tem uma definição: medo do segundo turno.

 

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

16 thoughts on “O excêntrico e extravagante Eike Batista. Os ‘hermanos’, que eram arrogantes, agora submissos a Dona Kirchner. Eduardo Campos convida Beltrame, mente e desmente. A terrível prisão de Guantánamo. Os partidos de Paulinho e de Dona Marina, serão criados.

  1. Caro Helio, o EIKE, é o grande protegido do governo, as razões, só Deus ou o Diabo sabem, o Cidadão desconfia das raz$es,o momento é “Marina da Glória”, que o governo está dando apoio para a maracutaia, apesar da area ser tomabada e sob Leis especificas. Ele deve 10 bilhões ao BNDS sem garantia patrimonial ou fiadores, é verdade!?, a “grana não é do povo”, ai resta a pergunta: onde estão o TCU, CGU e o MPF, Entidades criadas, para “fiscalizar” o “emprego do dinheiro do cofre público!?!?”.
    A Constituição (colcha de retalhos)prevê a criação de Partidos, portanto esse congresso corrupto, desacredito, quer o que!?, o Governo (PT/PMDB) na liderança, estão com medo para 2014, de perder “a boca”, eles estão com medo dos partidecos, e da reação dos eleitores, os partidecos, em sua maioria é balcão de negocio.
    A questão imobliaria, no passado recente, no tempo de BNH, a História é a mesma, só que a Justiça, fez JUSTIÇA, no Estado do Rio,com a criação da FAMERJ, e nos outros Estados.
    O PS, a respeito da criação de partidos, diz tudo.
    Que Deus te abençoe, dando vida longa e muita saúde.

  2. Só não entendo esta proteção governamental toda com Eike. Provado que é aristocrata incompetente, recebeu do papai o mapa das minas brasileiras e mesmo assim ainda consegue falir?Como pode? E reintero a pergunta porque tanta proteção com o incompetente?
    Não entendo e nem aceito a versão de que se ele vier a falir a imagem do Brasil ficaria danificada. Pergunto a imagem do Brasil não fica mais danificada no exterior e principalmente aqui dentro o governo agindo deste forma?
    Desculpas pela minha ingenuidade.

  3. Este Sr. Beltrame não engana ninguém, só ao zé povinho que acredita em conto de fadas de UPPS. Caso seja candidato terá publicamente que explicar por que foi nomeado delegado sem passar no concurso público.

  4. Quando o Governo Lula/José Alencar acertadamente decidiram reativar a Industrialização do Brasil, em 2003, precisavam de Homens que desenvolvessem Projetos de Infra-estrutura, principalmente Portos, Energia, Estaleiros, etc, etc. Não se apresentaram muitos Candidatos. O Sr. Eike Batista foi dos primeiros a apresentar Projetos, recebendo apoio do BNDES, outros Bancos Nacionais como BTC-Pactual, Itaú, Bradesco, etc, para alavancá-los, e depois atrair Capitais nacionais/internacionais, principalmente Fundos de Aposentadoria e Pensões, Seguradoras, etc. No fazer isso o Sr. Eike Batista super-estimou a Receita e sub-estimou as Dificuldades. O mercado reagiu negativamente e ele se vê em apuros. Mas é Brasileiro, suas Empresas tem Matriz no Rio de Janeiro e a alternativa é ser substituído por Multi-Nacionais. E foi assim que a Indústria do Petróleo Brasileira (Indústria como um todo), passou de 3,5% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2003/Jan, para os atuais 12% do PIB. Mesmo não simpatizando com seu comportamento de novo-Rico em sua vida pessoal, pelos motivos acima, o Governo Brasileiro deve ajudá-lo. A meu ver, apesar do Custo, o Brasil ganha muito com isso. Empresa boa é Empresa Nacional.
    Quanto aos mais ricos do mundo, os verdadeiros são discretíssimos, a maioria mora em Londres, tem poderossímas Filiais nos EUA e resto do mundo, e são 10.000 vezes mais Capitalizados dos que os Bilionários que aparecem na Forbes.

    Lembremos no começo do mês, de passar na CEF/Lotérica/Itaú e pagar Mensalidade R$ 20/10 ou mesmo 5, para manter nosso bom Jornal, Tribuna da Imprensa onLine. Saco vazio não para em pé. CEF Ag. 0211; CC. 323-4. Muito Obrigado.

  5. Guantánamo e as invasões militares

    Uma das causas fundamentais do grande sofrimento do homem é muito clara, só não sabemos o porquê disso. Trata-se do raciocínio do ser humano, bem inferior ao que poderia ser, frente a nossa complexa e sofisticada sociedade que estruturamos, devagar e artesanalmente, a custa de muito trabalho, sacrifícios, tragédias e muito sangue, ao longo dos últimos 8 mil anos da história da humanidade. Caso a gente não tivesse a maldade na alma, e tivesse, acesso a mais de 10% (a ciência diz isso) de nossa capacidade cerebral, digamos 30%, a miséria do mundo estaria banida em pouco tempo. Com a tecnologia que já dispomos, em menos de uma década tornaríamos a Terra um lugar saudável, justo, fraterno, limpo e seguro, para todos. Sem dúvida alguma.

    Por conta dessa crônica deficiência racional, junto com a maldade de nossa alma, continuamos apostando todas as fichas no irracional e perigoso sistema capitalista, de demonstrada decadência, desses últimos 40 anos. Simplificadamente, esse sistema possui dois grandes polos, um deles, o polo responsável pela produção, indústria, serviços, comércio e bancos. O outro polo, chamado de polo consumidor, é formado por milhares de consumidores em todo o mundo, com pressuposto poder de compra e de consumo. No primeiro polo, se produz todas as riquezas a serem consumidas pelo outro polo, fazendo o dinheiro circular, entre esses gigantescos e sofisticados polos. A existência de um dos polos está condicionada a existência do outro. Se um deles entra em decadência, junto irá o outro. Claro.

    Por outro lado, na atual grande crise mundial do capitalismo, contata-se a redução do tamanho do polo consumidor, notadamente no primeiro mundo, expressa em milhares de desempregados, dentre outras causas, decorrente diretamente do inevitável acelerado desemprego tecnológico, tomando conta de todas as áreas e setores da produção e serviços, demitindo trabalhador braçal e intelectual, minando a base do sistema capitalista.

    A fantástica tecnologia vai rapidamente ficando mais apta a produção dos mais sofisticados e complexos produtos, sem precisar do trabalhador. Vai exterminando as bases da estrutura capitalista, acabando com o polo consumidor, botando no olho da rua milhares de trabalhadores. Acabando com a classe operária, exterminado o consumidor. Quem fica desempregado, ou ganhando mal, perde poder de consumo, seja trabalhador braçal ou intelectual. É a lógica do sistema.

    Uma das causas de tantos jovens ocupando lugares importantes nos meios de produção decorre do poder da tecnologia, tornando-os capazes de substituir os mais velhos, apesar de sua pouca experiência. A velha experiência, tão engrandecida no passado, vai rapidamente perdendo espaço, tornando o trabalhador mais vulnerável, substituível por outro mais barato e mais produtivo. Causando tensões, fragilizando o poder de consumo, por conta do baixo poder aquisitivo dos novos trabalhadores. Sem maiores exigências de aptidão, não há razão para se pagar melhor. É a lógica do mercado.

    A prática da boa ética e da honestidade no sistema capitalista é coisa muito complicada, dado a própria natureza desse sistema, nada ético, muito menos, honesto. Basta perceber que não é possível acumular riquezas sem subtrair de quem as produziu. Todas as riquezas existentes no mundo foram elaboradas pelo trabalhador, que fica com muito pouco do que produz, salvo minoria especializada e ou privilegiada. De acordo com a revista “Forbes” de 2013, o Planeta teria 1.426 bilionários, habitando a minúscula Terra de 4 bilhões de excluídos. Uma sideral injustiça.

    Da gigantesca concentração de riquezas em mãos de poucos, resulta em excluídos, favelas, revoltas, atrocidades e guerras, todas elas, fundamentadas em desculpas e cínicos pretextos. Mas que na verdade, busca-se a pilhagem pela força. Recentemente, vistas nas invasões militares lideradas pelos EUA, do Iraque e da Líbia, em busca da posse e controle das gigantescas reservas de petróleo dessas desarmadas nações. Por essa velha política externa, os EUA colecionam muitos inimigos. Apesar disso, continuam fazendo uso de todos os bárbaros métodos de força em sua desesperada busca de riquezas. Por isso mesmo, não conseguem fechar a prisão de Guantánamo, centro de torturas.

  6. O Beltrame não gosta de holofote, é discretíssimo ? desculpe Helio, na verdade ele se esconde da mídia, só aparece na Globo. Gostaria que vc, como é muito bem informado, exclarecesse se ele é ou não Delegado da Polícia Federal, e porque recebe como tal.

  7. Está evidente que o oportunista playboy aloprado que brinca de empresário, não passa de um testa de ferro de multinacionais, do PT e do PMDB com o único objetivo de lavar o dinheiro sujo em suas “empresas” falidas.

  8. Concordo com a Angela. Vejam abaixo o artigo que saiu no blog do Juca Kfouri. Concordo com ele também.

    O “importante” Eike Batista que quer o Maracanã

    POR J.R.GUZZO

    O cidadão brasileiro Eike Batista, controlador de um conjunto de empresas com sede no Rio de Janeiro, faz parte de um certo tipo de gente que acaba classificada como “importante”.

    Eis aí uma palavra de significado duvidoso.

    Pode ser uma descrição positiva para algo ou para alguém.

    Pode ser também, e aí a coisa já complica, uma boia de salvação para valorizar pessoas, obras ou acontecimentos quando não existe, no mundo dos fatos reais, um mínimo de fundamento capaz de justificar essa valorização.

    Não importa se uma pessoa tem ou não tem virtudes.

    Não importa, na verdade, o que tenha feito ou deixado de fazer.

    Basta conseguir que a chamem de “importante” – vai passar a vida inteira sendo elogiada, sem que ninguém nunca saiba exatamente por quê, e sem que precise mostrar serviço.

    É um fenômeno muito comum na cultura.

    Há o “escritor importante” – mas ninguém se lembra de um único livro realmente bom que tenha escrito.

    Há, na mesma linha, o músico, o pintor, o diretor de cinema, o filósofo, o crítico que ganham a comenda de “importante” – e até mesmo, nos casos de bobagem em estado terminal, os que são considerados os “mais importantes de sua geração”.

    Não é difícil, nisso tudo, separar o artigo legítimo do cavalo paraguaio.

    Nunca passa pela cabeça de ninguém, digamos, dizer que Camões é um “escritor importante” – ele é, apenas, Camões. Não precisa ser chamado de “importante”; tem a fama porque tem a obra.

    Já no caso das eminências com méritos desconhecidos, é o contrário: não têm a obra, só têm a fama.

    A causa disso está nos jornalistas, uma espécie que, pelas condições naturais do seu habitat, desenvolve um forte instinto de manada; se um deles, ou um grupo, começa a falar de um assunto, a maioria sai correndo atrás para falar da mesma coisa, o tempo todo.

    É o que aconteceu com Eike Batista.

    Alguns anos atrás, ele começou a aparecer na mídia; logo ganhou dos jornalistas o certificado de “empresário importante”, e desde então é raro que se passem três dias seguidos sem que o seu nome seja citado em algum lugar.

    Ajudaram-no, sem dúvida, o fato de ter aparecido nessas listas de homens “mais ricos do mundo”, cuja veracidade é algo que jamais foi possível provar de maneira satisfatória, e sua disciplina em manter-se à disposição da imprensa 24 horas por dia.

    Mas onde estão, precisamente, seus feitos concretos como empresário?

    Eike, no noticiário, está num eterno “vai” – vai fazer, investir, negociar, estudar, comprar, vender, associar-se.

    Não se fala, depois, no resultado dessas intenções.

    Nem mesmo a mera reforma do histórico Hotel Glória, no Rio de Janeiro – que deveria ser coisa modestíssima para a imensidão de sua fortuna –, parece dar sinais de vida.

    Eike comprou o hotel cinco anos atrás. Nesse tempo todo, além da tela de malha sintética que cobre a sua fachada, tudo o que os cariocas puderam ver da reforma é que ela não vai ficar pronta para a Copa de 2014, como prometido, e que o BNDES já deu 200 milhões de reais para financiar a obra.

    Um dos seus poços de petróleo em alto-mar, que deveria produzir “20000” barris por dia, viu-se discretamente reavaliado, depois, para 10000, em seguida para 5000; não se fala mais do assunto. Na verdade, o que mais se noticia hoje são as perdas de Eike: é o mesmo efeito manada, agora na contramão.

    Problema dele? Não; infelizmente é problema nosso.

    Em sua última edição, VEJA mostrou, com fatos e fotos, Eike, o ex-presidente Lula e o lobista Amaury Pires Neto numa visita feita em janeiro ao Porto do Açu, no estado do Rio, uma das mais louvadas realizações do empresário importante – e que, como tantas outras, não decolam. (Esse Pires é homem de procedência garantida: demitido em 2011 do Fundo da Marinha Mercante, no meio da frenética roubalheira flagrada então no Ministério dos Transportes, tem linha direta com o deputado Valdemar Costa Neto, condenado a sete anos e dez meses de cadeia no mensalão.)

    Lula, aí, estava na mesma atividade de Pires – fazendo lobby em favor de Eike. O objetivo era obter do governo a transferência para o Açu de um investimento estrangeiro de 500 milhões de reais. Lula foi à luta: pediu à presidente Dilma Rousseff que recebesse Eike, botou dois ministros a trabalhar para o empresário e envolveu até o Itamaraty nesse rolo.

    Isso não deu em nada, até agora, por falhas operacionais da trama. Mas provou que, além daqueles duzentinhos do BNDES, há uma proximidade perigosa entre Eike Batista e o Tesouro Nacional – perigosa não para ele, claro, mas para quem paga as contas do Brasil para Todos.

  9. Prezado Flávio Bortolotto

    Sua ponderação acima, oportuna, resumida e perfeita. Deter as rédeas do Poder, sem contar com alguns empresários e banqueiros de peso, fica tudo inviável, insustentável. Faz parte do jogo da democracia capitalista, nada justo, pouco honesto. Nesse jogo bruto, muito pesado, a pregada liberdade de imprensa é coisa pra inglês ver. Por exemplo, já estou a mais de 20 minutos tentando postar esse comentário, mas não consigo enviar. A turma da censura não descansa.
    Saudações
    Welinton

  10. Prezado Sr. Welinton Naveira e Silva.
    É tão bom quando nos elogiam, entendem o que dizemos, ou mesmo nos contestam nos chamando de “equivocados”, ou “ingênuos”, e até mesmo “burros”, quando não coisa pior. Melhor ainda quando tudo isso é feito com educação. A verdade é que não somos perfeitos. Essa é a verdadeira Riqueza de nosso Jornal “Tribuna da Imprensa onLine”, e que vale bem uma Assinatura Mensal de R$ 20. O senhor entendeu que no meu Comentário acima, eu não defendo o Sr. Eike Batista, seu feio comportamento de novo-Rico, etc, mas a EMPRESA NACIONAL. Sou semi-Aposentado e estudo o: Porque o Brasil é praticamente a 6 Economia do Mundo e 84 em Padrão de Vida (IDH)?). Não faz sentido. E a conclusão que cheguei é que: a causa principal é a “pouca EMPRESA NACIONAL, principalmente nos setores Industriais mais dinâmicos”. Seu bom Comentário acima, sobre o Sistema Capitalista de Mercados tem muito de Verdade. 1.426 Bilionários e +- 4 bilhões de Excluídos. Acho que deve ter mais Bilionários e menos Excluídos, de qualquer forma a diferença é de mil para bilhões, e é consenso que o Sistema Capitalista de Mercados DISTRIBUI MAL A RENDA. Mas antes do Capitalismo de Mercados e mesmo as tentativas de Socialismo Soviético, Chinês, etc, as coisas eram bem piores porque haviam bem menos Bilionários e muito mais Excluídos, e a Vida Média no Planeta era +- 1/3 do que é hoje. Mas isso tem conserto, até porque o senhor explicou muito bem, um Pólo (Produtor) precisa do outro Pólo (Consumidor). Já no séc. XIX, +- 1870, o grande Economista John Stuart Mill provou que as Leis da Produção Capitalista de Mercados são imutáveis, (como a lei da Gravidade), e quem quiser eficiência no gerar Riquezas deve seguí-las, mas a Distribuição da Riqueza não tem Leis imutáveis, mas obedeçe ao que a Sociedade achar mais Justo. Até onde o Povo aguenta, os Capitalistas chegam. Por isso se diz que temos que “Regular Bem uma Economia Capitalista de Mercados”, para termos resultados mais Justos. E tudo começa por “Cuidar muito bem de nossas CRIANÇAS, principalmente as mais Pobres. CIEPS nelas.” Nós no Brasil estamos muito longe de uma “Boa Regulagem”. Eis aí, um bom Tema para a próxima campanha Política para a Presidência: como Regular Bem nosso Capitalismo. Com Produção, os problemas, Solução Tem. Sem Surplus, não há Solução. Abrs.

  11. Pingback: O excêntrico e extravagante Eike Batista | andradetalis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *