O fato novo se chama Rocha Loures

Resultado de imagem para temer charges

Charge do Baggi (Jornal de Brasília)

Bernardo Mello Franco
Folha

Nos últimos dias, aliados de Michel Temer repetiam que só um fato novo, intransponível, seria capaz de ameaçar a sobrevivência do presidente. O fato novo acordou cedo e entrou em campo às seis da manhã deste sábado. Rodrigo Rocha Loures, o deputado da mala, foi preso pela Polícia Federal. O ex-assessor presidencial já era visto como o homem-bomba do governo. Agora seu pavio está aceso, e uma delação tende a explodir o que ainda resiste de pé no Planalto.

O advogado de Loures diz que ele ficará em silêncio, mas pouca gente acredita nisso em Brasília. Esse discurso foi usado por Marcelo Odebrecht, João Santana, Antonio Palocci e outros réus ilustres da Lava Jato. Depois de algum tempo de cadeia, todos escolheram delatar.

SOB PRESSÃO – Com a mulher grávida, o deputado da mala já vinha sendo pressionado a falar. Ele fez o primeiro aceno ao devolver os R$ 500 mil que recebeu de um lobista da JBS. Para os investigadores, foi um recado de que a propina tinha outro destinatário.

No famoso encontro do Jaburu, Temer orientou Joesley Batista a procurar Loures. Disse que o assessor era de sua “mais estrita confiança”. Dias depois da conversa, a polícia filmou a entrega do dinheiro.

TRAPALHADA – A prisão do deputado da mala é resultado de uma trapalhada do governo na tentativa de salvar o presidente. Há uma semana, Temer demitiu o ministro da Justiça na esperança de controlar a PF. Faltou combinar com o aliado Osmar Serraglio, que se recusou a assumir outra pasta e voltou para a Câmara. Com isso, o suplente Loures perdeu o foro privilegiado e foi recolhido ao xadrez.

Antes da barbeiragem, Temer tentava acalmar o aliado para evitar uma delação. “É um homem de boa índole”, disse à Folha, quando todo o país já havia assistido à cena da mala. “É uma pessoa decente”, repetiu à revista “Istoé”. “Eu duvido que ele vá me denunciar”, acrescentou. Agora a última frase parece tão sincera quanto as duas primeiras.

4 thoughts on “O fato novo se chama Rocha Loures

  1. Nos dias de hoje, pessoa decente aceita mala com 500 mil de propina E ainda arrotam que o presidente é professor de direito constitucional. Ah, ha! Se o Temer é professor, Lula é honesto!

  2. Temer faz uma confissão de dívida, quando, se referindo a Rocha Loures, diz :
    EU DUVIDO QUE ELE VÁ ME DENUNCIAR.
    Quem não deve, não teme

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *