O ineficiente TCU é o melhor órgão público para se trabalhar

Lorena Pacheco
Correio Braziliense

O Tribunal de Contas da União (TCU) foi eleito como a melhor instituição pública para se trabalhar em 2014, de acordo com levantamento realizado pela Revista Você S/A. O órgão, que atua como fiscalizador das contas do governo federal, conseguiu 77,8 pontos na avaliação como um todo. Este é o segundo ranking feito pela revista. Em 2013, a Eletrobrás Eletronorte venceu como a melhor das instituições públicas para se trabalhar, com 84,3 pontos.

Os maiores índices foram determinados pelos próprios funcionários do tribunal, que hoje conta com 2.552 servidores públicos. Segundo os números, a qualidade do ambiente de trabalho é alta: 84,5% deles estão satisfeitos e motivados com o que fazem, 83% se identificam com a instituição jurídica e 82,4% aprovam seus líderes.

Outros requisitos que se destacaram pela considerável quantidade de pontos foram: a carreira, com 90 pontos; e a estratégia e gestão empregada pelo TCU no ano passado, com 84,6 pontos.

O levantamento ainda traz dados como a idade média dos servidores do tribunal, que é de 44 anos, e o tempo de permanência dos funcionários no emprego, cerca de 16 anos.

O último concurso para auditor foi realizado em 2013. Foram 29 vagas e salário de R$ 12.076,90. O concurso esteve sob a responsabilidade do Centro de Seleção e de Promoção da Universidade de Brasília (Cespe/UnB), e contou com 4.884 inscritos – uma concorrência de 168 por chance.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Em função do número de funcionários, do luxo das instalações, dos altos salários e dos resultados que apresenta, o TCU pouco significa para a nação. É triste ver que é a Polícia Federal que faz hoje o trabalho que deveria ser executado pelo TCU. Mas quem se interessa? (C.N.)

4 thoughts on “O ineficiente TCU é o melhor órgão público para se trabalhar

  1. Prezados colegas,

    Entretanto, o TCU vem sendo acusado de paralisar o país em virtude de ter detectado superfaturamento na maioria das obras executadas pela União no Brasil e ter defendido a sua interrupção. O TCU tem seus defeitos, mas seu corpo funcional é da mais alta qualidade. Isso sem falar no fato de que os Ministros do TCU, que são 9, seis indicados pelo Congresso Nacional e três pelo Presidente da República, muitas vezes amenizam as punições aos gestores corruptos recomendadas pelos auditores federais de controle externo do órgão. TCU, ruim com ele, pior sem ele.

  2. Senhores, o sistema de aprovar ou não, o trabalho dos auditores, pela indicações dos chamados ministros indicados, a maioria (analfabeta em contabilidade), é a causa dos gestores larápios terem a recomendação para o legislativo corrupto aprovar as contas, mesmos estando sob processo penal, e o gestor ladrão, se defende: “o tribunal de contas” aprovou minhas contas!! Roubar milhões não é crime, roubar galinha É, os milhões, quando pego, cadeia em casa (mensalão é prova cabal), a pobre galinha, penitenciária na certa por longos anos.. em que País acontece isso!??.
    Lula e Dilma, acusaram e acusam o TCU, e até o CGU, por seus funcionários concursados e competentes, mostrarem à roubalheira, como impatriotas, por mostrarem o roubo. Os TCEs, estão na mesma situação, só que mais vulneráveis, pela proximidade com os gestores públicos estaduais, municipais, legislativos.
    Ofereço uma sugestão: Toda estrutura de pessoal, ser composta de funcionários concursados, 1 regimento internos RIGIDO e claro para a função de “Auditores”, e um Conselho eleito de funcionários auditores concursados do Tribunal, para “aprovar ou não as contas e recomendações legais, para os processos serem levados à justiça em caso de improbidade administrativa. Como Cidadão, tenho para mais de 60 denuncias TRIMESTRAIS NA ÁREA DE SAÚDE, desde 2004, a 10 autoridades, é o resultado, o que já e do conhecimento de todos”UMA BELA PIZZA À BRASILEIRA”, e o CAOS continua, em razão da hiena indicar a raposa para o galinheiro.
    Salve-se quem puder, o amanhã, vai ser pior que o hoje…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *