O Lula será candidato em 2014

Carlos Chagas                                                        

Sobrou politicamente  o quê para Brasília, na  semana paulista  que passou, comprimida entre a Passeata com Jesus e a Parada de Orgulho Gay, cada qual  com dois milhões de participantes?  Por conta das festas de São João e do feriado religioso na quinta-feira, a resposta seria não ter sobrado nada,  não fosse… Não fosse a entrevista concedida por Gilberto Carvalho ao Portal G-1, divulgada ontem, verdadeira exposição explícita da  arte de usar as palavras para esconder a realidade.

Disse o Secretário-Geral da presidência da República que em 2014  o Lula jamais será candidato  a voltar ao palácio do Planalto, e que 2018 está muito  longe.  Para ele, trata-se de uma conseqüência natural a candidatura de Dilma Rousseff a um segundo mandato. Também falou do relacionamento entre o antecessor e a sucessora, rotulando como coincidência   a vinda do ex-presidente para reunir-se com o PT e, depois, com senadores do PMDB na residência de José Sarney, em meio à crise de rebelião da base parlamentar do governo contra o palácio do Planalto, sem esquecer o episódio Antônio Palocci, então em plena efervescência.  O Lula não teria vindo à capital federal para apagar incêndios, mas, apenas, por ter agendado previamente esses encontros. 

Ficou em cima do muro ao referir-se à nomeação de Gleise Hoffmann para a Casa Civil e de Ideli Salvatti para a Coordenação Política. Carvalho declarou que  não apenas soube, mas participou dessas escolhas, sendo que o Lula foi participado e opinou,  sem tê-las indicado. 

Com todo o respeito e reconhecimento pela habilidade do Secretário-Geral em misturar  fatos e intenções, a verdade parece um pouco diferente. Começa que  Dilma jamais manifestou o desejo de disputar a  reeleição, coisa que tanto Fernando Henrique quanto o  Lula começaram a preparar antes mesmo de terem assumido o primeiro  mandato. A presidente tem os pés no chão e sabe ser impossível conter a avalancha que já a partir do próximo  ano envolverá qualquer aparição  pública do ex-presidente. A campanha do “volta!” será espontânea, independentemente do desempenho do atual governo. Em momento algum Dilma remará contra a maré, ainda mais porque o Lula, mesmo se procurasse esconder-se,  não conseguiria. E sabe muito bem que 2018 está mesmo longe, mas 2014 tão  perto em termos de sucessão presidencial que a ninguém será dado adiar suas preliminares. Seria como  imaginar Mano Meneses armando um time sem pensar na Copa do Mundo daquele ano.                       

Sendo assim, pelo fato de o Lula ser candidato, a consequência é  de que Dilma não será, para tristeza de Aécio Neves, dos tucanos e de qualquer outro  pretendente fora  do PT. 

A gente se  pergunta o que pretendeu Gilberto Carvalho com a cortina de fumaça virtual lançada ontem.  Agradar a presidente Dilma ele não precisa. Tem a confiança dela até por tratar-se do elemento de ligação entre o passado e o presente. Assustar o PT e o PMDB com oito anos de permanência ao sol e ao sereno em termos de nomeações, participação no governo e nas grandes decisões administrativas, também não. Sendo assim, a conclusão é de que o Secretário-Geral abriu a temporada sucessória afirmando precisamente o contrário do que pensa e sabe: o Lula será  candidato em  2014…

***
REI SEM COROA OU COROA SEM REI?                                                        

Quinta-feira o PSDB prestará reverência a Fernando Henrique Cardoso, aqui em  Brasília,  mas não vassalagem.  Pela passagem de seus 80 anos, o ex-presidente será homenageado com discursos laudatórios, ainda que um pouco atrasados, pois deveriam ter sido feitos durante a campanha de José Serra, ano passado. Há quem suponha que, ao  agradecer, o sociólogo venha a ser um pouco mais do que protocolar.  Elegante e bem educado,como sempre, sutilmente ele poderá puxar algumas  orelhas sem defini-las, ainda que os admoestados  venham a saber muito bem ter sido o puxão para eles.  Porque ou os tucanos elaboram logo seu plano de vôo ou se arriscam a ver suas esquadrilhas batendo bicos e asas umas nas outras.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *