O mais importante documento de nossa História

Carlos Chagas

Quando agosto chega, cada vez menos se pronuncia o nome de Getúlio Vargas, apesar de ter sido, de longe, o maior estadista do país. Em sua homenagem, vale reproduzir hoje sua derradeira mensagem, o mais importante documento de nossa História:

“Mais uma vez as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e novamente se desencadeiam sobre mim.

Não me acusam, insultam. Não me combatem, caluniam e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação para que eu não continue a defender, com o sempre defendi, o povo e principalmente os humildes.

Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei um regime de liberdade social.

Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo.  A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho.

A lei de lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a justiça da revisão do salário mínimo se desencadearam os ódios. Quis criar a liberdade nacional na potencialização de nossas riquezas através da Petrobras e, mal começa a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobras foi obstaculada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre. Não querem que o povo seja independente.

Assumi o governo dentro da espiral inflacionária que destruía os valores do trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500% a ano.  Nas declarações de valores do que importávamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano.

Veio a crise do café, valorizou-se o nosso principal produto. Tentamos defender seu preço e a respostas foi violenta pressão sobre nossa economia, a ponto  de sermos obrigados a ceder.

Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma agressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio, tudo esquecendo, renunciando  a mim mesmo para defender o povo, que agora se queda desamparado.

Nada mais vos posso dar a não ser o meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida. Escolho este meio de estar sempre convosco.

Quando vos humilharem, sentireis minha alma sofrendo a vosso lado. Quando a fome bater à vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vós e vossos filhos. Quando vos vilipendiarem, sentireis no meu pensamento a força para a reação. Meu sacrifício nos manterá unidos e meu nome será a vossa bandeira de luta.

Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio, respondo com o perdão. E aos que pensam que em derrotaram, respondo com a minha vitória.

Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo de quem fui escravo jamais será escravo de ninguém. Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue será o preço de seu resgate.

Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não bateram meu ânimo.  Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no  caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História.”

8 thoughts on “O mais importante documento de nossa História

  1. A Carta-Testamento de Getúlio Vargas, infelizmente, até agora foi em vão. Aquilo que ele quis combater até hoje persiste, soberanamente, na vida nacional, a saber:

    “Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei um regime de liberdade social.

    Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo. A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho”.

    Continuamos, à custa de sangue, suor e lágrimas, de todos os brasileiros, especialmente os mais humildes, das classes C , D , e E a ver a corrosão de nossa moeda, a diminuir o poder de compra e para alguns a ter de passar fome porque continuamos sob o “domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais”. Tudo para pagar parte dos juros de uma dívida que não devemos, porque já foi paga inúmeras vezes, por decênios, à custa do sacrifício do povo brasileiro. Vai sair o PT mas vai entrar outro governo eleito pelo povo, que vai continuar fazendo o jogo dos grupos econômicos financeiros internacionais. Os brasileiros, mesmo com decênios de exploração, até o dilaceramento, ainda não aprendeu quem são nossos inimigos.

  2. Sim Carlos Chagas, a carta testamento escrita por Getúlio Vargas quanto do seu suicídio as 8h do dia 24 de Agosto de 1954 é sem dúvida o documento mais importante de nossa história republicana. Nunca é demais “publicá-la. Mas neste momento a situação é totalmente diferente. Hoje os quarteis não recebem mais as “vivandeiras”. É só lermos o que disse o general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas Comandante do Exército: Os movimentos de rua estão fora da realidade quando falam em impeachment. Mesmo porque a presidente Dilma é a Comandante-em- Chefe das Forças Armadas. Também não esxiste a presença ostensiva dos americanos. É bem verdade que não perdoam Dilma pela união com os BRINCS. (Não jogam mas apostam que o melhor para eles seria o Brasil sem Dilma). O problema da Dilma foi ter humanamente aceitado o convite do PT para deixar o PDT oferecendo-lhe ministério, casa civil e a candidatura a presidência. Eleita recebeu o bonus e o ônus. Mal sabia que o “capo de tuti capo” José Dirceu tinha armado um esquema de corrupção nunca visto na história do Brasil quiçá do mundo. Creio que nem todas as cabeças do PT soubessem. Dirceu diabolicamente armou tudo para ser candidato já em 2006. Foi denunciado mas continuou a roubar envolvendo quase todo o PT. Dilma não meteu a “mão na combuca”. Mas não soube defender-se das acusações de ter mentido para ganhar a eleição. Se falasse ao povo dizendo que não esperava que o preço do petróleo caisse de 100 para 50 dólares o preço do ferro a mesma coisa sendo esta a razão de ter que mudar seus planos a situação creio, estaria melhor. O PT por sua vez mesmo Dirceu sendo condenado continuou a endeusá-lo como se fora um herói em vez de expulsá-lo. Agora veio à tona o que eu já escrevi a bastante tempo dizendo que tudo que está acontecendo é culpa do mafioso Dirceu. Só resta a Dilma dizer o que disse ou mandou dizer à mídia sobre o imbrólio Dirceu: Isso é com o PT. A verdade é que a “alcateia de cães selvagens da política querem a cabeça de Dilma, pois com ela no governo todos os bandidos serão rigorosamente punidos”. Com qualquer no governo tudo se arranjará.

    • O general Villas Boas, se foi corretamente citado, diz uma bobagem quando diz que falar em impeachment é estar fora da realidade “mesmo porque a presidente Dilma é a Comandante-em-Chefe das Forças Armadas”. O ex-presidente Collor também era, e renunciou para não sofrer o impeachment. As Forças Armadas, começando pelo seu ou sua Comandante-em-Chefe não estão acima da lei, dizer o contrário é defender um golpe militar. O general poderia dizer no máximo que “não existe probabilidade de ela ser deposta por ação das forças armadas”.

  3. Importante lembrança de Chagas publicando a Carta Testamento de Getúlio Vargas, neste mês que traz lembranças trágicas aos brasileiros, agosto.
    Chagas publicou o texto datilografado, que me faz pedir-lhe licença e registrar a carta manuscrita:

    “Deixo à sanha dos meus inimigos, o legado da minha morte. Levo o pesar de não ter podido fazer, por este bom e generoso povo brasileiro e principalmente pelos mais necessitados, todo o bem que pretendia. A mentira, a calúnia, as mais torpes invencionices foram geradas pela malignidade de rancorosos e gratuitos inimigos numa publicidade dirigida, sistemática e escandalosa.
    Acrescente-se a fraqueza de amigos que não defenderam nas posições que ocupavam à felonia de hipócritas e traidores a quem beneficiei com honras e mercês, à insensibilidade moral de sicários que entreguei à Justiça, contribuindo todos para criar um falso ambiente na opinião pública do país contra a minha pessoa.
    Se a simples renúncia ao posto a que fui levado pelo sufrágio do povo me permitisse viver esquecido e tranqüilo no chão da pátria, de bom grado renunciaria.
    Mas tal renúncia daria apenas ensejo para, com mais fúria, perseguirem-me e humilharem-me.
    Querem destruir-me a qualquer preço. Tornei-me perigoso aos poderosos do dia e às castas privilegiadas.
    Velho e cansado, preferi ir prestar contas ao Senhor, não dos crimes que não cometi, mas de poderosos interesses que contrariei, ora porque se opunham aos próprios interesses nacionais, ora porque exploravam, impiedosamente, aos pobres e aos humildes.
    Só Deus sabe das minhas amarguras e sofrimentos.
    Que o sangue dum inocente sirva para aplacar a ira dos fariseus.
    Agradeço aos que de perto ou de longe me trouxeram o conforto de sua amizade.
    A resposta do povo virá mais tarde…”

    Há quem atribua o estilo do texto “oficial” ao redator dos discursos de Vargas, o jornalista José Soares Maciel Filho. De fato, Maciel Filho confirmou à família do presidente que datilografou a versão lida para a imprensa, mas nada disse sobre tê-la modificado. De todo modo, por causa da carta-testamento, Maciel Filho é conhecido como o ghost-writer que saiu da sombra habitual do redator de aluguel para entrar para a história (História Viva, as Duas Cartas de Vargas).

    Houve um tempo neste Brasil que alguns homens e principalmente políticos tinham honra, decência, dignidade.
    Getúlio se matou porque foi envolvido no atentado a Carlos Lacerda, atitude pessoal do seu guarda-costas, Fortunato.
    Nas páginas de seu jornal, A Tribuna da Imprensa, Lacerda apontou Getúlio como culpado pelo atentado:
    “Acuso um só homem como responsável por esse crime. É o protetor dos ladrões, cuja impunidade lhes dá audácia para atos como o dessa noite. Este homem chama-se Getúlio Vargas”, escreveu.
    Diante dessa calúnia, não resto ao gaúcho que oferecer a sua vida à verdade!
    O tempo e as pessoas eram outros, indiscutivelmente.

  4. GETULIO VARGAS era de um tempo que os politicos e os homens em geral tinham vergonha na cara. Haja visto o triste destino que tiveram os jogadores da seleção de 1950 que foram amaldiçoados para todo o sempre por causa de uma derrotinha suada de 2×1 e os nossos atuais jogadores babacas e chorões, que passam por uma humilhação de 7×1 e ainda continuam por aí botando banca com milhões no bolso, iates, jatinhos e mulherões.
    NEIMAR E CIA, a batata de voces também está assando, se até crápulas poderosos como Zé Dirceu e outros grandes canalhas/empresários/empreiteiros estão dançando e se Deus todo poderoso permitir, e ele há de permitir, pegarem o larápio LULLA 9 DEDOS, voces também irão prestar as devidas contas, começando pelos fiscos europeus e chegando aqui nas barras dos nossos tribunais.

  5. Getúlio Vargas era um nacionalista, plantou o alicerce para o desenvolvimento
    do Brasil, isso não interessava as elites, as multinacionais e alguns militares golpistas. Getúlio percebeu a eminência do golpe e corajosamente liquidou os golpistas com seu
    suicídio. João Goulart, sem dúvida seguiria a linha de Getúlio. Jango era odiado pelas
    mesmas elites e multinacionais, os militares de cúpula e os americanos não o queriam na Presidência de jeito nenhum. Sendo João Goulart empossado, não teve alternativa, correu para o apoio do povo e dos
    sindicatos para fazer frente as mesmas forças reacionárias que Getúlio se referira. Infelizmente uns poucos comunistas e infiltrados como o Cabo Ancelmo tumultuaram o país, dando elementos
    para o golpe. É necessário deixar claro que João Goulart, seus Ministros e Brizola não eram comunistas.
    Acredito que se os militares da época dessem apoio ao governo do João Goulart, mesmo desagradando os americanos certamente não haveria todo aquele tumulto e confusão.

  6. Wilson Batista Junior, não repeti “ipsis litteris” o que o general falou. Ele realmente falou que os movimentos estão fora da realidade e que Dilma é Comandante- em- Chefe das Forças Armadas. É verdade que falou sobre o que chamas atenção. Faz mais de um ano que falou. Mesmo que eu não me lembre detalhadamente o que o general falou. Não posso dizer que falou bobagem referindo-se aos movimentos. É um chefe militar de alto gabarito e mesmo não concordando com que ele falou. Devemos refletir, assim penso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *