o papa est certssimo ao criticar o capitalismo

Flvio Jos Bortolotto

O Papa Francisco declarou que o Capitalismo gera muita produo, resultando at em excesso de consumismo, devido m distribuio da grande renda gerada. Uns se do ao luxo de jogar comida fora, enquanto outros passam fome por no terem emprego.

E hoje no h emprego para todo mundo, especialmente na Europa, entre os jovens. O Papa sabe que as Leis de Produo do Capitalismo so imutveis como as Leis da Natureza, j demonstradas em todos os Manuais de Economia Poltica, desde o grande Adam Smith (1776).

Mas o Papa sabe que a distribuio do Produto gerado feita pelo Homem, e pode ser qualquer uma. No entanto, deve ser aquela que a Sociedade considera a mais justa Por isso, os catlicos exigem pleno emprego e salrios com participao nos altos lucros obtidos. Corretssimo.

O Papa no tocou no assunto, mas explicar que a Produtividade (Produo por Hora Trabalhada) venha crescendo, nos ltimos 20 anos, base de aproximadamente 3% ao ano, enquanto a Mdia Salarial, tambm, nesses ltimos 20 anos continua totalmente estagnada, em termos de poder de compra, para quem consegue emprego.

O Papa Francisco est certo em pedir uma boa regulao para o Capitalismo de Mercado. Quem o critica desconhece (ou tenta desconhecer) a realidade.

49 thoughts on “o papa est certssimo ao criticar o capitalismo

  1. 1 : Antes sobrar do que faltar.
    Em Cuba com seu anti-capitalismo, no sobra nada. Nem lixo deve ter naquele paraso infernal. Falta tudo.

    2 : Nada perfeito e no vai ser o capitalismo que o ser. Assim, todos devemos fazer crticas s suas falhas, desde que no se crie excesso de regulamentos que acabam por inibir a produo.

    3 A China que j viveu o outro lado e h pouco at anunciou que a iniciativa privada poder tambm ser dona de suas estatais. J viram que estatais no produzem tanto quanto a empresa privada. Aqui mesmo a Vale, a telefonia e a EMBRAER foi assim.

    Para finalizar, o “capetalismo”, como dizem os inocentes teis que acreditam em Papai Noel, bem menos pior do que outro sistema.
    Ou seja, ruim com o capitalismo, pior sem ele.
    A China sabe disso.

    Esse papa disse que deve-se jogar criminosos no mar. Isto, vindo de sua boca-santa soa um pouco estranho. No mesmo?

  2. Certamente em razo de a Igreja Catlica ser muito flexvel com relao aos pecadores, os banqueiros so muito religiosos, frequentam as missas, devem se confessar, mas guardam para si os lucros exorbitantes obtidos da transao em dinheiro com os necessitados, cultivando um egosmo imperdovel porque poderiam resolver as mazelas dos povos do mundo inteiro, se quisessem.
    O Papa sabe como ningum desses cinismos e hipocrisias que falsos beatos demonstram, tendo pleno conhecimento de fortunas guardadas a sete chaves e que jamais sero destinadas s melhorias de vida de empregados e dos que precisam de ateno.
    Francisco tem pleno conhecimento que o sistema capitalista regido por homens que somente visam o dinheiro, que o cifro o Deus que cultuam, morrem e matam por ele, e que tem sido assim desde os primrdios, e que religio e f no conseguiram substituir esta ganncia, esta obsesso pelo vil metal.
    O problema no o dinheiro mas, o homem, e o que ele faz com a moeda.
    O ponto nevrlgico a ser tratado e combatido reside no ser humano, na sua nsia pelo poder, de ser mais que o outro, de subjugar pessoas sua vontade, de ver o prximo se humilhar perante seus ps, de sentir-se deus!
    A maior tarefa de Francisco ser mudar o corao dos homens que tm dinheiro, e no alterar o sistema capitalista porque este impossvel de ser modificado sem que haja boa vontade dos donos do capital, simples.
    Francisco dever exercer com maestria a sua funo de introduzir nesses coraes que sentem amor pelo dinheiro um pouco de considerao pelos que nada tm, que precisam amenizar os problemas da raa humana, e que no levam consigo as fortunas quando morrem, pois a bagagem apenas constituda de obras feitas ao ser humano e no para si mesmo e, certamente, Deus no soma os tesouros acumulados, mas a caridade distribuda e a felicidade que tais gestos ocasionaram aos que tanto clamavam por ajuda.
    O Papa tem a seu favor ser originrio de um Pas que conheceu o apogeu e a decadncia, e com ele como testemunha!
    Sabe como a fome, a misria, e conviveu com argentinos que foram perseguidos e mortos durante a mais violenta ditadura militar do cone sul, alm de ter constatado a irresponsabilidade dos militares quando se empenharam em declarar guerra ao Reino Unido, uma busca incessante para compensar os males que haviam feito ao prprio Pas e que seria atravs da recuperao das Malvinas.
    Francisco conheceu a injustia econmica e moral; social e poltica.
    Ele sabe para quem est dirigindo este recado, e se o deixarem livre para desempenhar seus objetivos. Francisco ter uma trajetria de grandes embates com o poder econmico mundial, mas estar fortemente alicerado na determinao do povo em ouvi-lo, obedec-lo, seguir-lhe os conselhos, em prol de um mundo mais justo e equnime.
    E, se quiser virar santo em vida, ento que refaa a administrao da Igreja e tambm colabore com as riquezas do Vaticano oferecendo-as aos pases africanos, em princpio, depois os asiticos, at chegar s Amricas e suas ilhas belssimas caribenhas, principalmente Haiti e Cuba, demonstrando ao mundo e s pessoas que o catolicismo ignora as barreiras polticas, preocupa-se com as pessoas, quer o bem de todos, indistintamente.
    Por enquanto, apontar os erros j ajuda, mas resolver a questo se partir da Igreja a iniciativa de diminuir a pobreza e seus males em consequncia, logo em seguida.

  3. Excelente comentrio do Francisco Bendl,. No demora muito vo dizer que o Papa comunista.
    Existe uma mentalidade de que se voc contra o capitalismo selvagem, ento voc comunista.
    Nem uma coisa nem outra, devemos ser a favor dos nossos semelhantes. Que sentimento e
    conscincia tem um indivduo que vive bem e fecha os olhos para milhes de brasileiros, principalmente
    crianas (vtimas inocentes) que passam fome, morrem por doenas proveniente de subnutrio, so
    prostitudas e submetidas a trabalhos escravo, o que eu no entendo, que o pas tem super safra de
    gros e tem muitos brasileiros que no tm o que comer, principalmente no interior.

  4. Prezado Nlio Jacob,
    Obrigado.
    Penso que religio deva ser sinnimo de caridade muito antes de pedir a seus fiis que exercitem este sentimento.
    Afinal das contas, meu amigo, “o mandar se executa mas, o exemplo, arrasta”.
    Um abrao, Nlio, e teu texto vigoroso neste sentido.

  5. Senhores,

    No sou especialista em capitalismo ou comunismo, mas creio que quem tem a obrigao de distribuir renda o governo, e a melhor maneira de fazer isso aplicar bem os recursos arrecadados.

    No seriam os pases com menor desigualdade social aqueles que tambm tem o menor nmero de bandidos no Estado e, consequentemente, o melhor aproveitamento dos impostos arrecadados?

    A braos.

  6. Franciscos iluminados falam e escrevem … com a inveno da TV, Chicos que j mal ouviam e liam, hoje tambm nem mais procuram uma curimba! (Nada a ver com o nosso Bendl, Francisco)

    Rpido e rasteiro! Com o advento da Lnguista Moderna, embora acanhadas manifestaes oralizadas entremuros universitrios ou em debates com frum e rigores cientficos, alguns fillogos, etimlogos, semilogos e mesmo gramticos normativos e dicionaristas a mil e uma tonalidades, (ao menos alm-mar), passaram a adotar forte resistncia quando das bolhas gramticais produzidas pelos segmentos de informao, formatao de opinio/consumo e entretenimento de massas. Prosaico exemplo, o uso abusivo de palavras tais comunismo e capitalismo, em nada acrescenta aos debates ou fornece percepo quanto a natureza/formao de um Estado-Nao e sistemas de produo, estruturao poltica e social. V l, pelo custo e reduzido espao de exposio nos segmentos miditicos impressos, sonorizados ou pelado, no sobra espao para esclarecer-se que a demonizao ou apologias de algumas palavras, demanda dias de vadiagem por praas gregas e romanas, quis, tempos anteriores ao deslocamento do ser humano aos galhos das rvores e teias de aranhas. Contudo, – Lampio e Maria Bonita que me guarde!-, as nomenclaturas referidas acima, a partir da segunda dcada do sculo XX (sobremaneira e eficientemente entre almofadinhas, gazeteiros e cabos-eleitorais), viraram bolhas venenosas, moda desde centros de doutoramentos, quartis, delegacias de polcia, banquetas de jardim de infncia e tema de sermo do padre no missal aos domingos e feriados.

  7. Meu caro Francisco Vieira, de Braslia,
    Tens toda a razo em se tratando de pases que possuem alto nvel educacional, que contempla a sua populao com conhecimentos e discernimentos a respeito do que bom e ruim sociedade.
    Desta forma, as eleies apresentam candidatos srios, honestos, que sabem antecipadamente as suas responsabilidades no para com seus eleitores, mas tambm com o povo em geral.
    Esta a diferena para as naes “emergentes”, cujos parlamentares consideram seus diplomas como prmio por suas campanhas e devem compensar os gastos, alm de entenderem que a grande chance para enriquecer e deixar bem a famlia e apaniguados.
    Ora, como os padres – e estamos abordando o Papa, razo pela qual trata-se do catolicismo – so pessoas que estudaram, que possuem faculdade, a maioria exerce o Magistrio, conhecem a populao de suas parquias e de seus segredos, evidentemente, recai sobra a Igreja a funo de alertar os mais ricos quanto desigualdade aviltante e humilhante, situaes que ofendem a Deus e vo de encontro aos ensinamentos de Cristo, em consequncia.
    O Papa sabe que no pode alterar os rumos do capitalismo pela sua dimenso mundial, mas reconhece que atravs da caridade e motivando os fiis catlicos ricos para tal fim, ele pode iniciar uma campanha que obrigue o abastado a pensar um pouco no necessitado, no bem que aquele dinheiro depositado poderia fazer pela populao, apelando exatamente pela palavra que sinnimo, repito, de religio, a doao, a oferta.
    O nosso problema nacional flagrantemente poltico, de verbas arrecadadas aos borbotes e mal versadas, mal distribudas, mal aplicadas porque o parlamentar quer utilizar-se delas sua reeleio, e a distribui para locais onde vislumbra a possibilidade da reeleio, e no porque ela esteja precisando de auxlio monetrio.
    Desta forma, bilhes de reais so desviados de seus destinos para atender interesses eleitoreiros, de partidos desonestos, de gente que no pensa na populao e Pas, mas em si mesma e cmplices.
    Certamente que a causa desses ilcitos reside na Educao do povo que, ignorante e alheio s tramas do jogo poltico, acredita no demagogo, vota nele, mas continua morando mal, sem transporte digno, sua rua tem esgoto a cu aberto, sem calamento, sua casa no tem aprovao da prefeitura, a luz vem dos milhares de “gatos” existentes e a sua vida permanece sempre merc desses aproveitadores da desgraa alheia, nada diferente da indstria da seca do nordeste, que elege maus representantes e que se locupletam rapidamente, enquanto que nossos irmos nordestinos seguem com a sua via crucis a cada ano pela falta d’gua, poucos poos artesianos e projetos que possibilitassem que a plantao no ficasse apenas dependente da chuva, que inconstante.
    Pois nesse espao que entra a Igreja, no seu trabalho de conscientizar os ricos em ajudar os que precisam, os que so carentes, os esquecidos e explorados por governos que vo e vem e nada resolvem!
    Bom, meu Francisco, esta a minha opinio, e aceito pareceres contrrios, lgico.
    Um abrao, xar.

  8. Eu costumo usar o termo CAPETALISMO e no acredito em papai noel. S meu filho de 6 anos! Rsrs

    Qual a fonte da sua afirmao de que o papa disse “que se deve jogar criminosos no mar”?

    P.S: senhor Francisco, eu deixei um textinho para o senhor naquele artido do Newton que fala que este jornal laico.

    • Prezada Mnica,
      Apesar de haver vrios Francisco na Tribuna, procurei o tema que apontavas haver um “textinho” para mim.
      Constatei que, em relao ao capitalismo e ao Papa, temos pontos em comum.
      Alegro-me com esta identidade de pensamentos nossos em sua grande parte, haja vista tratar-se de uma mulher que sempre ter consigo diferenas de interpretaes com os homens, pois vocs abrangem mais detalhes, pormenores, analisam melhor a situao do que ns.
      E a tua presena neste blog salutar, pois este confronto que haver sempre conosco precisa da opinio feminina porque a Humanidade no exclusiva da mulher ou do homem, mas de ambos.
      E assuntos postados que abordam a existncia de um e de outro, necessitam fundamentalmente deste confronto, desta exposio de idias tanto da mulher como do homem porque diz respeito vida de cada um, e necessitamos encontrar um denominador para certos problemas e impasses que dificultam vivermos melhor.
      Obrigado, Mnica.

  9. Particularmente, a INTENO do papa Francisco, o primeiro por quem me “apaixono” em anos, boa. Mas a do Vaticano, NO. Ele sempre procura podar at as palavras do papa, imagine suas aes.

  10. Mnica, prezada, o papa falou isso h poucas semanas. Deu em todos os canais de TV.
    Ele mais biruta.

    No creia no prximo.
    Eu no creio ……nem na minha mente.
    A mente mente.

  11. Mnica , ter filhos no crena. uma determinante do corpo.
    Milhes de anos.
    O corpo fala por si.
    A verdade se manifesta por seus sentidos.
    J, a mente, que apareceu muito depois nos humanos, mente.
    Com ela ficamos obcecados pelo ideal e ele nos tira do srio.
    Com a mente perdemos o paraso.
    Acredite se quiser.

    • Mauro Julio Vieira, sem mofa, grande contribuio de sua cabea, para uma tese de Doutoramento em Humanidades, bem alm das produes disponabilizadas pelos autores do Humanismo Clssico, Moderno e Contemporneo Ocidental!

      -“ uma determinante do corpo. Milhes de anos. O corpo fala por si. A verdade se manifesta por seus sentidos. J, a mente, que apareceu muito depois nos humanos, mente. Com ela ficamos obcecados pelo ideal e ele nos tira do srio. Com a mente perdemos o paraso.”

      Sigo no aguardo de novas contribuies!

      • Obrigado Sucupira.

        que , depois das artes plsticas, que foi uma chatice no fazer para vender, eu resolvi observar e constatar a realidade e estudar um pouco da Histria.
        Virei filsofo de esquina. Ctico.
        De vez em quando acerto uma. Se que acerto.
        Obrigado, de novo.

  12. C comigo: eu poderia caprichar mais na escrita. Mesmo assim as minhas mal traadas do pro gasto. Tambm quem mandou ser preguioso e s ter lido 2 livros.
    Mas, melhor escrita, mais sucesso.
    Eh, vou pensar nisso.

    Ta, quer saber?….vou dormir com essa.
    boa noite

  13. No a primeira vez que um Papa tece crticas ao capitalismo. Nenhuma novidade, nesse ponto ha inteira convergncia com os comunistas, assim como tambm no seria nenhuma novidade o Papa criticar o Socialismo, nesse ponto, inteira convergncia com os capitalistas. Faltou apontar a terceira via, bvio, esta no existe.

  14. Prezado Sr. ANTONIO CLUDIO, bem como o senhor diz, no a primeira vez que um Papa critica o Capitalismo e mais ainda o Socialismo, porque este tem o mau costume de EXPROPRIAR a Propriedade alheia, inclusive a da Igreja.
    Mas a TERCEIRA VIA j existe, e fruto de todas as crticas de Papas, e Todos os outros. Basta ver que o Capitalismo de hoje bem mais Humano do que o do Sc XVIII/XIX , e seria muito melhor ainda, se a velha URSS existisse hoje e estivesse em Expanso.

  15. Mauro, a mulher no tem filho por que o corpo quer, mas por que ELA quer. Este pensamento patriarcal foi construdo sacanamente para aprisionar as mulheres em uma pseudo pureza fsica, da santidade da maternidade. Pobre da mulher que ainda alimenta este pensamento machista! E pior que ela nem tem culpa! o que chamamos de condicionamento mental. Esta sua ideia de maternidade no faz mais o menor sentido para muitas de ns mulheres. Eu tenho uma amiga que no gosta da ideia de ser me e prefere os animais aos humanos.

  16. “Sra. MNICA, vai por mim, CAPETALISMO = CAPITALISMO MAL REGULADO. Mas o CAPITALISMO BEM REGULADO (SCANDINVIA, SUA, ALEMANHA, CANAD, Etc, ) o melhor que o Dinheiro consegue comprar. Soluo perfeita no tem, o melhor que podemos REGULAR BEM, como pede o Papa.

    Abrao a todos.”

    E no que acredito.

  17. Falando genericamente, por que j percebi que h muitos comentaristas aqui com a mente fechada para outras ideias: eu fico muito chateada quando vem um homem querer conhecer mais do MEU corpo, do que eu, tudo por que a cincia diz. Diz o que ? Cara -plida? Sobre nossos sentimentos? Sobre a nossa vontade de sermos ns por ns mesmas e no por que a grande mdia, a sociedade e a Igreja diz?

  18. Prezado Bortolotto,
    Certamente no me fiz entender.
    Tentarei corrigir quando escrevi que a Igreja deveria dar o exemplo e se desvencilhar um pouco de suas riquezas:
    Evidentemente que no h como o Papa dar cem ou duzentos dlares para cada pessoa necessitada mesmo que vendesse um centena de igrejas espalhadas pelo mundo. No foi assim que imaginei doar parte do patrimnio imensurvel do Vaticano.
    A minha idia no sentido de a Igreja colaborar na construo de hospitais, escolas, creches, alimentar os famintos, adquirir remdios para os doentes, aparelhar os hospitais, contribuir para amenizar o sofrimento dos que precisam e que os pases e governos viram as costas para esses males, principalmente o sistema financeiro que seguidamente ocasiona rombos por m administrao e correm para cobrir tais desvios.
    O papa deseja que esta Regulao mais atinja o corao dos homens que o mecanismo que rege a economia e impostos, sabendo que dificilmente conseguir modificar a engrenagem existente h dcadas que move as finanas de cada Nao e suas formas de aplicao.
    Ora, meu caro Bortolotto, haja vista a Igreja tambm exercer e utilizar dos meios conhecidos para se manter e sustentar a sua estrutura e milhares de padres e seminrios e abadias, o que a notabiliza e diferencia dos bancos seu extraordinrio patrimnio, incomparvel com qualquer banco internacional ou poderosa multinacional.
    Eu s citaria a ttulo de exemplo, as igrejas existentes na Espanha, as catedrais, cujos valores so incalculveis e tambm em quantidades espalhadas naquele pas, pois so verdadeiros tesouros, relquias, que tais construes centenrias e fantsticas contam a Histria da Pennsula Ibrica, alm do perodo mais dantesco da Igreja que foi a Inquisio.
    Pois a venda de alguns desses templos maravilhosos, certamente contribuiria para ajudar nas carncias que mencionei acima, e que no seria sinnimo de se dar o peixe, mas, pelo menos, possibilitar que tenham canio e isca para pescar.
    Um abrao, meu caro Bortolotto.

    • Prezado Sr. FRANCISCO BENDL, agora sou eu que peo desculpas por no ter me expressado bem. Concordo com o senhor que a ICAR, atravs do Papa, Cria e Clero devem dar exemplo de CARIDADE. O papa tem chamado ateno para o fato, dando exemplo: vivendo modestamente, usando automveis populares, carregando a sua prpria mala (que no contm os Cdigos da Bomba Atmica), rebaixando a simples Padre o senhor Arcebispo de Lymburg (Alemanha) por ter “esbanjado” +- US$ 40 Milhes em reformas no Palcio Episcopal, recomendando que os Conventos/Seminrios desocupados se transformem em Casas de acolhimento de Necessitados em vez de luxuosos Hotis, etc. Agora entre “O dire, e il fare, ch il mare”.
      De qualquer forma, o Papa Francisco tem feito mais do que os anteriores nessa questo. Abraos.

  19. Infelizmente desde que nasci sempre ouvia criticas sobre o capitalismo,porm nesse longo perodo que vivo, tenho visto que quem esta fora do capitalismo esta doido pra entrar nele.hoje pela prpria desigualdade no mundo o mesmo se tornou selvagem.

  20. Prezado Sr. LUIZ FERNANDO FREIRE JUNIOR, a meu ver, a maioria dos Crticos do Capitalismo, como o Papa Francisco que recentemente disse ” que o Capitalismo tem um MAL DE RAZ “, que significa M DISTRIBUIO da Riqueza gerada, se refere a DISTRIBUIO, no a PRODUO. E para que a DISTRIBUIO seja mais Justa, nada melhor do que uma ex-URSS em expanso, ameaando sempre a EXPROPRIAR o Patrimnio dos Plutocratas. Foi uma pena que a URSS implodiu. muito ruim para o prprio Capitalismo. Abraos.

    • Prezado Sr. MAURO JLIO VIEIRA, as Religies orientam e limitam naturalmente nossas escolhas e em dispor de nossos corpos do jeito que bem entendermos. Por exemplo,a Religio Hebraica probe um Homem de se vestir como mulher e vice-versa, etc. nesse sentido que a Sra. MNICA fala. A Igreja Catlica orienta a se comer peixe toda a sexta-feira, em especial na sexta-feira santa. Os Muulmanos, no ms sagrado do Ramadan s podem fazer uma refeio completa aps o por do sol, etc. Todas tem a sua Disciplina que interferem em nossa Liberdade de Escolha e em dispor do nosso Corpo.

  21. Prezado senhor Bortolotto

    Na verdade eu me referia especificamente s mulheres: os homens quase sempre dominaram o mundo. O senhor Mauro escreveu que eu tive um filho pela questo biolgica. Eu disse que eu o tive por que o quis. Assim com muitas mulheres hoje em dia. Quando optam por no desejarem ser mes, so mal vistas, como se ser me fosse obrigao, como se fosse A realizao da vida de uma mulher. Eu digo que NO. Eu sou me, mas esta foi uma das minhas realizaes, j que era uma vontade, mas no A. Ainda me faltam muitas experincias. Assim como eu, muitas pensam e sentem isso contra esta idealizio da maternidade que muitas de ns lutamos.

  22. Caro francisco Bortolotto, no tenho nada contra religio, a no ser as duas que querem dominar o planeta totalitariamente, a marxista-leninista e a islmica.
    Sempre falo aqui do advento da mente.
    Para mim qualquer produto da mente fantasioso. Mentira.
    Verdade mesmo s o corpo captura.
    Enfim, sempre deixei claro que nas minhas constataes que religio ou ideologia so a mesma coisa. Produtos da mente tm como fim escravizar o prximo.

    Depois da mente
    o ideal
    A farsa
    Etc e tal

  23. Obrigado Sucupira.

    que , depois das artes plsticas, que foi uma chatice no fazer para vender, eu resolvi observar e constatar a realidade e estudar um pouco da Histria.
    Virei filsofo de esquina. Ctico.
    De vez em quando acerto uma. Se que acerto.
    Obrigado, de novo.

  24. Para mim, Mnica, a biologia trata de fatos concretos. Do palpvel. Nisso creio. Sentimentalismo coisa de cada um. viver as histrias criadas pela mente e se emocionar. Sentir a mente. Maior respeito a todos fazerem ou serem o que quiser.

  25. O senhor fala de sentimentalismo babaca. Eu falo de FATOS. Alis, a Cincia AT h pouco tempo, tratava a homosexualiDADE de homosseXUALISMO ou como doena. Sou feminista meu caro e falo sobre FATOS: o de a mulher NO querer um filho e NO de o corpo por mera questo biolgica engravidar sem que a mulher tenha vontade: para isso temos mtodos contraceptivos e se ainda assim no der certo, encontrando-se possibilidades, aborta-se mesmo correndo riscos.

  26. Tomara que este pas, laico de direito, torne-se de FATO e uma mulher possa abortar at a 12 semana de gravidez quando o embrio ainda no tem sistema nervoso formado. A sim a mulher poder se dizer DONA do seu corpo, sem que o estado e a religio cerceiem seu direito mais.

  27. Mnica eu no falei de sentimentalismo babaca.
    Apenas defini o que sentimentalismo . Um dado concreto.
    E depois, ainda escrevi que respeito as pessoas serem do jeito que quiser.

    Calma, Mnica.

  28. Ps. No t nem a pro que a mulher quer fazer ou no. Aborto ou ter filho. Isso nem me interessa.
    S tenho interesse em mim. Respeito os outros e outras.Ponto.

  29. Que bom que o senhor respeita, senhor Mauro! Se todos fossem assim, no haveria tanto preconceito no mundo. E desculpe se pareci alterada, na verdade, no gosto de sentimentalismo, por isso falei “babaca”. Nada pessoal. Na verdade, quem costuma falar assim o meu marido a respeito do sentimentalismo. Interessante que acabei concordando com ele.

  30. Voltando ao capitalismo, um de seus motores, ou talvez o principal, a competio. Por isso, num regime de liberdades como nos EUA o progresso teve lugar garantido. J, no outro extremo onde se praticou o anti-capitalismo como na URSS, o atraso e a misria imperou. No havia liberdade para a competio, cujo prmio seria a realizao de sonhos individuais.
    Onde a URSS teve algum sucesso foi na rea espacial e armamentista, justamente porque teve que competir com seu rival , os EUA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.