O pior momento da OAB, transformada num grupo que age como um partido de esquerda

t

Felipe Santa Cruz transformou a OAB numa sucursal do PT

J.R.Guzzo
Estadão

Caminha para o seu lamentável final, ao se aproximar a conclusão do mandato de três anos da atual diretoria, o que foi possivelmente o pior momento da Ordem dos Advogados do Brasil em toda a era regida pela Constituição de 1988. A “Ordem”, que já vinha se degenerando há muito tempo, foi definitivamente a pique, nestes últimos três anos, como a real representante profissional e legal de mais de 1 milhão de advogados brasileiros.

Transformou-se num grupo que age aberta e sistematicamente como um partido político de esquerda e ignora por completo, em tudo o que faz, que há no Brasil advogados de convicções políticas diferentes das que são praticadas pela sua direção.

MAIS DO MESMO – A diretoria de hoje vai embora em 2022, mas isso não quer dizer que os advogados brasileiros terão uma OAB diferente da que vai ser deixada pela calamitosa gestão atual. O que se espera, pelo menos até o momento, é uma maciça dose de mais do mesmo – a máquina que controla a entidade está a caminho de eleger uma diretoria tão militante quanto a de hoje, em mais uma vitória da “situação”.

Troca-se o Zé Mané pelo Zé Prequeté, e a OAB vai continuar igual: engajando o seu nome, as suas funções legais e os seus recursos financeiros, superiores a R$ 1 bilhão por ano, na defesa de projeto políticos totalitários. Vale tudo: a pauta de ação da OAB vai do apoio apaixonado à Cuba, à Venezuela e à “Palestina”, até o capricho mais extravagante de qualquer partideco contra o governo que há por aí.

NÃO HÁ OPOSIÇÃO – A OAB não respeita o princípio da alternância de poder, que exige furiosamente na vida política nacional quando o governo não é do seu agrado, por uma razão muito simples: está organizada de forma a tornar impossível a vitória de qualquer grupo de oposição, ou que pense de maneira diferente.

O fato é que a OAB, por imposição da corrente que controla o seu comando, faz as eleições mais viciadas do Brasil; é como nesses clubes de futebol em que a situação ganha sempre. Não há nada mais “biônico” – como nas farsas eleitorais do regime militar, com os seus candidatos e as suas chapas que não precisavam de votos para ganhar.

O advogado brasileiro que pensa de maneira oposta à atual diretoria – é seu direito constitucional fazer isso – tem chance zero de mudar alguma coisa; podem ser centenas de milhares, mas não influem em absolutamente nada no resultado das eleições.

SEM VOTO DIRETO – A ideia de eleger a diretoria da OAB pelo voto direto e universal de 1 milhão de advogados brasileiros, que seria a única forma democrática de se escolher a sua direção a cada três anos, é a pior blasfêmia que alguém pode fazer perante a aglomeração que há anos controla a entidade.

Voto direto, ali, é coisa de “extrema-direita”, “fascista”, “totalitária”, “antidemocrática” e até bolsonarista. Aceita-se tudo, na OAB – menos que os advogados brasileiros votem em quem quiserem para escolher o presidente e os demais diretores, ou que exerçam a sua liberdade de pensamento.

7 thoughts on “O pior momento da OAB, transformada num grupo que age como um partido de esquerda

  1. Felipe Santa Cruz transformou a OAB numa sucursal do PT

    Ao invés que defender o povo prefere defender bandidos….

    eh!eh!eh
    Demais da conta, esses comunopatas são uma fonte inesgotável de piadas prontas……

  2. Quem rotula o petê de “esquerda” e lulla de “comunista” entrega o seu ideário de bandeja.

    Não no “fundo”, porque gente assim não tem profundidade: é rasa – desde a epiderme à cloaca-, é medíocre como os criminosos milicianos saídos do Rio das Pedras e alçados pelo voto popular para o ilusório poder no planalto central.

    Fazia tempo que eu não lia panfletos travestidos de artigos escritos com tanta má-fé. (Segue a mesma linha da deslumbrada carluxo ou 02.)

    Todavia, enquanto existir defensores de supositório de cloroquina o “articulista” sempre terá acólitos.

  3. A derrocada da OAB, da qual sou filiado, começou na presidencia do Coelho, lulista de carteirinha, que transformou a entidade num puxadinho do PT. Continua mandando pois elegeu o tal Santa Cruz e vai eleger o próximo em processo descrito no artigo de Guzzo. Naõ por acaso, a autora do indecente projeto de quarentena dirigido vergonhosamente a impedir a candidatura do Moro, é a mulher do Coelho. Saudades da OAB do Raymondo Faoro. Quanta diferença!

  4. Esse Guzzo só escreve bobagens… O fascistinha diz que OAB apoia projetos totalitários, enquanto ele próprio apoia o mandatário Genocida da República que pretende um seu – autoGolpe.

  5. Durante o governo de esquerda os mandatários transformaram os contribuintes em pilotos de provas de fábrica de supositório. E a plateia aplaudia e agora pede bis.
    Dom $talinacio Curro de la Grana deixou uma legião maior que as legiões de eunucos do Rei Xerxes, desmamados, e o desmame dói no bolso..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *