O PODER, da potência dos poderosos: história imobiliária, apropriação sem qualquer constrangimento, nada acontecerá

Espantosa, inacreditável, mas rigorosamente verdadeira. Um suplente de senador, que tem atividade empresarial em Minas e exerce o “mandato” em Brasília, na proximidade de acabar o mandato e os negócios muito bem administrados pela mãe, resolveu morar no Rio.

Não tendo problema de dinheiro, decidiu por Icaraí, comprou o maior, mais caro e mais luxuoso apartamento, num condomínio riquíssimo, nessa praia maravilhosa. Mas não foi morar, ainda tinha 2 anos em Brasília.

Um conhecido (?) advogado do Rio, soube do apartamento, conhecia o condomínio (originalmente a família é de lá), ficou encantado, se dá com o suplente, pediu a chave do apartamento, “só quero ver, me dizem que é maravilhoso”. Pela insistência, o suplente emprestou a chave, o advogado ficou com ela.

Gostou tanto do apartamento, que imediatamente mudou para lá, montou todo, levou a família e já é “proprietário” há mais de um ano. Deu festa de inauguração, convidou até vizinhos. Um destes, amigo do suplente, disse a ele: “Você vendeu o apartamento, nem me falou nem nada?”

O suplente veio então ao Rio no fim de semana, foi a Icaraí, o próprio advogado abriu a porta, quando o suplente pediu o apartamento, ele disse simplesmente: “ME TIRA DAQUI”, e entrou, deixando o suplente na rua.

Agora o suplente contratou competentíssimo advogado, que vai pedir REINTEGRAÇÃO DE POSSE, só que o advogado que mora no apartamento, nunca teve INTEGRAÇÃO DE POSSE, não comprou nem alugou.

PS – Embora no novo Código Civil, na relação inquilino-proprietário, haja vantagens para o último, NÃO SAIRÁ DO APARTAMENTO NOS PRÓXIMOS 20 ANOS.

PS2 – O advogado DESALUGADOR nem tomará conhecimento de intimações para deixar o apartamento do proprietário DESALUGADO ou DESAPROPRIADO. Conto a história, rigorosamente verdadeira, para mostrar o que podem essas potências pessoais. E a Justiça e o direito de propriedade? Que República.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *