“O problema do Bolsonaro não é econômico, é civilizatório”, afirma Horácio Piva

Resultado de imagem para horacio piva

Piva, ex-presidente da Fiesp, analisa os candidatos

Josette Goulart
Folha

O empresário Horácio Lafer Piva, 61 anos, é um dos que atesta que o problema de Bolsonaro não é o da condução da economia. Mas ele completa sua sentença: “O problema do Bolsonaro é civilizatório. O Brasil retrocederia neste ponto e voltaria a discutir temas como gênero, segurança… O Brasil não precisa disso”. Piva é o comandante de uma das principais indústrias de papel do país, a Klabin, e foi presidente da Fiesp. Em entrevista à Folha, o empresário disse que se espanta com o fato de o “Centrão” comandar a cena política.

Os partidos que compõem esse grupo — DEM, PP, PRB e Solidariedade — estão sendo hoje paparicados pelas candidaturas de Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB), pela força que podem trazer às suas campanhas, principalmente em tempo de televisão. O MDB, para ele, também é outro grande centro de interesses.

DESCRÉDITO – “Acreditar demais neste momento nos candidatos é perda de tempo”, diz Piva. “Quais são as demandas do centrão? Só vamos saber mais adiante. Me proponho a acreditar no que os candidatos estão dizendo só depois de já terem negociado.”

O centrão tem tido força para barrar votações consideradas importantes pelos empresários, como aconteceu com a reforma da Previdência. E também para apoiar outras reformas consideradas ruins pelo empresário, como a política.

“Maior golpe que teve no Brasil foi o da reforma política, que manterá a política na mãos dos mesmos”, diz Piva, referindo-se às mudanças nas regras que na prática inviabilizam o potencial de novas candidaturas para o Legislativo.

COM CHANCES – Historicamente o empresário é ligado ao tucanato, mas ele não declara voto ou mesmo não-voto neste momento a qualquer candidato.

Na sua avaliação, apenas quatro têm chances reais de se eleger: Alckmin, Bolsonaro, Ciro e Marina. De antemão, coloca dúvidas sobre uma chance real de transferência de votos de Lula a um candidato do PT, que ele acredita será Fernando Haddad.

Marina, segundo Piva, tem grande potencial de se mostrar como uma alternativa ao eleitor desalentado, desde que consiga se destacar na campanha. A candidata terá apenas 10 segundos de tempo de TV.

INCERTEZAS – O empresário diz que Alckmin depende das coligações para decolar e Ciro tem se colocado como uma opção de centro, mesmo que de esquerda. “Mas é muito cheio de certezas e com viés muito estatizante”.

No cenário traçado nas conversas entre empresários e representantes de mercado financeiro, só há uma certeza: a de que ninguém tem certeza. “Mesmo aqueles que tentam apontar as certezas não estão tão certos quando pressionamos um pouco”, diz Piva.

31 thoughts on ““O problema do Bolsonaro não é econômico, é civilizatório”, afirma Horácio Piva

  1. Não entendi o temor desse senhor, Piva, ao alegar que Bolsonaro traria o problema civilizatório, e não econômico(sic).

    Voltaremos à época das fogueiras?
    Iremos morar nas cavernas?
    Nosso sustento será a caça de novo?
    As mulheres saberão o que vem a ser um troglodita?

    Ora, bolas, quem começou com esta discussão abominável sobre gênero não foi o deputado, mas o PT;

    E se deixar de falar em segurança, hoje o maior problema nacional e sem comparação até mesmo com a saúde pública, é o caso de eu perguntar a este senhor sobre o seu grau de alienação dele sobre a realidade brasileira?!

    Bolsonaro desponta nas pesquisas porque a sua plataforma de governo tem dois itens:
    Segurança e corrupção.

    Se não for abordado este tema, que ceifa a vida de setenta mil pessoas ao ano somente pela violência, o Piva é um lunático, tá fora da casinha!

    O presidente da Klabin certamente não mora no país e, se residir, a sua casa deve ser uma fortaleza, com seguranças a cada 10 metros.

    O carro, blindado ou usa o heliponto do prédio onde despacha, a violência não tem motivos para ser discutida pelo empresário, e deve mesmo achar que esta é questão civilizatória!

    Mazáaaaa nádegas frouxas!!!

      • Perfeito, Bendl.

        Essa desgraça só podia mesmo ser fanzoca da Quadrilha dos Tucanalhas Ladrões Corruptos.
        Está vivendo no Mundinho de Faz-de-Conta da Tucanolãndia onde é tudo perfeito, não há violência, e o Mar é de Champagne e o alimento Caviar.
        Uma beleza.
        O Estado onde sua Quadrilha atua há mais de 30 anos se transformou em uma Terra de Ninguém, uma carnificina diária, salve-se quem puder.
        Por essas e outras é que sem uma Intervenção Civil-Militar essa corja ainda vai ficar tirando um sarro da população.
        Com eleição não há solução

  2. “O problema do Bolsonaro” ?
    O problema do Bolsonaro é simples:

    – Na Hebraica (clube-SP) ele mete a maioria da população no espeto: churrasquinho de gato com as “arrobas dessa gente ‘turva’ (afrodescendentes) canalha”

    – Na congregação dos crentes mostra sua foto sendo batizado no rio Jordão e diz: Precisamos falar sobre ‘esses judeus’, e mete o Piva no churrasco: um ‘canalha’ !

    Enfim, pra quem absorve um churumango vinte faces como esse, taí a coisa, simples:
    Bozonaldo é somente mais um político canalha!

    Quem quer um canalha para presidente!
    Olha aê!!! Quem quer bacalhau??!!!!
    ALÔ Roda!! Roda!!! Aeêêê!!!!!
    O problema do Bolsonaldo tá na cara, muito antes de se eleger!
    Diferente do Collor, quando precisamos da Teresinha!!!

  3. Respeitosamente, mas se não fossem os antepassados do sr.Piva, que fundaram a Klabin em 1.889, este senhor estaria catando papel e não fabricando-o, muito menos sendo o presidente das organizações!

    Enfim, Deus dá asas para quem não sabe voar.

  4. “Voltar” a discutir temas como segurança, para ele é irrelevante. Carro blindado, condomínio fechado, seguranças armados acompanhando, de ar condicionado para ar condicionado.
    É filho do ex-senador pelo PSDB Pedro Piva. É primo do ex-ministro das Relações Exteriores e ex-Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Celso Lafer, nos governos Collor e FHC. Satisfeito meritíssimo.

  5. Essa gente diferente vive outra realidade anda de carro blindado com segurança armada , voa helicóptero e jatos particulares , totalmente fora da realidade do cidadão comum …
    Por isso que Bolsonaro não para de crescer !!
    Quando a lei chega perto deles tem sempre um ministro pronto para liberar habeas corpus …

  6. Empresário falando em humanismo e civilização, é como banqueiro preocupado com a vida de seus clientes.

    Para os empresários o candidato ideal é o Henrique Meireles, para o Brasil e seu povo nenhum deles.

  7. “O Brasil retrocederia neste ponto e voltaria a discutir temas como gênero, segurança…”.

    Este senhor deve estar “voando”. Hoje, nosso maior problema é de (in)segurança!

    Talvez esteja com medo de Bolsonaro. No fundo, quem tem mais medo é quem tem o rabo na “seringa”.

    Algum de nós sabe o que acontecerá com o país em 1º de janeiro, independentemente de quem for o eleito?

    Continuo dizendo e repetindo: com eleitores como os brasileiros e com estes candidatos que ai estão, o risco de dar “merda” é muito grande.

    Vamos cuidar, e muito, de quem será o vice!!!

    Fallavena

  8. Leio diariamente a Tribuna e encontro matérias do tipo: Ciro se aproxima do Centrão, Alckmin fecha com PTB, etc, etc. Não acredito que essas coligações vão ter qualquer influência nessas eleições. Acredito que o povo não cai mais nessa conversa fiada dos mesmos de sempre. O que esses políticos querem a todo custo é derrubar a Lava-Jato e para isso apostam em Alckmin ou Ciro Gomes e aposto que nenhum desses dois chega ao segundo turno. Ciro pela boca imunda e Alckmin por ser um corrupto, como todos sabem que é. Marina parece sempre fazer de tudo para perder e Bolsonaro, se colocar militares no governo é capaz de somar milhões de votos por isso. A verdade é que os brasileiros estão cansados de ser roubados, enganados e oprimidos.
    As coligações que tanto falam são apenas configuradas como a venda do candidato ao cabresto de marginais disfarçados de políticos.
    O que posso dizer é que, podem fazer coligações, se venderem aos marginais, mas para ganhar é preciso combinar com o POVO.

  9. O Brasil retrocederia neste ponto e voltaria a discutir temas como gênero, segurança… O Brasil não precisa disso”. Ele diz pq anda cheio de segurança a e helicóptero.

      • Boa noite Sr. Armando.

        O tucano Doria vai ganhar em Sp, posso estar enganado mas vai ser última eleição do PSDB na frente do Estado de SP., caso confirme a eleição de Bolsonaro.

        • Vamos torcer para que isso não aconteça.
          Apesar dos que estão na disputa são do mesmo grupo de politicos sujos que estão atolados na Lava-Rato.
          Igualmente ao Irmão Metralha do Pt, o PSDBandido não tem mais nenhum nome para mostrar que são diferentes como dizem a tucanalhada.

  10. O Bolsonaro não podia ter o apoio do PR de Valdemar mensalão. Agora vem o ALckmin e fecha um acordo com o mesmo PR do Valdemar mensalao, mas o DEM, PRP, SD, PTB do mensaleiro Roberto Jeferson, PP e outro partidos notoriamente envolvidos até a cabeça em corrupção. Mas o Alckmin pode não mesmo? É sua “capacidade de negociação” . Quanta hipocrisia !!!

    • A Rede Esgoto e seus seguidores criticaram a possível aliança do Bolsonaro com o PR. Não pode! É aliança com partido de bandido.

      Agora, o PSDB pode, não é imoral e é até sinal de estratégia política!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *