O PT e a versão bananeira do Pacto de Varsóvia

Percival Puggina

Descobri, há bom tempo, que o Partido dos Trabalhadores tem conceitos próprios sobre democracia e Estado de Direito. Para o PT, democracia é algo que só acontecerá quando ele, partido, exercer a hegemonia e controlar todos os instrumentos do poder. Enquanto isso não se concretiza plenamente, o PT vai manipulando os meios que o regime vigente propicia ao curso de seu projeto.

Graças a isso, o partido conseguiu não ser apenas o PT. Ele é o PT e mais um vasto conjunto de corpos sociais que gravitam ao seu redor. São sindicatos e centrais sindicais; instituições culturais e de ensino; movimentos sociais e grupos minoritários que ele transforma em grupos de pressão a seu favor; grêmios estudantis, diretórios, centros acadêmicos e uniões de estudantes; partidos políticos sem anticorpos contra o uso de recursos públicos; organizações não governamentais; entidades relacionadas às políticas de gênero, ligas pró-aborto e defensoras da liberação das drogas; igrejas e órgãos de peso como a CNBB e a OAB que, convertidos ao rebanho, se entregam à alcateia. Ah, e os conselhos capturados pelo PT! Eles se revelam tão úteis que o partido, agora, pretende “empoderá-los” (coisas da novilíngua petista…) em todo o aparelho estatal federal. A isso e a outro tanto que resultaria exaustivo relacionar, juntam-se, sempre que necessário, organismos e instituições internacionais de isenção mais do que duvidosa.

Para o PT, democrática é toda manifestação desse grupo aí acima. Democrático é o que faz cada tentáculo seu. Ouvi-los, para o PT, é ouvir o povo. E quem o nega passa a ser tratado como cordeiro intrometido no riacho do lobo, acusado das piores ações e intenções.

ESTADO DE DIREITO

Tão estranho quanto a democracia petista é o “Estado de Direito” petista. Nele, Direito é o que o partido quer. Por bem ou por mal. Perguntem ao companheiro João Pedro Stédile que, nesses assuntos, fala pelo partido. E Estado de Direito é algo que vai até onde o PT quer. Por bem ou por mal. Sobre essa parte conversem com o companheiro Gilberto Carvalho. O Estado Direito petista é moldável e elástico segundo suas necessidades. Procurem um pouco e não será difícil encontrar por aí traços comuns aos três totalitarismos do século passado.

Mas no jogo que o PT joga, o Brasil é apenas uma peça do tabuleiro. O jogo tem pretensões maiores. Começou em 1990 com o Foro de São Paulo, promovendo uma convergência multifacetária da esquerda na América Latina e desaguou na União das Nações Sul-Americanas, criada em 2006. Em mais recente estágio, no dia 5 de dezembro, em Quito, com a presença de Dilma, esse organismo, que congrega os países do continente, decidiu criar um programa de formação de quadros militares.

Trata-se da Escola de Defesa, que tem dois objetivos explícitos: produzir uma unidade interna que elimine possíveis conflitos intrarregionais e fortalecer a América do Sul contra o inimigo externo, vale dizer, contra o inimigo ianque. Procure no Google por Unasul e por “Escola de Defesa” (em espanhol e em português), e encontrará informação suficiente. Esse estrupício foi instituído pelo bloco para que o conjunto das Forças Armadas de todos os países componham algo que outra coisa não é senão uma versão bananeira do Pacto de Varsóvia.

6 thoughts on “O PT e a versão bananeira do Pacto de Varsóvia

  1. O totalitarismo quer isso mesmo. O objetivo final é a submissão da Justiça, vejam o caso do Zé Dirceu que foi dar uns bordejos, sem autorização do STF, em SP e nada aconteceu, enquanto o Pedro Henri, por muito menos ganhou uma tornozeleira. O discurso petista atual me lembra da psiquiatra chefe da KGB, que após ‘analisar’ os pacientes nos Gulags terminava os seu laudos assim : ” Mesmo não apresentando sinais claros de distúrbios, o paciente se mostra contrário ao governo. Alguém que é contra um governo tão bom para os trabalhadores deve sofrer de algum tipo de anomalia ” !

  2. As liberdades de expressão, informação e imprensa são pressupostos para o funcionamento dos regimes democráticos, que dependem da existência de um mercado de livre circulação de fatos, ideias e opiniões. Existe interesse público no seu exercício, independentemente da qualidade do conteúdo que esteja sendo veiculado” (Luís Roberto Barroso, RCL 18.638).

    “Preocupa-me o fato de o exercício, por alguns juízes e tribunais, do poder geral de cautela tenha culminado por transformar-se em inadmissível instrumento de censura estatal, com grave comprometimento da liberdade de expressão. (…) o poder geral de cautela tende, hoje, perigosamente, a traduzir o novo nome da censura!” (Celso de Mello, RCL 18.836)

  3. Memórias: Por falar na capital da Polônia, vou contar um fato hilário dos tempos da Cortina de Ferro. Alguns camaradas brasileiros moravam/estudavam na bonita Varsóvia e, bela tarde de domingo foram ao cinema. Claro, a película em questão era um épico soviético sobre a vida de Stálin. Lá pelas tantas, no escurinho da sala de projeção um brasileiro gritou: “Dá-lhe bigode !” e a brasileirada junto com os latinos presentes cairam na gargalhada. O filme parou, as luzes acenderam-se e os lanterninhas começaram a procurar o insolente… mas logo identificaram a galhofa dos latinos… a projeção voltou e os lanterninhas lembraram-se de uma frase atribuída a Lênin: “Os russos fizeram a revolução e os latinos esculhambaram tudo…”.

  4. Depois os fascistas travestidos de ‘esquerda’ falam em trabalhismo petista !
    O ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, anunciou nesta segunda-feira (29) a edição de medidas provisórias (MPs) que tornarão mais rigoroso o acesso da população a uma série de benefícios previdenciários, entre eles seguro-desemprego e pensão por morte.

    As MPs, que na prática significam uma reforma previdenciária, serão publicadas no Diário Oficial da União nesta terça (30). As novas regras passam a valer logo após a publicação, mas precisam ter a validade confirmada pelo Congresso Nacional no prazo de até 120 dias. Conforme o ministro Mercadante, as limitações à concessão dos programas servem para “corrigir excessos e evitar distorções”.

  5. TROCENTOS ANOS DE NOTÍCIAS SEM VITAL UTILIDADE À POPULAÇÃO!
    ‘Cidadaniaaa, queremos todas pra viver!’
    Nós –sociedade, povo, duzentos milhões de zés ninguém, enfim, nós povão– continuamos ignorados e também pela mídia. Cadê nossas notícias?
    Queremos democracia, cidadania, justa retribuição tributária, justa punição dos crimes e … SOBRETUDO (não somos a sexta economia do mundo?) IMEDIATO ATENDIMENTO DAS PREMÊNCIAS SOCIAIS (DIGNIDADE NA SAÚDE, SEGURANÇA, LOCOMOÇÃO, EDUCAÇÃO… !!!).
    Isso só virá com ROBUSTA CONQUISTA DA POPULAÇÃO DE AMPLO ACESSO AOS TRÊS PODERES DA REPÚBLICA (‘os três macunaímas’). A mídia poderia ajudar muito: evidenciando o essencial, focal, fundamental, mais do que o incidental, periférico, dispensável.
    CHEGA! CHEGA DE NOTÍCIA FIADA!!! NECESSITAMOS DE SAÚDE, SEGURANÇA, LOCOMOÇÃO, EDUCAÇÃO…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *