O que a presidente não disse na televisão

Mauro Santayana
(Jornal do Brasil)

Em pleno bombardeio institucional – Dilma Roussef foi vaiada em uma feira de construção em São Paulo, apesar de seu governo ter financiado a edificação de dois milhões de casas populares – e às vésperas da realização de manifestações pedindo o impeachment da Presidente da República, sua assessoria preparou um discurso, para a sua estréia em Rede Nacional de Rádio e Televisão no segundo mandato, rico em lero-lero e pobre em informações.

O grande dado econômico dos “anos PT”, não são os 370 bilhões de dólares de reservas monetárias, que deveriam, sim, ter sido mencionados, ao lado do fato de que eles substituem, hoje, os 18 bilhões que havia no final do governo FHC, exclusivamente, por obra e graça de um empréstimo de 40 bilhões do FMI, que foi pago em 2005 pelo governo Lula. Nem mesmo a condição que o Brasil ocupa, agora, segundo o próprio site oficial do tesouro norte-americano, de quarto maior credor individual externo dos Estados Unidos. Mas o fato de que o PIB, apesar de ter ficado praticamente estagnado em 2014, saiu de 504 bilhões de dólares em 2002, para 2 trilhões e 300 bilhões de dólares, em 2013, com um crescimento de mais de 400% em 11 anos, performance que talvez só tenha sido ultrapassada, nesse período, pela China.

E, isso, conforme, não, o IPTE – como está sendo apelidado o IBGE pelos hitlernautas de plantão nas redes sociais – mas segundo estatísticas da série histórica do site oficial do Banco Mundial.

TROCA DE DÍVIDAS

Faltou também dizer que não houve troca de dívida pública externa por interna, já que, no período, a dívida pública líquida caiu de quase 60% do PIB, em 2002, para aproximadamente 35%, agora, depois de ter praticamente duplicado no governo Fernando Henrique, com relação ao final do governo Itamar Franco.

Há outros dados que poderiam negar a tese de que o país inviabilizou-se, economicamente, nos últimos anos, como o aumento do salário mínimo de 50 para mais de 250 dólares em menos de 12 anos, ou a produção de grãos e de automóveis ter praticamente duplicado no período.

ERROS GRAVES

É claro que o PT cometeu erros graves, como estimular a venda de carros sem garantir a existência de fontes nacionais de combustíveis, gastando bilhões de dólares no exterior na compra de gasolina, quando poderia ter subsidiado, em reais, a venda de etanol nacional no mercado interno, diminuindo a oferta de açucar no mercado internacional, enxugando a disponibilidade e aumentando os ganhos com a exportação do produto.

Ou o de dar início a grandes obras de infraestrutura – de resto absolutamente necessárias – sem se assegurar, antes, por meio de rigoroso planejamento e negociação, que elas não seriam interrompidas dezenas de vezes, como foram. Quem quiser, pode encontrar outros equívocos, que ocorreram nestes anos, e que poderiam ter sido corrigidos com a participação de outros partidos, até mesmo da base “aliada”, se sua “colaboração” não se limitasse ao interesse mútuo na época das campanhas eleitorais, e à chantagem e ao jogo de pressões propiciados pelos vícios de um sistema político que precisa ser urgente e efetivamente reformado.

EVANGELIZAÇÃO

Mas o antipetismo prefere se apoiar, como Goebbels, na evangelização de parte da opinião pública com mentiras, a apontar os erros reais que foram cometidos, e debruçar-se na apresentação de alternativas que partam do patamar em que o país se encontra historicamente, agora.

Soluções que extrapolem a surrada e permanente promoção de receitas neoliberais que se mostraram abjetas, nefastas e indefensáveis no passado, e a apologia da entrega, direta e indireta, do país e de nossas empresas, aos interesses e ditames estrangeiros. No discurso do governo – súbita e tardiamente levado a reagir, atabalhoadamente, pela pressão das circunstâncias – continua sobrando nhenhenhém e faltando dados, principalmente aqueles que podem ser respaldados com a citação de fontes internacionais, teoricamente acima de qualquer suspeita, do ponto de vista dos “analistas” do “mercado”. Isso, quando o seu conteúdo – em benefício, principalmente, do debate – deveria ser exatamente o contrário.

38 thoughts on “O que a presidente não disse na televisão

  1. “”O grande dado econômico dos “anos PT”, não são os 370 bilhões de dólares de reservas monetárias, que deveriam, sim, ter sido mencionados, ao lado do fato de que eles substituem, hoje, os 18 bilhões que havia no final do governo FHC, exclusivamente, por obra e graça de um empréstimo de 40 bilhões do FMI, que foi pago em 2005 pelo governo Lula. “”
    E olha que temos os Estados Unidos produzindo milhoes de miseraveis por la, a Grecia 1/3 da população entrando no quadro de pobres a Europa fazendo um salvem-se quem puder, na maior crise economica que o mundo viu desde 29.

    • O grande dado econômico dos “anos PT”, não são os 370 bilhões de dólares de reservas monetárias, que deveriam, sim, ter sido mencionados, ao lado do fato de que eles substituem, hoje, os 18 bilhões que havia no final do governo FHC, exclusivamente, por obra e graça de um empréstimo de 40 bilhões do FMI, que foi pago em 2005 pelo governo Lula.

      ESSES DEFENSORES PETRALHAS SÃO RIDICULOS! SE REALMENTE É VERDADE QUE AS RESERVAS AINDA ESTÃO NESSE NIVEL CONFORTÁVEL, POR QUE É QUE O GOVERNO ATRAVÉS DO BANCO CENTRAL NÃO ESTÁ CONSEGUINDO SEGURAR A COTAÇÃO DO DÓLAR?
      COMO DIRIA O MACACO SÓCRATES, NÃO PRECISA EXPLICAR EU SÓ QUERIA ENTENDER!

      • Porque o governo não quer seguirar a cotação do dólar. Primeiro, para combater a importação e favorecer a retomada da indústria e da exportação, segundo, para segurar as viagens dos brasileiros, que nesse país tão “quebrado” como alguns afirmam, gastaram mais de 30 bilhões de dólares (90 bilhões de reais) no ano passado no exterior, e, terceiro, porque cai ainda mais a proporção da dívida em reais, a cada vez que sobe o valor das reservas, que estão em dólares, sacou ?

    • Seria senilidade ou idiotice desse senhor? O pagamento adiantado das dívidas junto ao FMI foi um enorme ato lesa pátria do pinguço ! Na época as dívidas ‘rolavam’ com uma taxa internacional de 4,5% e o dólar estava a R$ 2,80. O Lula negociou essa dívida de forma SECRETA graças a uma resolução do Senado e para pagá-la captou a uma Selic de 28,5% e o polar chegou a R$ 1,80 na época que elas iriam vencer. Tem um ótimo artigo do SINDIFISCO sobre essa tunga petista, travestida em nacionalismo de galinheiro !

  2. O Brasil vive hoje os seus piores dias:
    Inflação de quase 8% ao ano.
    Estagnação econômica, com baixo crescimento da economia, aproximando-se de 0%.
    Dólar aproximando-se de R$ 3,5.
    Alta taxa de juros de 13%.
    Carga tributária de 40%, com contrapartida por parte do estado pífia.
    Criminalidade em alta, chegando a 150000 assassinatos por ano.
    Consumo de entorpecente em alta.
    Péssima educação, entre as piores do mundo.
    Estado perdulário e inchado com 38 ministérios.
    Escândalos de proporções inigualáveis , como o Petrolão e Mensalão.
    Universidades sucateadas, com baixa produtividade em pesquisas de ponta.
    Mesmo assim, o ESTELIONATÁRIO DA VERDADE, VIGARISTA, PUXA SACO, MAURO SANTAYANA, tem o topete de afirmar que o Brasil vai bem, e que a crise foi criada por opositores do esquemão petista.
    Esse cara, Santayna, é um cínico, junto com Leonardo Boff, formam o que há de pior neste site, e merecem o escárnio, o desprezo intelectual de qualquer pessoa que entrou na escola e aprendeu algum rudimento de moralidade, decência, amor à verdade.

  3. O sr. Santayana, o sr. Renato Lima e o sr. Neto bem que poderiam contribuir com a presidentA, não? Como os trocentos assessores dela e o marqueteiro milagreiro não se lembraram de todas essas virtudes dos guvernus petistas?

  4. No tempo que eu apoiava o pete, um dos principais motes do partido era Fora FMI, não vamos pagar nada. Quando Lula assumiu o governo não se ouviu falar mais em auditoria da dívida, pelo contrário, pagou tudo e ainda fizeram disso motivo de festa. Afinal, pagaram o que não devíamos? Ou estavam mentindo ou fizeram pagamento indevido. O FMI agradece.

  5. Santayana fala do esquecimento dos outros , mas no seu artigo também se esquece do crime da destruição da Petrobrás pelo PT, do BNDE dando dinheiro para empresários fajutos, etc

  6. Mas a Presidenta DILMA sofreu panelaço e foi vaiada em Feira de Construção Civil, não porque nossas Reservas Cambiais são de +- US$ 370 Bi; ou porque nosso PIB passou de +-US$ 504 Bi em 2002, para +-US$ 2.300 Bi em 2013; nesse período a produção de grãos mais do que duplicou, passando de +- 90 Milhões de Toneladas para os atuais +- 200 Milhões de Toneladas, a produção de automóveis mais do que triplicou passando de +- 1.200.000/Ano para +- 3.600.000/Ano; de que o Salário Mínimo subiu de +- US$ 50/mês para +- US$ 250/mês, etc, mas PORQUE:

    1- Fez toda a sua campanha de re-Eleição citando dados como os acima e dando a entender que re-Eleita a prosperidade iria ser ainda maior, só que em vez disso, re-Eleita, sem dar o mínimo bom exemplo para a Nação em termos de Austeridade, pelo contrário, permitiu aumentos grandes de Salários para a alta Cúpula, (Executivo, Legislativo e Judiciário), aplica via seu Czar da Economia Ministro da Fazenda JOAQUIM LEVY, tremenda Política de “Ajustes Fiscal, Monetária e Cambial”) que de cara elevaram em muito o preço dos Combustíveis, Energia Elétrica, Alimentos, Tarifas Públicas, Impostos (só na minha cidade de Florianópolis-SC o IPTU subiu em média 50%), etc,etc.

    2- Ninguém aguenta mais o festival de “Comissões” e “sobre-Preços” na maioria dos Contratos da Petrobras SA, e outros, que são desviados para sustentar Partidos Políticos e Campanhas Eleitorais, etc,etc, sendo a Presidenta DILMA, por muito tempo Ministra das Minas e Energia, e Presidenta do Conselho de Administração da Petrobras SA.

  7. O comentarista esqueceu de muitas coisas. A corrupção nos governos do PT, simplesmente, foi omitida.
    Onde está a notícia: Dillma combaterá a corrupção = Dillma mandará prender os petistas!
    Dillma investigará também os governos FFHH. Todos os corruptos serão pegos, julgados, condenados e punidos.
    Faltou também dizer que Dillma mentiu, mente e mentirá, enquanto deixarmos.

  8. Embora os contextos econômicos mundiais não possam ser comparados em valores absolutos ao longo dos anos FHC e PT, os argumentos usados pelo articulista não servem para explicar a roubalheira, aparelhamento, corrupção, cinismo, baixeza, mentira e estelionato eleitoral que fomos e somos vítimas por parte do governo.
    Quem mente rouba, quem rouba pode matar, tanto dinheiro quanto esperança.

  9. Os dados mencionados por Santayana escondem a verdade, tentam desviar a atenção do cidadão para a realidade que o cerca neste momento, que o País não é dele, que o Brasil foi tomado de assalto pelo PT!
    Esses artigos enaltecendo um governo somente à base de números comparativos com a nossa situação em dez, quinze anos atrás, não merecem consideração.
    A questão que o pessoal que tanto defende os petistas e este governo incompetente, propositadamente evita e não menciona a corrupção e a desonestidade, que imperam nesta Nação desde que o PT assumiu o poder central.
    Evidente que todos os partidos e políticos não são íntegros, mas vivemos sob a égide do exagero, da falta de escrúpulos, da imoralidade, da ausência de ética.
    Pois tais defeitos gravíssimos nas administrações de Lula e Dilma são contornados, deixam de ser analisados, e atira-se à população uma versão enganosa, inclusive a mais alta carga tributária do mundo que somos obrigados a pagar, sequer é cogitada!
    Santayana e asseclas mentem para o povo; criam versões fantasiosas; não querem que seus líderes sejam reconhecidos como traidores da população e do País.
    Lamento quando tenho de comentar um artigo tão deplorável e inútil, escrito por um profissional da imprensa, uma pessoa que teria compromisso em relatar a verdade, os descaminhos deste governo que hoje motiva milhões de cidadãos irem às ruas protestar contra o descalabro e a desfaçatez, os roubos, a deterioração do Estado brasileiro.
    Não aceito outra resposta para um texto tão tendencioso que não seja receber uma remuneração pecuniária, conforme a veemência na defesa dos interesses do PT, absolutamente contrários às necessidades do povo brasileiro, aos seus clamores de mais probidade, aos seus brados de menos corrupção e desonestidade, à indignação de constatar a desvalorização da maior estatal do Brasil porque vítima de ladrões, de diretores que foram escolhidos por Lula e Dilma, e que hoje prestam depoimentos à Polícia Federal em troca de delação premiada, denunciando o esquema bilionário para enriquecer partidos e parlamentares do PT e seus aliados políticos, PP e PMDB.
    Então, tergiversam, e criam movimentos falsos em defesa da Petrobrás quando, na verdade, deveriam incentivar a LIMPEZA na Petrobrás, a sua reconstrução administrativa, e impedir mediante lei que, o Executivo, tenha acesso à estatal para indicar dirigentes a funções técnicas sem qualquer conhecimento nesta área.
    Santayana coloca a ideologia acima de ideais nacionais, e seu partidarismo acima do patriotismo.
    Resultado:
    Um artigo absolutamente repulsivo!

    • Bendl, o Santayana, quando diz “a dívida pública líquida caiu de quase 60% do PIB, em 2002, para aproximadamente 35%, agora” – continuando a enganação de falar da dívida “líquida” (que exclui os juros) ao invés da dívida “bruta”, que é o que o país realmente deve (principal mais juros) e que é muito maior, esqueceu de dizer que, feitas as contas (com os valores que ele coloca), a dívida líquida era em 2002 60% de um PIB de 504 bilhões de reais, ou seja, de 504 x 0,6= 302 bilhões de reais, e foi para 2013 para 35% de um PIB de 2 trilhões e 400 bilhões de reais, ou 2.400 x 0,35 = 840 bilhões de reais; se considerarmos que o dólar em dezembro de 2002 valia 3,53 reais e em dezembro de 2013 valia 2,34 reais, a dívida pública líquida, em dólares, passou de 84 bilhões de dólares para 359 bilhões de dólares, e enquanto o PIB cresceu 356% (e não mais de 400%, como ele afirma) a dívida líquida cresceu 327%, ou seja, o seu crescimento foi de aproximadamente 92% do PIB. Então, em 11 o governo do PT conseguiu reduzir a dívida “líquida” em apenas 8%.

      • Caro Wilson,
        O teu comentário, pontual e pertinente, complementa o meu texto acima, não deixando margem a interpretações do quanto Santayana manipula os dados econômicos, na tentativa de amenizar o descontentamento do povo com o governo atual, do PT.
        Este pessoal precisa saber que estamos atentos às manobras no sentido de iludir incultos e incautos, de apresentar números positivos enquanto escondem a realidade, tentando defender uma administração caótica, corrupta e desonesta.
        Obrigado, Wilson.

      • Tem gente aqui que está mais perdido que cachorro que caiu de caminhão de mudança. Em primeiro lugar, o PIB está em dólares, não em reais, em segundo lugar, dívida líquida, não é dívida sem juros, é, simplesmente, o que se deve, tirando o que se tem no Banco. Para saber quanto o governo deve, é preciso diminuir, por exemplo, os 370 bilhões de dólares que os governos Lula e Dilma economizaram nestes anos, em reservas internacionais, aos quais se deve somar os 40 bilhões de dólares que pagou ao FMI em 2005. Para maior informação dos nobres navegantes, deixo link que pesquisei que comprova a informação do Santayana, de que o Brasil é hoje o quarto maior credor individual externo dos Estados Unidos, do próprio tesouro americano:

        http://www.treasury.gov/ticdata/Publish/mfh.txt

        • Ricardo, reconheço e agradeço sua indicação do meu erro do PIB em dólares, fruto de uma leitura menos cuidadosa do que eu deveria ter feito do post. Mantenho, entretanto, que falar de dívida líquida (que também vem sendo distorcida pelas manobras fiscais do governo) não considera o volume de juros a pagar, que só são incorporados à dívida no caso de não serem pagos, mas que representam um gasto contínuo de recursos. O Brasil é a sétima economia do mundo (ainda) mas é o 3º país no mundo que mais gasta com juros, e não se vê ninguém do governo dizendo isto. E como não tem conseguido gerar receita suficiente para o pagamento desses juros, vem financiando o seu pagamento através da contratação de novos empréstimos; em 2013, por exemplo, dos 259 bilhões de dólares que o país pagou de juros só 91 bilhões foram pagos com nossas receitas, e teve que tomar emprestado 158 bilhões, que, naturalmente, foram somados à dívida e gerarão novos juros. Sem falar que dos 91 bilhões pagos com recursos próprios (que o governo chama de “economia”) a maior parte foi obtida com o corte dos investimentos em vez do corte de despesas, e o efeito desta falta de investimentos está aparecendo cada vez mais na estagnação da capacidade produtora da nossa economia.
          De 2009 para cá o volume de empréstimos tomados pelo governo para pagamento dos juros tem aumentado continuamente.
          Artigos como o do Santayana, que comparam o período de 2002 a 2014 com os períodos anteriores, ignoram o fato de que a economia brasileira começou a cair no meio do segundo mandato do presidente Lula, e se tomarmos apenas o período da presidente Dilma veremos que ela está em queda acentuada.

  10. Santayana precisa escrever por que Fernando Henrique mudou a Lei de Licitaçao na Petrobras e nomeou a quadrilha de diretores que estava la ate ontem roubando milhoes de dolares

    • Simplesmente por que ele não nomeou. Quem nomeou esta corja para diretores foi o “DEUS” Lula da Silva, vulgo nove dedos. Eles estavam na petroleira naquela época por que entraram via concurso. É só verificar as nomeações como diretores nos próprios depoimentos deles mesmos.

    • A mesma lei que o Vicente Cândido e o Breno Altmmam ex assessor da máfia russa usaram na lei Geral da Copa e o capitão Cuecão queria estender a todas compras governamentais. kkkkk JE SUIS TROLLIE ! kkkk

  11. Comparar o governo do PT, com do FHC, é a defesa do PT pela corrupção
    institucionalizada, e a crise criada neste governo.
    Não há termo de comparação, são épocas, situação financeira, econômica e inflação diferentes. O Lula é um sortudo, pegou a casa arrumada. Todo governo,
    depende da gestão do governo anterior, o maior exemplo disso é o governo da
    Presidente Dilma. O governo anterior que era a própria, desarrumou a casa, agora
    está amargando inflação em alta e recessão.

    • O Lula pegou a casa arrumada ? hahahahahaha, vc sabia que o PIB e a renda per capita diminuíram nos oito anos de governo FHC, neste país, que a dívida duplicou, que o salário mínimo era 5 vezes menor em dólares, que o país devia muito mais do que deve, que a divida externa era quse o dobro do que é hoje, que o deficit do governo era maior, e os superavits primarios mais baixos ? Com uma divida de 40 bilhões de dólares com o FMI ? Isso é deixar UMA CASA ARRUMADA? Procure pelo último artigo do Santayana !

  12. -MAS QUE DIABOS!

    -Que tanta comparações com FHC!
    -Não se pode pregar um prego na parede sem que tenham que comparar com o prego pregado por FHC!
    -Será que não sabem fazer nada sem que tenham que mencionar esse homem?
    -Será que não sabem olhar para a frente?
    -SERÁ QUE QUANDO VÃO MIJAR TAMBÉM COMPARAM O TAMANHO DO FALO COM O DO FHC?
    (desculpem a frase, mas é que é sempre a mesma lenga-lenga; se escreverem um SONETO, procure que lá estará as letras “FHC”…)
    -Seria paixão ou fixação?

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *