O que falta ao Brasil são políticos de verdade

Heron Guimarães
O Tempo

As propostas de reforma política, que levaram mais de 20 anos para serem colocadas em discussão, mostraram mais uma vez que grande parte dos congressistas é totalmente dispensável. Horas e horas de discussões que terminaram em quase nada só reafirmaram a condição de letargia dos parlamentares.
Pode-se atribuir às insanidades de Eduardo Cunha o fracasso dessa reforma política, mas, encerradas as tentativas de mudar a forma de eleger políticos no Brasil, é hora de indagar se uma transformação desta é realmente o que o Brasil precisa.

De que adiantaria restringir financiamentos privados se o caixa 2 continuaria existindo? Do que adiantaria unificar eleições se os eleitos continuariam sendo os mesmos?

A derrota do distritão e do distrital misto mantém o que esta aí, mas o que está estabelecido do ponto de vista eleitoral não é o pior que o Brasil apresenta.

IMPUNIDADE

Dos males, o menor. Sem a impunidade, talvez esse mesmo sistema, com pequenas alterações, configurasse entre os melhores do mundo.

Outras reformas, sim, são cruciais para o funcionamento deste país. Talvez a salvação para uma economia em frangalhos e uma crise que não é só financeira, mas, sobretudo, estrutural.

Uma mudança na forma de arrecadar impostos e tributos, privilegiando a produção em detrimento de setores especulativos, que só arruinam a economia, sim, faria a diferença que todos nós precisamos e sonhamos.

Também haveria de se aspirar um reforma jurídica, não aquela que discute apenas a diminuição da maioridade penal, mas uma que também seja capaz de trazer maior equilíbrio entre cidadãos.

POLÍTICOS DE VERDADE

Antes de pensarmos em reforma política, seria preciso ter políticos. Pessoas públicas concentradas, minimamente honestas e preocupadas um pouco mais com a vida que acontece nas ruas, resistentes a este mundo de maravilhas, estratagemas e pilantragens de gabinetes e salões ovais.

Entre heróis que trabalham e geram as riquezas deste país e sanguessugas que se alojam na política e no sistema financeiro brasileiro há um abismo quase intransponível.

Se não se inverterem os papéis desse teatro de horrores, qualquer mudança eleitoral será mera fantasia. Por esse prisma, a derrota da reforma política nesta semana não é bem uma derrota do cidadão. Dependendo do que seria aprovado, o que tivemos pode até ser encarado como vitória.

A nossa verdadeira derrota está no dia a dia e na expiação pela qual passamos aos sermos diuturnamente bombardeados com a manutenção de dois tipos de gente no país: o que produz e o que se farta dessa produção, sem pensar na fome dos empobrecidos.

6 thoughts on “O que falta ao Brasil são políticos de verdade

  1. VERDADE. Uma palavra que poderia muito bem ser um dos Princípios Constitucionais da Administração Pública. Responderia por crime de responsabilidade quem o violasse. Só uma idéia…

  2. Acho muito engraçado afirmações como as do artigo.
    Outras vezes já perguntei e, em todas as oportunidades, as respostas são sempre as mesmas.
    Tenho acompanhado a política nos últimos 50 anos e, com total certeza de que não errarei, afirmo: o povinho adora os políticos profissionais. E mais: não sabe em quem votou; acredita, em tudo que dizem e não pesquisam. No dia das eleições, juntam santinhos na sarjeta.
    Garanto-lhes: não existe coisa mais difícil e rara do que um(a) candidato(a) honesto(a) e bem intencionado(a) ser eleito.
    Todo o processo de filiação, fazer parte da lista e receber ajuda/apoio é dolorido para alguém correto. Ele é montado e funciona para os profissionais, desonestos e raposas.
    O resultado é o que temos assistido, eleição após eleição: a maioria, a grande maioria é de interesseiros, negociantes e desonestos. A minoria é correta.
    Como a maioria é que decide, a minoria assiste.
    Políticos não saem de vasos de banheiro, mas de urnas.
    Povo responsável não elege canalhas, vigaristas, punguistas, idiotas e corruptos na quantidade que temos hoje em nosso país.
    Enquanto procurarmos soluções e dermos respostas erradas, continuaremos no mesmo rumo: fundo do poço.
    O que falta ao Brasil é povo/sociedade com responsabilidade, ou seja, cidadãos de verdade.

  3. Fallavena , como estou no celular nao consigo postar a materia , mas ela desnuda toda a hipocrisia de determinados homens publicos . A maioridade penal esta em pauta entao busque por ‘ Renato Janine morte do menino Joao Helio ‘. Voce vera que perto do que ele diz , o Bolsonaro e menino de procissao. A etica dele transborda como uma hemorragia de uma jugular atacada pelo Dracula. Prega ate torturas medievais. Um jogo de cinicos.
    PS. Leia antes da meia noite… Materia publicada originalmente na Folha Ilustrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *