O sentido da Pátria, que muitos estão perdendo

Mauro Santayana
Hoje em Dia

No último dia 21 de abril, o Brasil – ou parte dele – lembrou Tiradentes, como deveríamos fazer, sempre, com outros heróis que o antecederam e sucederam, e que, como ele, deram sua vida pela ideia de construir, no sul da América, a grande nação de que falava o alferes.

Os heróis de Massangano e Guararapes, das guerras contra os franceses e os holandeses, gente que, aqui, não defendia a metrópole portuguesa, mas a terra em que tinha nascido, nossas praias, selvas montanhas e planícies, o sangue de seus pais e o destino de seus filhos.

Os que lutaram na Serra dos Palmares, na Balaiada, na Cabanagem, na Revolta dos Malês, na Guerra de Independência.  Os que pereceram defendendo o seu direito a um mínimo de pão e dignidade, em Canudos e no Contestado. Os que lutaram pela liberdade e pela democracia, nos campos e montanhas da Europa, em Monte Castello, Castelnuovo, Collecchio, Montese e Fornovo di Taro.

 SOBERANIA NACIONAL

Os que lutaram pela soberania nacional, como Getúlio e Juscelino, e pela volta do estado de direito, combatendo nas trevas, até o fim da ditadura, com as campanhas da Anistia, das Diretas Já, e da eleição de Tancredo Neves, que também morreria em um 21 de abril, antes de tomar posse como presidente da República.

Deveríamos, todos, escutar o eco do alferes, que reverbera nos túneis espiralados da história, como um momento singular da nossa formação.

Há quem ataque a figura de Joaquim José da Silva Xavier. Há quem diminua seu papel na Conjuração Mineira, que mais tarde inspiraria a independência e os ideais republicanos, ao longo do século que se seguiu à sua morte.

São dúvidas e contradições, até certo ponto, subjetivas, e interessam mais aos historiadores do que ao homem comum.

OUTROS HERÓIS

O que importa é que as nações, como as pessoas, são forjadas e crescem por meio de episódios e personagens que marcam sua evolução futura, e inspiram o surgimento de outros heróis, que se unem para sintetizar o sentido da pátria, ligando o ontem e o amanhã, e projetando a glória e a honra que são o amálgama dos povos e de seus territórios.

Isso é verdade, pelo menos, para aqueles que amam o chão em que vieram ao mundo, e que são capazes de se sacrificar por algo mais do que o seu próprio conforto, riqueza e a parte que conseguirem de fugaz e superficial felicidade neste mundo.

Para os outros, os egoístas, os céticos, os que se embasbacam por outras nações e bandeiras, nenhum herói, ou sua projeção, fará diferença.

Esses venderiam o país por um carro mais confortável, mesmo que fosse feito lá fora, sem gerar um miserável emprego aqui dentro, ou por um litro de gasolina pura, mais barata, feita por uma empresa estrangeira, do outro lado do mundo, mesmo que a indústria de óleo e gás seja responsável por 13% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, quinto maior país em extensão territorial, sexto em população e sétima maior economia do planeta.

17 thoughts on “O sentido da Pátria, que muitos estão perdendo

  1. MÍDIA NUNCA PAUTOU NEM PAUTARÁ RUMOS DO PDT

    Quanto à presença do PDT Nacional no governo da presidente Dilma Rousseff faço leitura reforçado em fatos concretos. Quando foi decidida a adesão, votei contra mas acho que os últimos ataques dos jornalões – (postagem no link) – podem cooperar nas conclusões acerca da inconveniência do desembarque, além das precauções de ordem institucional que se avolumam neste momento.

    É questão para a instituição resolver e mesmo que possa ter ressalvas quanto a isto, o debate é centrado em teses partidárias e públicas plenamente defensáveis, fique ou saia a legenda deve elaborar manifesto consistente sobre a conjuntura nacional, atualizando suas conclusões sobre o governo. Comete exageros ou excessos quem sugere supostas barganhas ou critica sob a ótica de que tal deliberação possa ser induzida por dois ou três.

    Felizmente, o Pdt de Leonel Brizola continua maior e bem mais expressivo do que agressões e críticas inconsequentes.. https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1611742175708714&set=t.100006188403089&type=1&theater

  2. Eita, falar de patriotismo e ao mesmo tempo levantar os ares da grande América é por si só um paradoxo.
    Querer que as pessoas se sintam culpadas? Classificar as pessoas em culpadas ou heroínas? Pois digo NÃO;
    Não me sinto culpado por nada. Nem considero ninguém heroi de nada qualquer que se imponha como se estivesse lutando por um país inteiro. Tiradentes estava lutando pelos próprios interesses e os dos seus amigos. Nisso ele merece ser reconhecido. Em si época sequer existia o conceito de Brasil que tinha hoje. Cada província se virava. A ideia de nação surgiu no império muito tempo depois.
    Tiradentes fez o que achava certo, lutou por que não aguentava mais pagar imposto. E o motivo que o levou a se rebelar é o mesmo que maltrata o trabalhador de verdade do Brasil: a carga tributária. Qualquer,que queira lembrar o Tiradentes deveria fazer no sentido de promover um dia destinado a propor melhoria no injusto sistema tributário. Acho que seria mais útil os trabalhadores irem às ruas no dia de Tiradentes do que no dia primeiro de maio. Aliás no dia primeiro de maio o trabalhador de verdade faz é descansar, só quem vai pra rua é ativista e sindicalista, e ambos não trabalham mesmo…
    Agora ninguém fala na real luta de Tiradentes por que a galera intelectual paga pelo governo foi prostituída pelos privilégios e benefícios que o governo lhes dá. E tudo que o governo quer do povo é simplesmente arrancar mal impostos. Logo deturpam a luta do Tiradentes, desviam o foco em cento e oitenta graus. E mentem, claro! E essas mentiras têm sido passadas ao longo de gerações…
    O Brasil não tem jeito!
    Eu não acredito. Aliás, é até ilusão minha falar de jeito, pois vendo pelo lado da realidade este país está do jeito que a galera sempre quis. Há oitenta anos que lutam para que o Brasil chegasse ao que chegou. Foi tudo calculado, tudo questão deliberada, força de vontade.
    E hoje que conseguiram e viram que a coisa não é o que pensavam, agora estão inventando desculpa, culpando as pessoas, desde os colonizadores até os cidadãos de bem que sempre foram contrários a estes despautérios da esquerda brasileira.
    Parece até brincadeira: compre carro nacional, pois comprando fora gera emprego fora. Que absurdo! Desde quando se preocupam com os trabalhadores brasileiros?!
    E os remédios do câncer da presidente também deixa pra comprar aqui? E os radares que mantém tudo funcionando deixa pra comprar aqui e gerar emprego aqui?
    Sempre que alguém fala priorizar o produto local o que ele está querendo dizer é pra você não comprar fora por pura e simples questão de inveja… Ora, se eu posso e quero comprar uma Land Rover, por que eu optaria por um gol só por causa de este ter sido produzido aqui e não pela Land Rover de produção exterior?
    Isso é tudo mau-caráter mesmo!
    São pessoas preocupadas apenas com o próprio umbigo. São pessoas que se dizem amantes dos pobres, mas que jamais queria ver uma filha namorando e engravidando de um pobre negro, feio, favelado e desempregado.
    Essa gente fede em suas ideias. Eles detestam pensar na possiblidade de que alguém se deu bem na vida… Pois isso lhes caracterizam como um tapa na cara, já que eles próprios não conseguiram realizar os próprios sonhos por falta de coragem e por nunca terem acreditado nelas próprias…
    O Brasil precisa mudar. E pra mudar, a primeira coisa é seguir o princípio da verdade, eliminando essas ideias de esquerda que há oitenta anos poluem nossas mentes…

  3. No final ele criminaliza quem quer adquirir alguma coisa por um preço melhor se essa coisa não for produzida no Brasil.
    Ou seja, quem é brasileiro patriota deve pagar por qualquer coisa o dobro do preço que dela se cobra no mundo.
    Que tal santayana criminalizar essa quadrilha que está no poder há 12 anos e que arruinou o país e a Petrobrás?

    • Vestiu a carapuça, hein ?
      Seu xará acertou nisso : “Para os outros, os egoístas, os céticos, os que se embasbacam por outras nações e bandeiras, nenhum herói, ou sua projeção, fará diferença”. Mas poderia dizer “os que babão por outras nações e bandeiras”, errando conscientemente na grafia da flexão verbal “babam”.

      • É verdade. Se o Brasil fosse um país capitalista, normal, como os que existem por aí, o salário mínimo nosso compraria o dobro do que se compra hoje.

      • Não és babão mas babas pelos bandidos. Mudou de nome mas continua o mesmo MAV vivendo de dinheiro roubado da saúde e da educação e defendendo bandidos. E o Satayana que tanto defende a soberania nacional, desde que seja comandada por bandidos de toda a espécie, deveria era mudar o disco de lado. Sim, disco de lado e coisa da idade dele.

        • Deixa de ser bobo, Paulo ! Eu não preciso de político algum pra viver. Será que é tão cego que nunca leu as brincadeiras que faço com Mauro Julio ? Ria mais e zurre menos !

  4. Nunca mais teremos verdadeiros patriotas, hoje temos mercenários que sugam o sangue do pobre povo trabalhador, não nos iludamos que haverá alguém com espirito patriota no Brasil.

  5. Em fins do século 19 Tiradentes foi enforcado e esquartejado por se opor à “derrama” = 20% de impostos para a coroa.
    Hoje, em pleno século 21 a população é extorquida em 40% de impostos para as quadrilhas nos 3 poderes.

    • Dona Dorothy, a exata carga tributária que recai sobre o rendimento médio do trabalhador brasileiro é de 41,37%.

      São cinco meses ou, exatamente, 151 dias por ano trabalhando para pagar tributos.

      A carga tributária se divide da seguinte maneira:

      Tipo de Tributo………………………% da Renda…………….Dias Trabalhados

      Tributos sobre a renda……………….15,06%………………………55
      Tributos sobre o patrimônio………..3,03%……………………….11
      Tributos sobre o consumo………….23,28%………………………85
      —————————————————————————————————–
      Total de Tributos………………………..41,37%……………………..151

      Fonte: Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT).

      Ps.: O estudo completo – que vale a pena ser lido – pode ser visto aqui:https://www.ibpt.org.br/img/uploads/novelty/estudo/2140/ESTUDODIASTRABALHADOSEDICAO2015.pdf

  6. As quadrilhas ficam com ínfimo percentual. O grosso vai para o pagamento das dívidas e das “dívidas”que engordam o sistema financeiro.

      • Não é por culpar o sistema financeiro, mas, por dizer a verdade que o Sr. Chamberlain está correto. O maior fluxo de recursos drenados da economia e do orçamento federal ficam com os bancos.

        Para se ter uma ideia, em relação ao orçamento, que este ano é de R$2,8 trilhões, 45% dele está atrelado aos serviços da dívida pública que tem sua maior fonte de financiamento nos bancos privados.

        Além disso é preciso lembrar que se o nosso PIB é de R$5,5 trilhões, segundo o IBGE, a nossa dívida pública bruta chega a R$3,5 trilhões, isto é, 62,4% do PIB, sendo a maior parte dela relativa aos credores bancários.

        E, por fim, relembremos que só com os juros da dívida o orçamento federal foi engessado em R$311,3 bilhões em 2014.

  7. Não culpo. Apenas esclareço. Eles cuidam de seus interesses. Além, do mais nem eles, nem as quadrilhas levam a totalidade dos 40%. Se você acha que as quadrilhas levam a totalidade, não estou nem aí para discutir com sua brilhante inteligência.

  8. Não posso perdoar Santayana, que abordou várias revoluções e deixou de lado a maior de todas, a Guerra dos Farrapos ou Revolução Farroupilha!
    Também esqueceu de mencionar a Revolução Federalista, outro acontecimento importante na História do Brasil.
    Diante dessas falhas imperdoáveis, o artigo em tela perde a sua essência quando questiona sobre pessoas que não amam esta terra, e que admiram personagens estrangeiros e não os grandes vultos nacionais, ao mesmo tempo que enaltece a colocação do Brasil em termos econômicos e dimensão territorial, que não são consideradas pelos que agora criticam os roubos praticados contra a Petrobrás!
    As tentativas de minimizar os malfeitos do PT são patéticas, pois foram os petistas que prejudicaram a estatal brasileira, assim como políticos de outros partidos que estão envolvidos – justiça seja feita – os traidores atuais do País.
    Na razão inversamente proporcional à admiração aos heróis do passado, o presente nos tem dado facínoras, criminosos, governos corruptos e desonestos.
    Não foi o PT ou PSDB os autores do nosso crescimento econômico – hoje em queda -, mas o povo brasileiro, o grande herói do momento!
    Não é este governo que se diz de esquerda e socialista, que aumentou o território nacional e nos colocou como a sétima economia do planeta, mas o trabalhador, explorado e vilipendiado pelo PT, que o entregou de bandeja aos banqueiros, aos juros absurdos, à carga tributária insustentável, e atualmente à inflação e desemprego!
    Mais a mais, Santayana é comunista.
    Seus líderes são estrangeiros, portanto, o seu artigo soa contraditório, falso, cuja mensagem não é a grandeza do povo brasileiro, mas a esquerda, o PT e suas correntes comunistas!
    Pois, afirmo que meus heróis somos nós, o povo, os verdadeiros patriotas, que apesar de sermos tão explorados e agredidos, amamos esta terra, não temos contas no exterior, não roubamos o País, as estatais, o erário público, como têm feito os petistas e quem lhes antecederam!

  9. SER VERDADEIRAMENTE UM PATRIOTA É ANTES DE MAIS NADA TER NOJO E ÓDIO DESSES MARGINAIS PETRALHAS QUE DESTRUÍRAM E AINDA DESTROEM NOSSAS EMPRESAS PÚBLICAS, TUDO ISSO COM O OBJETIVO DE SE ETERNIZAREM NO PODER!
    NÃO PASSARÃO! SERÃO RELEGADOS À LATA DE LIXO DA HISTÓRIA COMO O PARTIDO MAIS MARGINAL DE TODA A NOSSA HISTÓRIA , UM VERDADEIRO PROJETO CRIMINOSO DE PODER!

Deixe uma resposta para Dorothy Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *