O Supremo cochicho

Sebastião Nery

No “11 de Novembro” de 1955, internado Café Filho, presidente da República, com problemas cardíacos, o golpista Carlos Luz, presidente da Câmara no exercício da Presidência, tentou demitir o general Lott do Ministério da Guerra para impedir a posse de Juscelino – que havia ganho as eleições de 3 de outubro – mas não conseguiu. A Câmara reuniu-se, derrubou-o e o substituiu por Nereu Ramos, presidente do Senado.

Antonio Balbino, governador da Bahia, amigo de Nereu, veio para o Rio visitá-lo. Nereu acabava de receber carta de Café Filho comunicando-lhe que ia reassumir a Presidência. Mas o General Denis, comandante do I Exército, já havia mandado cercar a casa de Café para ele não sair de lá.

NEREU

Quando Balbino chegou ao Catete, o general Lima Brayner, chefe da Casa Militar de Nereu, pediu a Balbino que convencesse Nereu a não devolver o governo a Café, que queria dar o golpe. Nereu foi claro:

– Só vou agir dentro da lei. O Café, através de Prado Kelly e Adauto Cardoso, entrou com mandado de segurança junto ao Supremo Tribunal. Se o STF conceder o mandado, entrego o governo e volto para o Senado.

Lott soube da conversa, chamou Balbino:

– Governador, vá conversar com o presidente do Supremo. Balbino foi. O velhinho estava em casa, noite alta, já de pijama:

– Ministro, o país está vivendo um momento difícil. Compreenda. A casa do Café está cercada. O Catete está cercado. Nereu não vai poder passar o governo ao Café porque Café não quer dar posse ao Juscelino.

– Mas, governador, o mandado de segurança está em pauta para amanhã. Se o Tribunal conceder, o Café vai reassumir.

– Ministro, entenda. Enquanto se fecha o Legislativo, ainda se entende. Mas, e se o Judiciário for fechado? Para onde vamos?

O ministro levantou-se, passou para o gabinete interno da casa, pegou o telefone vermelho, daqueles de gancho, e começou a ligar para os outros ministros, falando baixinho, cochichando, cochichando. O mandado de segurança não entrou em pauta. Nereu continuou presidente e deu posse a Juscelino no dia em que a Constituição mandava.

TEORI

Não sei com quem o ministro Teori Zavascki, do Supremo, cochichou. Mas deve ter cochichado com um cochicho muito poderoso, para chegar a uma decisão tão estapafúrdia, a uma teoria tão zavascada. Tudo bem.Ninguém entende mesmo cabeça de alguns juízes. Mas tentem entender o tortuoso Zavascki. Eram 12 presos. Ele queria soltar um, o cochichado. Em vez de manter 11 presos e soltar o cochichado, ele soltou à noite todos os 12 e prendeu novamente 11 ao amanhecer. O pais levou um susto, as manchetes das TVs e jornais explodiram. E o cochichado? O cochichado, ora,! continua cochichando.

PAC EMPACOU

O economista Gil Castello Branco, fundador da Associação Contas Abertas, analisa o desempenho do PAC, criado para lançar a candidatura da Dilma, “a Mãe do PAC”, em 2010. Os resultados são devastadores:

1.- Na Saúde, das 24.006 obras prometidas só 2.547 (11%) foram colocadas à disposição da sociedade. Unidades Básicas de Saúde (UBS): das 15.652 previstas, irrisórias 1.404 (9%) foram concluídas. Unidades de Pronto Atendimento (UPAs): 503 previstas, somente 14 prontas.

2. – Saneamento e recursos hídricos: das 7.911 iniciativas, apenas 1.129 (14%) finalizadas. Dilma prometeu 6 mil creches, que poderiam chegar a 9 mil. Das 5.257 creches e pré-escolas constantes do PAC 2, apenas 223 em funcionamento até o fim do ano passado.

3. – Esporte: das 9.158 quadras esportivas, apenas 481 (5%) inauguradas. Nenhum dos 285 centros de iniciação ao esporte ficou pronto.

4. – Transportes: dos 106 empreendimentos em aeroportos, 70% ainda em fases burocráticas. De cada 3 obras de rodovias, apenas uma concluída. Das 48 intervenções em ferrovias, só 12 no fim. Mais da metade do PAC 2 sequer saiu do papel. De cada 10 iniciativas, menos de 4 estão em obras ou em execução. Apenas 12% concluídas. O PAC empacou.

5 thoughts on “O Supremo cochicho

  1. A impressão que restou do “Roda Viva”, 26/05/2014, TV Cultura, SP, a nosso ver, é que Eduardo Campos, face à sucessão, está dando uma de “boi sonso”, à moda FHC, em relação a Itamar e à reeleição, e tb o próprio Lula embora este só tivesse chegado ao poder depois de muito perseguí-lo e muita luta, e que, enfim, acabaram chegando lá e cavando 8 anos cada um no Palácio do Planalto, com toda pompa e circunstância da conquista. Como neste país, “boi sonso” é o que vara a cerca, não se pode subestimá-los. Todavia, EC pisa feio no tomate, à medida que passa a impressão que está tetando ser uma cópia, aliás mal feita, do original, HoMeM do Mapa da Mina, o Leão Alado, o Fato Novo, o Projeto Novo e o Discurso Novo, de Verdade, que nos propõe a RPL-PNBC-ME, porque evoluir é preciso, com base na paz, no amor, no perdão, na conciliação, na união e na mobilização em torno da Mega-Solução (RPL-PNBC-ME), sendo essas marcas registradas do HoMeM. E se invadir essa obra Dudu pode quebrar a cara, pode se dar muito mal, porque o HoMeM está preparado para repelir e desmascarar todo e qualquer impostor, joão-sem-braço, ou boi sonso, que, em proveito próprio, leviana e sorrateiramente, tentar copiar, usar e descaracterizar a obra do HoMeM, elaborada e desenvolvida ao longo dos últimos 20 anos, a duras penas, com muita teimosia e trabalho, com sacrifício pessoal e familiar, enquanto muitos simplesmente se deleitavam nas delícias do poder. RPL-PNBC-ME, e respectivo discurso, são uma Obra pronta, acabada, a ser executada de preferência pelo próprio Autor que a conhece desde o nascimento. Portanto, tem Autor, e que, via Internet, o Brasil inteiro já conhece. Portanto, será ledo e grave engano, se algum “boi sonso”, achar que pode simplesmente ir se apropriando de uma Obra alheia, dessa envergadura, impunemente. No frigir dos ovos, nada convence mais do que a verdade, a sinceridade, o olho no olho, de modo que cada um deve ser o que realmente é, agir com o que realmente tem, sem tentar meter a mão em obra alheia, inclusive porque atitudes deste jaez sempre redundam em castigos, em que pese a deformidade moral do vale tudo pelo poder que vigora na seara da politicalha-partidária-elleitoral velhaca, que urge mudarmos. E quem avisa amigo é. Quanto às candidaturas que aí estão postas pela oposição, que, às vezes, afeiçoa-se à oposicão, à medida em que bate sempre na mesma tecla do “quanto pior, melhor”, há 12 anos a fio, sem apresentar propostas alternativas a tudo isso que aí está há pelo menos 125 anos, a nosso ver, a bem da verdade, repito, será loucura não dar um segundo mandato à Tia Dilma, principalmente porque a oposição a esta altura do campeonado, além de tudo, é extemporânea, porque o tempo presente,face ao adiantado da hora, não é mais de oposição, mas, isto sim, de Mega-Solução, face à enorme problemática gerada e acumulada ao longo dos últimos 125 anos, idade do modello provisório de repúbllica que aí ainda está, a ser burilado, sendo este o grande desafio para as mentes e corações que ainda Sonham e lutam pelo Novo Brasil de Verdade, com dias melhores para todos. E tenho dito. LORIAGA LEÃO, à disposição do Novo Brasilzão.

  2. Nery, eu ainda estou assustado com os Habeas Porcus, que o Gilmar Dantas deu para o Daniel Mendes.
    Depoisue eu recuperar desse supremo susto, vou me ater ao susto dos assassinos da Irmã Dorothy, que volta meua tem um Marco Aurelio para manda-los para casa, como fizeram e fazem com os “Cacciolas”

  3. Eu lamento quando se diz que João Café Filho queria dar um golpe.
    Tenho jornais da época e o livro do Helio Silva, mostrando os fatos daquela ocasião.
    João Café Filho sim!!! Foi golpeado!!! Foi o primeiro presidente a sofrer ‘impeachment’, Helio Silva narra todo o processo, e no livro escrito por Café Filho “Do Sindicato Ao Catete” há até mesmo os nomes dos que votaram pelo impedimento do presidente, o resultado final, tudo.
    O golpe foi dado por Juscelino, cuja eleição foi a mais gigantesca fraude jamais praticada em qualquer ocasião no Brasil. Fraude aberta, escancarada, mesmo!!!

  4. Investidores questionam conflito de interesse na nomeação de membros do governo para auditar a Petrobras.
    A Presidenta Dilma Rousseff obrou na cabeça do Exército e dos acionistas minoritários da Petrobras, com a nova composição do Comitê de Auditoria da empresa. Investidores vão acionar a estatal de economia mista na Securities and Exchange Commission dos EUA para denunciar que o governo brasileiro nomeou auditores em franco conflito de interesses. A velha jogada de escalar raposas para tomar conta do galinheiro soou péssima no mercado.

    A presidente da estatal, Maria das Graças Foster, teve a ousadia de comunicar à SEC que os novos conselheiros de auditoria “atendem os requisitos de independência previstos”. Graça só pode estar fazendo graça com o mercado, já que Luciano Coutinho (presidente do BNDES) e Miriam Belchior (Ministra do Planejamento) fazem parte do governo – que comanda a União, o acionista controlador. Logo, o conflito de interesses destes auditores fica evidente.
    Mais,aqui:
    http://www.alertatotal.net/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *