O Supremo e os espaos vazios

Carlos Chagas

Realizando-se ainda este ano ou ficando para fevereiro, jtem resultado certo o julgamento do Supremo Tribunal Federal sobre doaes empresariais em campanhas polticas. Elas sero proibidas. Claro que a deciso no valerpara as eleies de 2014, quando continuarilimitada a possibilidade de empresas privadas contriburem para a eleio de seus preferidos, claro que esperando e at exigindo retribuies durante seus mandatos.

Muita gente protesta diante do que parece uma intromisso da mais alta corte nacional de justia nas atribuies do Congresso, afinal, a quem caberia decidir sobre o processo eleitoral. O diabo que o Congresso passou anos debruado na questo e athoje no conseguiu resolv-la. Acionado, o Supremo tenta desatar o n criado pela corrupo, j que nada mais abjeto do que assistir o poder econmico distorcer a vontade popular.

Em poltica no hespaos vazios. Se o Legislativo cruza os braos, cabe ao Judicirio atuar. Fica ento incua a reao dos presidentes da Cmara e do Senado, protestando contra o que seria a tal intromisso indevida. Tivessem deputados e senadores votado a reforma poltica em toda sua integralidade e o Supremo se daria por incompetente na anlise da ao.

Htempo atas eleies municipais de 2016 para que a reforma poltica venha a ser debatida e votada, em especial por um Congresso renovado ano que vem. Esperana sempre haver, mas os impasses que vm de dcadas cobrem a hiptese de duvidas. Nada conseguiram de fundamental, at hoje. Sequer o financiamento pblico das campanhas foi aprovado. Sendo assim, devero partidos e candidatos conformar-se com as verbas do fundo partidrio e com as doaes individuais para as campanhas. Espera-se que a Justia venha a limitar o montante que cada cidado poder doar a seus preferidos.

SONHO DE NOITE DE VERO O ANO INTEIRO

Com a Petrobras envolta em srias dificuldades financeiras, parece evidente a bobagem que ficar contando com os recursos do petrleo do pr-sal. Apesar de recursos mais prometidos do que amealhados junto China e os Estados Unidos, so imensas as dificuldades para se chegar ao produto. Nem em vinte anos o pas estar extraindo o petrleo das profundezas, inclusive por carncia de equipamento, tanto inexistente quanto no testado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.