O último ato de Bolsonaro só poderá ser o de cancelar as eleições de 2022

Charge do Amarildo (agazeta.com)

Pedro do Coutto

Em continuidade ao meu artigo de ontem, sábado, explico o motivo pelo qual acho que o processo contra Alexandre de Moraes foi o penúltimo gesto de Bolsonaro no Planalto. A ele só resta agora tentar fazer cumprir a ameaça que fez à nação de cancelar as urnas de 2022, como consequência explícita de a Câmara dos Deputados ter rejeitado o caminho de volta ao voto impresso no país.

A ameaça de Bolsonaro, absolutamente extremada e extremista, representa historicamente um compromisso que ele assumiu, principalmente consigo mesmo, mas também em relação aos seus seguidores que acham que o uso da força pode resolver os problemas nacionais.

PROMESSA – Bolsonaro, para ser coerente com o seu radicalismo e com os radicais, após rejeitado o processo contra Alexandre de Moraes, será impelido a cumprir a promessa que fez publicamente de tentar violar a Constituição e suspender as eleições gerais de 2022. Chamo a atenção para o destaque “eleições gerais”.

Eleições gerais porque não se referem apenas ao presidente da República, mas também aos governadores, senadores e deputados federais cujos mandatos estarão em jogo em 2022. Desta forma, Jair Bolsonaro cai num abismo de contradições em relação aos seus próprios adeptos. Isso porque simplesmente, sem as urnas, senadores, deputados federais e governadores perderiam automaticamente os seus mandatos.

“IMPERADOR” –  Com isso, Bolsonaro ao se proclamar imperador do Brasil estaria extinguindo as representações parlamentares no Congresso, os mandatos dos atuais governadores e a perspectiva eleitoral daqueles que desejam sucedê-los nas urnas democráticas. Se tomar a iniciativa de violar a Constituição de 1988 e bloquear o acesso do povo às urnas, Bolsonaro automaticamente perderá o apoio do próprio Centrão que o sustenta no quadro institucional brasileiro.

Afinal de contas, como será possível uma representação parlamentar votar contra a sua própria existência no cenário democrático do país? Bolsonaro certamente não pensou nisso. Mas as principais figuras do Centrão, nesse ponto ultra nevrálgico, terão que se colocar ao lado dos oposicionistas, sobretudo porque se não fizerem isso estarão se opondo a si mesmos.

Por isso, na minha impressão, o último ato do presidente que explodiu a si mesmo será desconsiderar o próprio processo democrático que o levou ao poder em 2018 e que agora o rejeita intensamente, no percurso  de 2022. Como se desenvolverá a sucessão antecipada de Bolsonaro ? Conforme disse o poeta, “ser ou não ser presidente, é a questão essencial”.

22 thoughts on “O último ato de Bolsonaro só poderá ser o de cancelar as eleições de 2022

  1. Conversa fiada. O Presidente até agora só jogou dentro das quatro linhas da Constituição, como ele tem dito. Portanto, quem está agindo contra o país, são membros do STF, e parte do CN. Se porventura a coisa desingrigolar, o povo brasileiro já sabe de que lado vai ficar. Aguardemos os próximos movimentos das peças no tabuleiro do jogo de xadrez. Não vejo a hora da onça beber água.
    Brasil acima de tudo e Deus acima de todos.

  2. Assim como um golpe militar para ser vitorioso precisa ser previamente acertado com o Tio Sam, um golpe político precisa ser combinado com forças políticas.
    Como atualmente no Brasil temos alguns arremedo de partidos não há como e com quem combinar algum golpe desta natureza.
    O que teremos é a repetição de patacoadas e barracos semanais. Sempre o autor e ator principal será Bolsonaro. O que muda são os coadjuvantes e o enredo dos novos capítulos.
    Aguarda se com grande espectativa as manifestações do dia 7, se preparem, o espetáculo será para chorar de tanto rir.

    • Ronaldo, Tio Sam já deu o sinal verde, e por aqui as coisas também já estão ajeitadas.
      O que estava faltando era a manifestação popular, e agora que o povo está sabendo de onde estão vindo os problemas, o xequemate está a caminho.
      Aguardemos a finalização do jogo. Tudo a seu tempo.

  3. Suposição esdrúxula. Se vale tudo, talvez o nosso Mula possa também assumir a Casa Branca e começar a terceira guerra mundial. `Menas exageração`, seu autor.

  4. Os ” patriotas” que flertam com o golpe e a volta do obscurantismo, com fechamento do Congresso, prisões de jornalistas e desafetos, simplesmente para permanecer no Poder, com medo de perder as eleições, pagarão o preço por mergulhar a nação no mesmo drama da Líbia, do Iraque, da Síria, do Afeganistão e da Venezuela.
    Não adianta contar com os EUA, que já perceberam a furada e o custo de uma intervenção armada para manter governos que não se sustentam ao longo do tempo. Nesse clima de tensão permanente, trabalhadores e empresários perdem seus empregos e seus negócios. Política nefasta, na qual todos perdem.
    Não seria melhor, se submeter ao escrutínio popular. Se ganhar continua, se perder, se prepara para voltar quatro anos depois. Simples assim.
    Querer se perpetuar, a todo custo, tem um componente de azar e de tragédia. O drama de Getúlio Vargas está bem presente na nossa memória

    • Roberto, tens razão em apaziguar o momento difícil porque passamos. Mas como dissestes, a oposição (?) não está aceitando a derrota nas urnas(2018), e quer porque quer tomar o poder na força, como José Dirceu fala pelos quatro cantos. Então o que sugeres?

  5. Paulão. Quem dá ouvidos para o mensaleiro José Dirceu? Ao invés de guerreiro, um traidor do povo brasileiro. Se você olhar o passado, todos os governos tiveram oposição ferrenha, ao eleito da vez. Getúlio, Juscelino, Collor, Sarney, que inclusive teve seu ônibus apedrejado no Rio de Janeiro, após o final de seu Plano Cruzado e congelamento de preços?
    Quem na história do país, foi mais atacado do que o presidente João Goulart
    Esse de agora sofre oposição, porque não governa e ataca as instituições dia sim e dia não. Sua política e insuflar os seus adversários para se manter na mídia, uma tática de Steven Bannon o marqueteiro de Trump.
    Não está dando certo, por isso as ameaças, as eleições de 2022.
    O povo quer paz e tranquilidade para trabalhar. Não se governa uma nação como o Brasil, com fakenews e esticando a corda, em entrevistas toscas, no cercadinho do Planalto.
    O país queria coisa melhor, quando derrotou o PT, que afinal não está fazendo oposição ao governo como é da democracia. Malandramente está quietinho, vendo o desgaste para se beneficiar. Essa tática de avestruz, não costuma dar certo. Já se fala abertamente no meio empresarial, de uma terceira via.
    Vamos debater sem acirrar os ânimos. O Brasil precisa caminhar no rumo do progresso, só isso.

    • Inteligentemente o PT não está liderando nenhum movimento para preocupar Bolsonaro e desviá-lo de seus compromissos maiores.
      Bolsonaro não precisa de oposição, ele sabe se autodestruir.

      • O ideal para o país, seria o fim do acirramento, distender as relações esgarçadas e parar com as ameaças de golpe.
        O problema é que se atingiu um limite tal, que Bolsonaro não tem mais condições de recuperar o tempo perdido, devido aos erros cometidos no combate a Pandemia e a quebra dos compromissos da campanha, que foram muitos.
        Do ente essa boa do confronto serve a ele. Uma pena para nós e para o país.

        • Roberto, aprecio seus comentários pela clarividência, inteligência e sensatez e principalmente pela saudável persistência, mas temo que você como eu, estejamos perdendo tempo, pregando no deserto, deserto hostil a qualquer gota de água da razão. Estou perdendo a esperança, Roberto, acho que só uma chuva, não, um aguaceiro de neurónios poderia trazer um clima de entendimento e soluções.

  6. Como legalizar um crime? Abrindo inquéritos ilegais e dizendo que está defendendo a democracia e as instituições. É emblemática a nota do STF que considera “antidemocrático um procedimento previsto pela constituição”, que é o pedido de impeachment de qualquer ocupante de cargo público – aliás, como fazem diuturnamente contra o Presidente Bolsonaro – mas, acham medida de defesa da democracia prender pessoas por crime de opinião sem dar-lhes sequer o direito ao devido processo legal.
    Em princípio, quero avisar que não confio e não concordo com a forma de manifestação dos senhores Roberto Jefferson, Sara Winter e Oswaldo Eustáquio. Mas, não concordo e não gosto também de Reinaldo Azevedo e muitos outros que estimulam a violência contra seus adversários, mas nem por isso defendo que sejam presos.
    Se você NÃO acredita que existe uma inteligência organizada (que se estruturou por mais de um século) por trás do processo de desestabilização que estamos passando,
    lamento. Faço um alerta: nossa liberdade e soberania do país estão sob intenso ataque.
    Quando acusam a existência de uma organização para interferir nas eleições, não estão totalmente errados!
    Existe sim uma REDE mundial que interfere em eleições pelo mundo, mas em favor da esquerda.
    Enquanto perfis são retirados do ar, contas são bloqueadas de receber patrocínio e militantes são encarcerados pela polícia, a forma mais eficaz de ludibriar a opinião pública é criando uma tese semelhante contra o adversário. É como o “trombadinha” que bate a carteira e grita “pega ladrão”!
    Além da inevitável repercussão das prisões, podem ter sido alertados pelos “gerenciadores de conteúdo” de que houve um aumento (nos mecanismos de pesquisa) pela busca de informações acerca das arbitrariedades. A rede de desinformação que envolve ONGs, mídia e agentes do próprio estado entra em ação.
    Muito prazer, eu me chamo “Guerra Híbrida”!
    O sistema não pode permitir que um Presidente Conservador governe o Brasil para os brasileiros. Voto auditável? “Nem pensar! Não podemos perder o controle”.

  7. Cidadão, concordo com você na retórica, pedir impeachment é democrático e constitucional, afinal já foram pedidos 132 contra o presidente, qual a importância do presidente pedir unzinho, agora, espero que os resultados práticos empatem 0 x 0.

  8. Quanto ao Presidente Conservador, não restam dúvidas, conserva ainda o salário do primeiro parente que contratou. Desculpa, mas certas afirmações dos acólitos induzem à chacota.

  9. Ingenuidade querer argumentar com teleguiados de cultuadores da tortura e do estupro, além de ladrão desde o primeiro mandato há mais de 30 anos.

    Ingenuidade querer argumentar com teleguiados d’um cabrón enrustido que mandou o filho 01 condecorar assassino miliciano Adriano da Nóbrega (e empregar como funcionárias fantasmas em seu gabinete a mãe e a esposa do dito miliciano que depois viria a ser assassinado como queima de arquivo).

  10. Mas, esse pedido dele, se deve a uma mera contrariedade às decisões judiciais, principalmente decididas pelo ministro Alexandre de Morais. Ele não suporta também, o ministro Roberto Barroso, pela atuação como presidente do TSE contra o Voto Impresso.
    Será que ele deseja somente decisões judiciais, que sejam a favor dele, da sua família e do governo?
    Parece que é isso. Somente um ditador, tem o Judiciário nas mãos. Na Democracia, o respeito as decisões judiciais é a regra.

  11. Senhores, a melhor Ditadura, sempre é a pior solução para as nações.
    Os exemplos de Ditaduras, que desembocaram em tragédias para seus povos, são incomensuráveis.
    Na Soviética de Stalin gerou a dissolução do país e legou um presidente bêbado, Boris Yeltsin e um autocrata como Putin.
    Em Cuba, Fidel Castro ficou lá até morrer, e sequer melhorou as condições econômicas da Ilha.
    Hitler, Mussolini, o general Francisco Franco na Espanha e Salazar em Portugal só deixaram sangue, suor e lágrimas.
    A Ditadura Brasileira pós 1964 depois de 21 anos, deu nisso que esta aí, uma desorganização louca e o país atrasado no século 21.
    A Ditadura Venezuelana é um assombro de caos, incompetência e sofrimento para o povo e a política dividida.
    Então, será que nós, o povo brasileiro irá querer embarcar em mais uma aventura, que sabemos dos rumos, a incerteza e a desagregação da sociedade como consequência do perigo. O risco é altíssimo e além de tudo, não é patriótico colocar a nação em risco, por causa da vontade de alguns, em permanecer no Poder, um exercício efêmero.

    • Pare com essa conversa fiada de ditadura. O Bolsonaro já disse que vai defender a democracia até o ultimo suspiro.

      O STF; o STE estão censurando e confiscando; mas, as forças armadas QUE SÃO O PODER MODERADOR, não permitiram nenhuma ditadura.

  12. Soltaram o Lula pra quê?
    Será que é para ele pregar o Evangelho como bom samaritano com sempre foi, será que vai querer tirar mais alguns milhões da pobreza?
    E Bolsonaro é que quer dar o golpe sendo presidente, vai criar uma nova figura política, o bi presidencialismo. Hehehe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *