Obstrução intestinal, que acometeu Bolsonaro, é problema grave, alerta médico

TV Globo - Dr. Bernardo Martins HSLSN - 12-06-2019

Especialista fala sobre os riscos da doença do presidente

Renato Souza e João Vitor Tavares
Correio Braziliense

A obstrução intestinal, que levou o presidente Jair Bolsonaro a ser internado e que pode requerer cirurgia, ocorre em razão de traumas ou hábitos de vida. “É uma parada do trânsito fecal. O intestino tem um movimento automático, que chamamos de peristalse. Quando existe alguma obstrução, ocorre esse problema de funcionamento do intestino”, explicou Bernardo Martins, gastroenterologista do Hospital Santa Lúcia Norte.

O sistema digestivo é composto, basicamente, por um longo tubo de cerca de nove metros — tubo digestivo —, onde os alimentos ingeridos nas refeições são transformados na digestão e absorvidos. Fazem parte do conjunto: estômago, intestino delgado, intestino grosso, entre outros órgãos.

INSPIRA CUIDADOS – O médico destacou que, embora o quadro inspire cuidados, a ida precoce ao hospital é importante para evitar complicações. “Quanto antes se começa o tratamento, existe mais chance de ter sucesso. Se descoberto em estágio mais avançado, pode ocorrer a morte de parte do tecido intestinal, assim como ter alterações de desnutrição e desidratação. Obstrução intestinal pode matar em casos graves”, alertou.

Em relação ao caso de Bolsonaro, Martins afirmou que a nova obstrução é consequência da facada que o presidente levou em setembro de 2018, durante a campanha ao Planalto, e das cirurgias anteriores. “Qualquer paciente que opera de emergência, como ele, que foi operado da facada, primeiro se faz a resolução do risco potencial de morte. Foi uma cirurgia muito longa, extensa, que aumenta os riscos das bridas (membranas de cicatrizes)”, frisou.

Conforme boletim médico da época, houve lesão profunda: além de atingir o intestino grosso e delgado, rompeu uma veia do abdômen. Desde então, Bolsonaro passou por outros quatro procedimentos cirúrgicos relacionados ao atentado.

“Toda cirurgia tem seu risco, mas se o paciente não tem febre, infecção, ou morte de parte do intestino, se espera que tudo corra bem. Mas uma cirurgia sempre é mais complicada do que a outra”, ressaltou.

11 thoughts on “Obstrução intestinal, que acometeu Bolsonaro, é problema grave, alerta médico

  1. E daí, doutor? eu não sou messias nem coveiro. Se o presidente está mal, que se console com os que choram a perda de 450 mil brasileiros que de covid morreram.
    Alea jacta est!

  2. Desejo ao ser humano jair messias bolsonaro uma vida longa, muito longa – inclusive para que possa cumprir por todos os crimes hodiendos que ele cometeu e comete.

    Desejo ao ser humano jair messias bolsonaro uma vida longa, muito longa -, diferentemente de seu comparsa capitão Adriano da Nóbrega, assassinado como queima de arquivo.

    Desejo ao ser humano jair messias bolsonaro uma vida longa, muito longa -, bem como de todos os integrantes da sua familícia para que paguem por todos crimes cometidos.

  3. Cada médica fala uma coisa diferente.

    Já vi médicos dizendo que em 90% desses acasos em que acometeu o Bolsonaro não precisa de cirurgia; Já vi médicos dizendo que é preocupante o estado do Bolsonaro,…Eu já nem sei em quem acreditar…

    • Hoje em dia é preciso levar em conta a ideologia do profissional para se saber o que ele quer dizer. Submetido á mesma questão um Gilmar diz uma besteira e um Toffoli diz outra. O mesmo acontece com certos médicos.

  4. Com as tripas obstruídas não é de se admirar que cague todo dia pela boca.

    Tá explicado a caganeira diária.

    Deixem Madame M. agir… ela sabe o que faz.

    O genocida vai sentar no vaso do capeta.

    JL

  5. Manchete da Veja: Bolsonaro evolui de forma “satisfatória”, diz boletim.

    Desejo a ele toda a sorte que ele desejou aos milhares de mortos pela covid.

  6. Ele ainda está vivo?

    Fiquei o dia todo ocupado, sem tempo para ler e acompanhar notícias, então esperando uma notícia boa no final do dia…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *