Odebrecht avaliou mais de 20 imóveis luxuosos para nova sede do Instituto Lula

Resultado de imagem para Paulo Melo, executivo regional da Odebrecht

Melo contou que a ordem foi dada por Marcelo Odebrecht

Cleide Carvalho
O Globo

A Odebrecht estudou mais de duas dezenas de imóveis para construir uma nova sede do Instituto Lula, além de um projeto de reforma da atual. Entre os imóveis está uma mansão na Avenida República do Líbano, de 1.385 metros quadrados, em Moema. A área nobre é perto do Parque do Ibirapuera, em São Paulo.

A informação faz parte da defesa de Paulo Melo, executivo regional da Odebrecht Realizações Imobiliárias e Participações (OR), encarregado de analisar o imóvel da Rua Dr. Haberbeck Brandão, em Indianópolis. Os advogados de Melo argumentam que ele apenas cumpriu ordens de Marcelo Odebrecht para avaliar locais onde o Instituto pudesse ser instalado, sem saber da possibilidade de uso de dinheiro de propina.

MAIS ONZE OPÇÕES – “Conforme conversamos, segue em anexo apresentação com 11 novas opções de prédios comerciais. Depois das reuniões que tivemos com os interessados, foi possível entender bem a necessidade e o perfil de imóvel que estão buscando. De todos imóveis que fui visitar, acredito muito na viabilidade de aquisição do imóvel da República do Líbano 543. Trata-se de uma casa imponente com área construída de 1.385m² distribuídos em um terreno de 1.029m², com ambientes grandes, localização incrível, divisa com o Parque do Ibirapuera, com vista para o lago. Acredito que não gastaríamos muito para reformar a casa, pois já estava com utilização comercial. Gostei muito do imóvel e gostaria de visitar o mesmo contigo”, diz um e-mail enviado por um dos executivos da OR.

Na resposta à acusação, os advogados dizem que Melo foi convocado por Marcelo Odebrecht e recebeu dele a determinação para achar um imóvel que seria usado como futura sede do Instituto Lula e informou que a compra seria feita pela DAG, que pertence a Dermerval Gusmão, amigo do empresário. Marcelo teria dito ainda que a compra seria feita em nome da DAG “para prevenir desnecessária exposição midiática”, visto que, na época, Lula ainda era presidente da República.

JAMAIS DOADO – Segundo os advogados, Marcelo Odebrecht afirmou que o imóvel seria vendido ou alugado ao Instituto Lula, “jamais doado”, e que Melo não teria condições de desconfiar de um presidente com altíssimos níveis de popularidade na época. Não recaia sobre ele qualquer tipo de suspeita.

Marcelo Odebrecht, diz o documento, mandou que ele falasse com Roberto Teixeira, advogado e amigo do ex-presidente Lula, que já havia localizado imóvel de interesse na Rua Dr. Haberbeck Brandão.

A propriedade da Rua Dr. Haberbeck Brandão foi adquirida pela DAG. Segundo Melo, o Instituto Lula rejeitou o prédio e, a partir de então, a equipe da OR “estudou mais de duas dezenas de outros imóveis para viabilizar o mesmo negócio”.

VANTAGEM INDEVIDA – Na ação, o Ministério Público Federal expõe que, como parte de acertos de propinas de contratos da Petrobras, o Grupo Odebrecht teria oferecido ao ex-presidente vantagem indevida, de cerca de R$ 12 milhões de reais, com a compra do imóvel da Rua Dr. Haberbeck Brandão.

O Instituto Lula informa que funciona em sobrado adquirido em 1991 pelo Instituto Cidadania e que só considerou construir um prédio quando apresentou a proposta do Memorial da Democracia, em 2012.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A situação de Lula da Silva (réu em cinco processos) se complica cada vez mais. Essa delação do corretor confirma lavagem de dinheiro em duas situações – no caso do Instituto Lula e também no caso da cobertura vizinha em São Bernardo, que Lula simulou alugar para duplicar sua residência. Como se sabe, a mesma empresa laranja da Odebrecht, a DAG, marca presença nas duas investigações. (C.N.)

13 thoughts on “Odebrecht avaliou mais de 20 imóveis luxuosos para nova sede do Instituto Lula

  1. Só Deus para nos livrar, como roubam este país, agora mesmo assisti a obra da TRANSNORDESTINA, uma obra orçada em R$ 4 bilhõe será aumentada para R$ 11 bilhões e pior, querem indenizar as famílias com uma merreca, tem um morador do local com um terreno de 500 mts2 que o governo avaliou em R$ 5,95, é um absurdo, roubam de quem não tem, metem a mão no erário público, aonde vai parar esta roubalheira neste país, é preciso ter alguém que dê um BASTA nesta safadeza generalizada.

  2. Essa é mais uma “estoria” sem pés nem cabeça. O Moro tem que urgente condenar Lula de alguma maneira. Caso contrario Lula ganha a eleição no primeiro turno. “Esse é o tal crime impossível: O indivíduo aperta o gatilho de um revolver apontado para outro e não sai a bala porque o revolver está descarregado”.

  3. Não sou filiado a nenhum partido, mas porque não perderam FHC, Renan, Sarney Jucá, Eunício, Moreira e tantos outros, com certeza Lula ficara inelegível porque a elite quer continuar matando na viuva, pobre Brasil, poderes podres, chega exalar mal cheiro.

    • E ele era tão bonzinho… O cara fez o Minha Casa Minha Vida, distribuiu dentadura para pobre, trouxe a Copa e as Ulimpiadas para o Brasil, conseguiu formar uma base de sustentação no Parlamento e ainda conseguiu eleger um poste para dar à sua obra. Dá saudade… Ele já morreu?

  4. A Lava Jato, com a Polícia Federal, com juiz Sergio Moro e o Ministério Público, ainda que se cometa alguns excessos, ou erros, é a única esperança que o Brasil tem de ser passado a limpo.
    Com esses políticos que aí estão, nenhum presidente da república terá condições de passar o Brasil a limpo. Nós, não podemos perder essa oportunidade de eliminar os ladrões do erário publico , que infestam o país.

  5. Caro João Evangelista,
    Sinto-me feliz em saber que você concorda comigo.
    O grande problema da corrupção é o foro privilegiado, que nada mais é do que a certeza da impunidade, haja vista, que o STF não tem condições de julgar essa enxurrada de processos contra políticos em tempo hábil.
    A presidente e os ministros do STF.deveriam declarar que não tem condições de julgar essa quantidade de processos, pois haveria o risco de prescrição da maioria dos processos e apoiar o projeto do ministro Barroso que limita o foro privilegiado.
    Um abraço..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *