“Olha, está chovendo na roseira, que só dá rosa mas não cheira”, cantava Tom Jobim

Frases do Meio Ambiente - Tom Jobim, músico (31/05/13) - ((o))ecoPaulo Peres
Poemas & Canções

O maestro, instrumentista, arranjador, cantor e compositor carioca Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (1927-1994) é considerado o maior expoente de todos os tempos da música brasileira e um dos criadores do movimento da bossa nova.

A letra de “Chovendo na Roseira”, feita na década de setenta, já tratava do tema ecologia e, por sua beleza, estimula-nos a defender, cada vez mais, a natureza e nos ensina a preservar os rios, as plantas, as árvores, os animais e as flores. A música foi gravada LP Elis & Tom, em 1974, pela Philips.

Rolé CariocaCHOVENDO NA ROSEIRA
Tom Jobim

Olha
Está chovendo na roseira
Que só dá rosa mas não cheira
A frescura das gotas úmidas
Que é de Betinha, que é de Paulinho, que é de João
Que é de ninguém!

Pétalas de rosa carregadas pelo vento
Um amor tão puro carregou meu pensamento
Olha, um tico-tico mora ao lado
E passeando no molhado
Adivinhou a primavera

Olha, que chuva boa, prazenteira
Que vem molhar minha roseira
Chuva boa, criadeira

Que molha a terra, que enche o rio, que lava o céu
Que traz o azul!

Olha, o jasmineiro está florido
E o riachinho de água esperta
Se lança embaixo do rio de águas calmas

Ah, você é de ninguém!

10 thoughts on ““Olha, está chovendo na roseira, que só dá rosa mas não cheira”, cantava Tom Jobim

  1. Teus cabelos contra o vento
    Queria ser por um momento
    Poder em cada rajada
    Esculpir no teu semblante
    Meu modelo desejado

    Nunca vi noutros viventes
    Olhos assim tão luzentes
    Numa alma tanto fervor
    Lábios de pétalas róseas
    Exalando o puro amor

    Sinto no brilho da flor
    A essência do teu olor
    Espalhando só jasmim
    Nas asas do erotismo
    A chegar até a mim

    Quem dera ser tuas blusas
    Contornar todas as curvas
    Os teus seios amparar
    Contra a má fúria do vento
    Que te pretende desnudar

    Oxalá ser tuas calças
    Apertar todos os laços
    Pro teu sexo proteger
    No vaivém do teu andar
    Deliciarmo-nos de prazer

    Queria ser o teu pijama
    Para te vestir na cama
    Deslizar sob os teus dedos
    Guiados por minha lembrança
    Até o auge dos desejos

    PS: Aproveitando o Tom do tema, deixei aqui minhas graforreias!

  2. Aproveitando a deixa da rosa sem cheiro do nosso grande Tom, apresento a história de uma rosa branca que sofria por um amor que voava de flor em flor:

    O Amor da Rosa Branca
    ———————————

    Num certo mundo encantado havia um beija-flor
    Que vivia muito ocupado a voar de flor em flor.
    Num constante vaivém, em repetidos clamores,
    Jurava sempre querer bem e amar todas as flores.

    Mas elas todas sabiam que ele adorava o perfume
    De uma rosa branca que a elas fazia inveja e ciúme.
    Um dia, porém, surgiu no jardim uma flor muito formosa,
    Pequena como o jasmin e mais perfumada que a rosa.

    Com sua graça e encanto logo o beija-flor seduziu,
    E a rosa branca,com o pranto de dor as pétalas tingiu.
    Daí seus dias se passaram sempre tristes e cinzentos,
    Sem que nunca houvesse ao menos esperança ou alento.

    Certa manhã, porém, muita supresa ela viu
    Enxames de abelhas a voar, e um girassol que se abriu.
    Viu também milhares de jasmins, begônias e margaridas
    Radiantes a festejar a primavera bem-vinda.

    Primavera! Primavera! Parecia a natureza clamar,
    E, por toda parte, fragâncias misturavam-se no ar…
    De repente a rosa viu, vindo de um canteiro distante,
    Um pequenino beija-flor, acenando às flores, galante.
    Um frisson incontido por suas pétalas correu:
    Era ele que voltava, afinal, o seu amado Romeu!

  3. Foi – e continua sendo – um verdadeiro gênio como compositor, letrista e cantor.
    Tenho, praticamente, sua obra completa em vinil e cd e agora, com YouTube e Spotify, não fico a dever pra ninguém.

    • Olá Jared!

      Conforme votação, por unanimidade, Caetano Veloso foi eleito o melhor, escolhido por cantores e compositores. Mas aí tem a questão do conteúdo moral, Caetano exibe um caráter imundo. Acho que a dimensão Ad Hominem ainda prevalece sobre a Ad Rem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *