Ontem falei na farsa da Casa Branca e de Obama. Hoje, a farsa do Paquistão (jogando dos dois lados), a reversão da “popularidade” do presidente.

Helio Fernandes

É muito difícil, quase impossível desvendar, analisar e desmistificar fatos importantes, no momento em que está acontecendo. Ou até mesmo saber e revelar a verdadeira exatidão de tudo, ou se não passa de farsa e mistificação. Principalmente quando esses fatos (?) envolvem o domínio do mundo, uma eleição presidencial nos EUA, a luta a respeito de um TERRORISMO que completou 10 anos. Terrorismo que não se sabe bem onde começa e onde acaba, se é que acaba ou acabará algum dia.

E tem tudo para definir a existência, o futuro e a consolidação de países, personalidades, e os mais formidáveis interesses financeiros. Impossíveis de calcular, dimensionar ou colocar nos números verdadeiros.

E isso ganha dimensão extraordinária, quando no centro de tudo está colocada a CIA, o órgão mais poderoso, mais corrupto e mais independente dos EUA e do mundo. A atuação dessa CIA (que é proibida de atuar internamente nos EUA) é espantosa.

E quando surgem números assombrosos que foram pagos, estão sendo mobilizados e ficarão à disposição para comprar quem for necessário comprar.

Não se pode deixar de citar a CIA. E nada a ver com a importância de 1 BILHÃO E 300 MILHÕES, que os EUA destinam anualmente ao Paquistão, como a outros países.

Essa soma, nada a ver com números manuseados agora, já de algum tempo. Pois essa operação não começou no domingo ou na segunda-feira, deve ter sido iniciada no próprio 11/9 ou até antes. Daí o aparecimento, em cima do fato, do incompetente do Bush.

Ainda no jornal impresso, escrevi sobre um livro maravilhoso, escrito pelo jornalista e escritor Tim Weiner. Ele mesmo confessa que levou 22 anos para investigar e escrever “Uma História da CIA”.

Ganhou o Premio Pulitzer, mas colocou a  CIA no centro dos mais corruptos acontecimentos. Levantou tudo sobre a Guerra Fria, e os pagamentos feitos pelo órgão, com total liberdade, “comprando duas ou três vezes o mesmo espião, dos EUA e da União Soviética”.

Com a entrada em cena da CIA, nada é surpreendente, examinemos o que coloquei no título destas notas. A farsa de Obama, confessando publicamente, que estava ao mesmo tempo em dois lugares, é fato consumado. E que não será desmontado, não há o menor interesse.

O Paquistão “enroladíssimo” com os EUA e com Bin Laden. Não tem como se defender ou explicar o que aconteceu. Bin Laden morava há 5 anos (ou fosse um tempo maior ou menor), no centro urbano da capital do Paquistão, num local onde existem várias unidades militares.

IMPOSSIVEL não saberem. A mansão, enorme, onde moravam mais de 30 pessoas (sem contar os seguranças do próprio Bin Laden). Esses seguranças eram indispensáveis, havia, não de agora, dissidência na al-Qaeda. Isso foi mais do que comprovado e até compreensível. Bin Laden era e continua sendo o homem mais importante do mundo (vivo ou morto), o que provoca divergências, ódios e natural dissidência.

Querem culpar o Serviço Secreto do Paquistão, absurdo completo. Nenhum órgão dito de “inteligência” (nem o SNI dos arapongas) deixaria de ver o que estava acontecendo. Recebiam ordem das mais altas personalidade do governo. O “acordo” de pouco mais de 1 BILHÂO vem de muito longe, agora na Era do TRILHÃO, pretendiam e pretendem uma renegociação.

Ninguém viu a “descida” dos helicópteros (um ou dois, sem confirmação), não se sabe onde foram parar, depois de incendiado. Barulhentos, pousaram ou ficaram “rondando”, enquanto o homem mais procurado do mundo não sabia de nada? Dormia, descuidado?

Bin Laden, certíssimo, foi traído pelo governo do Paquistão. Sem muita certeza, mas hipótese bastante razoável, foi traído pelos seguranças, talvez, “cooptados” pela dissidência dentro da al-Qaeda.

Não teve cuidado ao contratá-los? Alguns trabalhavam há 10 anos com ele, por que traí-lo agora. As propostas foram “irrecusáveis”? Feitas por quem e de que forma?

Nenhuma reação de dentro da mansão? Os que estavam com Bin Laden, praticaram o assassinato? Sem reação, nem mesmo a CIA poderia acreditar. O homem que durante 10 anos não foi encontrado pelas maiores forças civis e militares do mundo, se deixou “apanhar” dessa maneira “estranha e inocente”?

Se Bin Laden não foi morto pelos que estavam ao seu lado, na mansão, os que assaltavam com os helicópteros, seriam destruídos em pleo vôo. A mansão tinha espaços enormes e até campo de pouso, mas os helicópteros não desceram, isso está provado.

E anunciaram fartamente (a CIA e a Casa Branca): “Bin Laden estava desarmado, não foi encontrada nenhuma arma”. Essa afirmação não foge de duas conclusões. 1 – Assassinaram um homem desarmado, o que é execrável até para a CIA. 2 – Por que os helicópteros não foram metralhados. Estavam em posição altamente desfavorável, seriam destruídos em cinco minutos.

Admitamos que Bin Laden estava descuidado e desarmado. Mas os que moravam na mansão, civis e parentes de Bin Laden, se dispuseram a serem assassinatos, como aconteceu com alguns deles?

E os seguranças, aceitemos que faziam parte da dissidência contra Bin Laden, não reagiram nem mesmo para salvar suas vidas? Ou também não tinham armas? Seguranças desarmados, é o último malabarismo da CIA.

Teria havido um “acordo” entre os seguranças de Bin Laden e o alto comando da CIA? Se tivesse havido, Bin Laden teria sabido, como soube de tudo nesses 10 anos em que viajou por vários países, com toda tranquilidade.

Duas hipóteses reiteradas, para melhor esclarecimento. 1 – Houve “acordo” entre a CIA e os seguranças? Como se entenderam? Conversando por celular, não rastreável, o que no Brasil se chama de “pré-pago”?  Esses seguranças, DESARMADOS, nenhuma suspeita do experimentadíssimo e precavido Bin Laden?

Nada é fácil nesse emaranhado de interesses colossais. Se e quando resolveram publicar (ou algum Assange descobrir) quanto custou a morte de Bin Laden, o mundo ficará estarrecido. Mas a CIA e a Casa Branca podem dizer: “Salvamos o mundo, o dinheiro nós fabricamos, qualquer que seja o total”.

Mais “invencionices” e “mistério” em relação ao corpo. Onde está? Em que mar foi jogado? Por ordem de quem? Obama é que deu essa ordem para jogar o corpo no mar, mesmo correndo o risco de obrigar os jornalões do mundo todo a falar em SEPULTAMENTO? Não está errado, mas é outro fato estranho, dizer que Bin Laden foi SEPULTADO no mar.

Nas ultimas 24 horas, a Casa Branca e o próprio Obama, preocupadíssimos. Logo que se soube do assassinato, imediatamente ELEVARAM a cotação da reeleição do presidente. Ora, ele ia ganhar mesmo. Agora que todos esses fatos vão sendo contestados e esclarecidos, fica visível a REVERSÃO da popularidade de Obama.

*** 

PS – Para que fique bem claro: nenhuma opinião do repórter, apenas análise descompromissada com qualquer lado.

PS2 – Prefiro ficar com o filósofo inglês que escreveu em 1669: “NÃO HÁ SEGREDO QUE O TEMPO NÃO REVELE”.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *