Operação para libertar Lula começou no habeas que Toffoli presenteou a Dirceu

Resultado de imagem para dirceu comemorou antes

Dirceu gravou vídeo festejando a soltura de Lula

Celso Serra

A “Operação Lula Livre” passou a mim a impressão que foi intencionalmente tramada e que se transformou em “Operação Tabajara” graças ao caráter e ao conhecimento jurídico do juiz Sérgio Moro e dos desembargadores do TRF-4, de Porto Alegre/RS. A cronologia dos fatos confirma isso, inclusive por terem ocorrido durante o recesso forense e a Copa do Mundo de futebol.

A meu ver, ficou patente que o início (momento zero) da “Operação Lula Livre” ocorreu na concessão pelo ministro petista Dias Toffoli do habeas corpus (ou habeas corruptos) para José Dirceu – sem que nenhum cidadão o tivesse requerido.

COORDENAÇÃO – Esse ato de Toffoli, está evidente, foi para que José Dirceu assumisse a coordenação da “Operação Lula Livre” – fato que se consumou.

Ficou patente que a gravação de José Dirceu festejando a “libertação” do Lula – https://youtu.be/iPa9Bjwe2pE –  já estava no prelo antes de noticia da decisão do desembargador petista Rogério Favretto vazar para o distinto público – uma decisão, aliás, que pareceu redigida por muitas mãos e cabeças coroadas do petismo.

Assim, a impressão que tivemos foi que a “Operação Lula Livre” já estava delineada antes mesmo da libertação de José Dirceu por seu velho comandado e amigo Toffoli.

ANTECEDÊNCIA – Os fatos ocorridos indicam que foi um plano montado com muita antecedência, mas a petralhada não contava com o elevado grau de conhecimento jurídico e firmeza de atitudes de Moro e dos desembargadores, leais ao Brasil e às instituições perante o caso.

Daí, a “Operação Lula Livre” se transformou em medíocre e vulgar “Operação Tabajara”, conforme a denominação dada pela jornalista Eliane Cantanhêde, do Estadão.

7 thoughts on “Operação para libertar Lula começou no habeas que Toffoli presenteou a Dirceu

  1. Tudo bem que eles sejam uns trapalhões; mas, vamos que dê certo?!!!
    Quanto custou $ a trapalhada; temos que definitivamente anular estas “pestes” que só vão fazer mal para o Brasil.
    A hora não é de deboche ou desvalorizada.

  2. Duas coisas podem acontecer:
    1. Bolsonaro presidente
    2. Intervenção militar
    Aquela que seria a terceira, Lula livre e presidente, já morreu.

  3. STF pode tirar Atibaia e outros processos de Moro. Por Helena Chagas

    nunca foram tão reais as chances de o ex-presidente se livrar do juiz Sérgio Moro nos processos curitibanos em que ainda será condenado – alguém duvida? – como o do Sítio de Atibaia e o da suposta compra do terreno para o Instituto Lula pela Odebrecht em SP

    cresce, mesmo entre integrantes das cortes superiores simpatizantes da Lava Jato, a convicção de que, de uma forma ou de outra, será preciso cortar as asas do juiz de Curitiba.

    a atitude de Moro, indo além das suas chinelas de primeira instância incomodou muita gente nas cortes de Brasília.

    O mais provável, de acordo com quem tem conversado com a turma da toga, é que o juiz seja declarado impedido de julgar novos processos contra Lula por falta de isenção depois de sua atitude heterodoxa no último domingo.

    https://goo.gl/H5NCDq

  4. Não vão tirar nada do juiz Moro. Sabe por que?
    O pedido do habeas corpus dos três deputados petistas cita Moro como autoridade coatora e o próprio desembargador plantonista Favreto concedeu a Moro até cinco dias para se pronunciar sobre o HC. O problema dos petistas pouca prática foi não imaginar que a manifestação solicitada por eles ao juiz de férias ia ser tão rápida. Basta ler a ordem de soltura disponível na rede:
    “Considerando que o cumprimento dar-se-á em dia não útil (domingo) oportunizo a dispensa do exame de corpo de delito se for interesse do paciente. Tratando-se de processo eletrônico, onde todos os documentos já se encontram disponibilizados nesta Corte, solicite-se ao juízo de primeiro grau que, no prazo de 05 (cinco) dias, se entender necessário, preste esclarecimentos adicionais que reputar relevantes para o julgamento desta impetração, ressaltando que o transcurso do prazo sem manifestação será interpretado como inexistência de tais acréscimos. Decorrido o prazo, dê-se vista ao Ministério Público Federal. Intimem-se. Documento eletrônico assinado por ROGERIO FAVRETO, Desembargador Federal”.

  5. Os militantes petistas de toga, dentro dos tribunais, perderam totalmente a vergonha. Foi o que aconteceu no habeas corpus de ofício para o criminoso condenado José Dirceu. E se repetiu agora com o criminoso condenado Lula.

    É preciso que a parte honesta do Brasil continue acompanhando de perto o que ocorre em nossos tribunais.

    E que nossas forças militares de segurança também acompanhem intensamente essas estranhas movimentações jurídicas.

    O país está sob séria ameaça. A ordem jurídica está sendo constantemente atacada. E não pode ficar por isso mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *