“Operador” de Geddel e Cunha tinha acesso até aos documentos das empresas

Resultado de imagem para lucio funaro e eduardo cunha

Funaro gravava tudo e quer fazer delação com Cunha

Wálter Nunes
Folha

O papel do doleiro Lúcio Bolonha Funaro no esquema de liberação de créditos milionários da Caixa Econômica Federal para grandes empresas mediante pagamento de propina, revelado na sexta (13) pela Operação Cui Bono?, ia muito além da função de receber e distribuir suborno. Mensagens de texto do celular do ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto, que constam de relatório da Polícia Federal, mostram que o operador, ligado ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, recebeu cópia da documentação que ao menos uma empresa enviou ao banco para obter a aprovação do crédito.

Isso aconteceu para que Funaro pudesse acompanhar a tramitação do pedido de financiamento dentro da Caixa e assim cobrar de Cleto a celeridade do processo. Funaro foi preso pela Lava Jato em julho do ano passado.

O caso aconteceu durante a operação para que a empresa BRVias conseguisse um financiamento de R$ 300 milhões da Caixa.

AJUDANDO CONSTANTINO – Além de Funaro e Cleto, estavam envolvidos na operação Cunha e o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) –que em 2012, época em que ocorriam as negociações, era vice-presidente de pessoa jurídica da Caixa. Geddel foi alvo de busca e apreensão pela PF no dia da deflagração da operação. A BRVias pertence à família Constantino, controladora da Gol Linhas Aéreas.

Em 11 de junho de 2012, às 20h48, Funaro mandou mensagem ao celular de Cleto. “Recebi um e-mail aqui da BRVias com todos os documentos já entregues lá [na Caixa] com exceção de um que foi anexado ao protocolo de entrega que eles vão entregar amanhã porque os cartórios no RJ só abriram hoje. Qual o prazo agora para estar na conta deles o dh [dinheiro] disponível para saque?”

Cleto responde um minuto depois. “To checando com a outra área. O dinheiro aqui já saiu há uma semana”.

A conversa continua com Funaro dizendo que Henrique, que segundo a PF é Henrique Constantino, acionista da BRVias, vai enviar também a Cleto os documentos e faz uma pergunta. “Você consegue liberar isso amanhã?”.

OPERAÇÃO COMPLETADA – Cleto então confirma o recebimento dos documentos da BRVias enviados por Constantino. “Recebi. Vou passar agora para o Marcos e discutir mais uma vez”.

Marcos, segundo a PF, é Marcos Vasconcelos, então vice-presidente de gestão de ativos de terceiros da Caixa. No mesmo dia 11, Cleto envia mensagem para o celular de Cunha dizendo que está difícil de “arrancar” um cronograma, mas que no dia seguinte cobrará Vasconcelos.

Em 14 de junho o financiamento é liberado. Cleto, então, manda mensagens idênticas para os celulares de Funaro e Cunha avisando sobre o sucesso da operação. “Br. Vias: valor integral foi creditado hoje para o cliente”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGLúcio Funaro é uma pessoa organizada e precavida. Costumava gravar todas as conversas e guardar os documentos. Antes de ser cassado, Cunha passou a se reunir com ele em Brasília para acertar uma delação conjunta, tendo como prova material o acervo de Funaro. É aí que mora o perigo para o Planalto e os caciques do PMDB. (C.N.)

11 thoughts on ““Operador” de Geddel e Cunha tinha acesso até aos documentos das empresas

  1. O que mais me indigna é saber que, esta cambada de bandidos controlam os mais altos postos na CEF, se um trabalhador for pedir um empréstimo para pagar contas é uma cobrança com garantias, mas para estes bandidos o dinheiro é liberado com a maior facilidade, estamos sendo governado e nas nãos de partido de bandidos.

    • O que me intriga na CEF são as lotecas! No inicio, não acumulava! Agora vive acumulada, todas elas. Ah! uma CPI das lotecas. Sou um pouco chegada à jogo: corridas de cavalo, jogo do bicho (para mim, o jogo mais honesto, e a gente jogava quanto queria e podia e se ganhava, levava. Os jogos da CEF cada vez mais caros e ninguém leva. Devo dizer que não faço fé.como antes. Vou com moderação.

  2. “Funaro:

    Me faz um favor liga p geddel e ve em qual e mail ele quer que vc passe isso ou pra quem vc entrega que se ele nao resolver vou fuder ele no Michel.
    Esse porco e um folgado do caralho”

  3. Geddel Vieira Lima
    Ministro-chefe da Secretaria de Governo do Brasil

    Período: 12 de maio de 2016
    a 25 de novembro de 2016
    Presidente Michel Temer

    Antecessor(a) Ricardo Berzoini

    Sucessor(a) –
    Ministro da Integração Nacional do Brasil

    Período 16 de março de 2007
    a 31 de março de 2010
    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva

    Antecessor(a) Pedro Brito

    Sucessor(a) João Santana

    Deputado Federal pela Bahia

    Período 1º de fevereiro de 1991
    a 1º de fevereiro de 2011
    (5 mandatos consecutivos)
    Vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal

    Período 25 de março de 2011
    a 27 de dezembro de 2013
    Vida
    Nascimento 18 de março de 1959 (57 anos)
    Salvador, Bahia, Brasil

    Dados pessoais
    Partido PMDB

    Estes “mal feitos” na Caixa aconteceram quando Geddel era CC de Dilma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *