Os anos terminados em três

Carlos Chagas

Em política, os anos terminados em “3” possuem singular característica: mesmo pequenos, constituem-se na ante-sala de grandes acontecimentos. Exprimem o ensaio-geral de dramas ou farsas subsequentes. Vale assinalar os exemplos no período de vida de quem escreve.

1943 marcou a virada na Segunda Guerra Mundial e, no Brasil, o Manifesto dos Mineiros anunciou o fim da ditadura do Estado Novo.

1953, com Getúlio Vargas de novo no poder, exasperou-se a reação dos conservadores. Ainda que sem povo, a conspiração foi para a rua, prenunciando os graves acontecimentos do ano seguinte, com o suicídio do presidente e o retrocesso no plano social.

1963, novamente a chama reacionária dividia o país, preparando o golpe militar de um ano depois, com duas décadas de ditadura.

1973 trouxe a substituição do ditador absoluto, Garrastazu Médici, pelo ditador meia-sola, Ernesto Geisel, que em seguida iniciou o processo de abertura política. Ao mesmo tempo, naquele ano, desfez-se a ilusão do milagre brasileiro.

1983 revelou a exaustão do regime autoritário. O povo foi para as ruas exigindo diretas já e a eleição de Tancredo Neves, no ano seguinte, mudou tudo.

1993 repôs o Brasil nos trilhos, com Itamar Franco na presidência, responsável logo depois pela eleição de Fernando Henrique, a promessa mal-eleita que a todos iludiu.

2003, com Lula sendo alçado ao poder, inundou o país de esperança por oito anos, nem tanto assim realizada, mas com energia suficiente para fazer de Dilma Rousseff a sucessora.

Agora, 2013, prenúncio de que? Se mantida a rotina de os anos terminados em “3” formarem a base de posteriores e grandes mudanças, vale projetar 2014, com sucessão presidencial e mais um monte de incógnitas. Mas de olho com lupa em 2013. Nem com bola de cristal será possível prever as armações que o ano em curso nos reserva para o seguinte. Basta imaginar que tudo o que acontecer depois estará sendo desenrolado agora.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *