Os dados da educação são alarmantes, não há nada que se possa comemorar

Resultado de imagem para educação CHARGES

Ilustração reproduzida do Arquivo Google

Vicente Nunes
Correio Braziliense

Se os candidatos à Presidência da República tiverem juízo, a educação será o tema principal da campanha, que começará, oficialmente, em 16 de agosto. Sem a melhoria do sistema de ensino do país, qualquer projeto de governo tenderá ao fracasso. Os dados atuais, diz o professor Abílio Baeta Neves, presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento Pessoal de Nível Superior (Capes), são alarmantes. Não há nada que se possa comemorar.

Os problemas vão do ensino básico ao superior. Portanto, o vencedor nas urnas terá que fazer uma verdadeira revolução se quiser colocar o Brasil mais próximo do que se vê no mercado internacional. O país está atrasado em tudo, sobretudo em relação às pesquisas. Por ser estritamente local, a produção científica brasileira tem baixo impacto na economia. O índice que mede esses efeitos é de 0,8 no Brasil contra 1,0 no mundo.

GRANDE PROBLEMA – O professor diz que há um problema cultural grande. Os pesquisadores não têm interesse em expandir seus estudos no exterior. Já as universidades brasileiras estão acomodadas, não fazem qualquer movimentação para ampliar o intercâmbio de alunos. São poucos os estudantes que vêm de fora. A situação é tão alarmante, diz o presidente da Capes, que mais de 50% dos pesquisadores nunca se deslocaram mais que 10km do local onde atuam. E mais: 64% deles não querem estudar no exterior.

“Há uma briga internacional por jovens talentos. Na Suíça, mais de 50% dos alunos em universidades são estrangeiros. Aqui, não damos valor a isso. Somos muito domésticos”, ressalta Baeta Neves. Ele diz que recursos fazem falta para incentivar a internacionalização das pesquisas brasileiras, mas o maior problema é cultural. “De nada adiantará ampliar as verbas disponíveis para pesquisas se não mudarmos nossa atitude. Só vamos aumentar o erro”, frisa.

SEM CONTROLE – Baeta Neves lembra o caso do Ciência sem Fronteiras, criado no governo de Dilma Rousseff. A ideia era levar um grande número de jovens para universidades mundo afora. Mas não houve controle. Priorizou-se demandas individuais, sem de preocupar com o impacto das pesquisas nas instituições de origem dos estudantes. Mais que isso: em muitos casos, o que era para ser um período de estudo se transformou em um período de férias bancadas com dinheiro público.

O professor assinala que, mesmo com toda a escassez de recursos, a Capes vem se esforçando para incrementar a qualidade dos trabalhos científicos. Em 2018, o orçamento de R$ 3,9 bilhões bancará 100 mil bolsas no Brasil e 7 mil no exterior.

Essa atuação poderia se maior não fosse o baixo ingresso de jovens no ensino superior. Daqueles entre 18 e 24 anos, somente 20% estão cursando a universidade. Isso, portanto, restringe o número de pós-graduados e doutores, os responsáveis pelo incremento da ciência.

MAIS VERBAS – Na visão do presidente da Capes o futuro governante terá de reforçar as verbas para a educação, mas com eficiência, para que os resultados sejam efetivos. A qualidade do ensino é tão ruim que estamos na 67ª colocação no ranking mundial de inovação, segundo o Fórum Econômico Mundial.

Para Baeta Neves, a crise econômica não é desculpa para se falar em cortes de recursos para a educação. Ele lembra que, entre 2008 e 2009, quando o mundo ruiu depois do estouro da bolha imobiliária dos Estados Unidos, as grandes economias do planeta ampliaram os gastos com pesquisas e inovação.

“Dizer que o Brasil gasta muito com educação é um erro. Nossa primeira universidade só abriu as portas em 1930, com século de atraso. Temos um passivo grande ante os países que investiram muito antes na educação”, afirma o professor. É preciso ter mente que a boa educação aumenta a competitividade da economia. Vivemos em uma sociedade cada vez mais conectada tecnologicamente. Há um mundo novo pela frente, e o Brasil não pode ficar de fora.

41 thoughts on “Os dados da educação são alarmantes, não há nada que se possa comemorar

  1. Mas, se dermos estudo e conhecimento, pois a educação é dada em casa, acabam os exploradores. Como vão viver os políticos corruptos que se alimentam do analfabetismo? E as religiões que se alimentam da ignorância? Conheço um jovem professor universitário, com dois anos de mestrado, mais cinco de doutorado no exterior e, que numa universidade federal ganha menos de 10 mil por mês enquanto qualquer serviçal do Congresso Nacional pode ganhar o dobro disso. Por outro lado, as universidades públicas se tornaram no reduto das esquerdas e, lá, ninguém está preocupado com conhecimento e estudo. Só sabem dos direitos.

    • Exatamente, seu Francisco – os 13 anos da turma da pesada (no bolso alheio) só difundiu ignorância. Como pode alguém esperar de um ignorantão rasteiro preocupação com a educação?
      Agora, aproveitando a fraqueza das lideranças militares, abriram as portas das nossas melhores faculdades para a cota racial. O ITA, por exemplo, nessa época de muitos pilostos e poucos aviões, poderia levar o nome da Adeeronáutica no seio nacional. Mas, contrariamente ao bom senso, o chefe da Aeronáutica abriu as pernas para a demagogia. Estamos fufritos e mal pagos!

  2. A educação técnica não é problema, mas aquela que forma ou influi na personalidade, caseira e escolar, do brasileiro, é nefasta: leva-o à arrogância das convicções e não à humildade ou a cautela do ceticismo.

  3. Paulo2,

    Perfeitos os teus comentários acima.

    Escrevi faz cinco minutos, em outra página da TI, que Ciro Gomes está desvirtuando a sua própria candidatura!

    Se, no lugar de implorar pelo apoio do PT, e de querer unir as esquerdas, inclusive as extremas em torno do seu nome, e se dedicasse ao maior programa do partido que foi de Brizola, a Educação, Ciro não estaria sendo isolado, pois iria conquistar muitos eleitores indecisos!

    Bolsonaro deve se preocupar com a Educação, além da segurança e corrupção.

    Se garantir que dará atenção ao Ensino Integral, e que fará CIEPS e os espalhará pelo país, vence no primeiro turno com folga!

    Nenhum candidato ainda falou uma palavra que fosse sobre a Educação, uma iguaria para quem for convidado a participar do banquete!

    Abraço.

      • Tá de brincadeira, Anunnaki?!

        Desde quando que o Ministério da Educação conhece um mínimo que seja desta matéria?!

        Se existem alguns ministérios absolutamente inúteis, meros cabides de empregos para apaniguados, o primeiro é o do Trabalho.

        Seguem:
        Educação, Ciência e Tecnologia, Cultura, Desenvolvimento Social, Saúde, Segurança Pública, Transparência, Fiscalização e CGU (só pode ser piada), Turismo.

        Abraços.

        • Se nem o governo sabe, o MEC aproveita para fortalecer seu viés ideológico, infiltrando multiplicadores na Escola, desde a Universidade, pois o objetivo é a disseminação ideológica. O futuro do país, como o entendemos, não interessa. O interesse está na vinculação ao poder e à ideologia desse poder…

  4. Frutos também de um presidente que não gosta de ler e de uma que desprezava o raciocínio lógico. Mas, além de investimentos é preciso valorizar os professores do ensino fundamental e médio, com boa remuneração e respeito. É um começo.

  5. Fundamental, Pedro Rios, a valorização do professor!

    Se muitos Estados não pagam o piso nacional, que a União se responsabilizasse, mas não permitisse que, aos mestres e policiais, seus salários fossem atrasados ou pagos em parcelas!

    Afinal das contas, milhares de servidores públicos federais estudaram em escolas públicas, e os policiais dos Estados onde residem, os protegem dos bandidos, na medida do possível.

    Por que os federais recebem em dia, assim como os funcionários dos legislativos e judiciários estaduais e federal, e os funcionários do Executivo com atraso e em parcelas?!

    E dê-lhe injustiças no lombo do povo!!!

    Abraço.

  6. Dar mais dinheiro para um sistema educacional dominado pela ideologia esquerdista e usada para destruir a sociedade é simplesmente um crime de lesa pátria. A esperança para a educação no Brasil é começar tudo do zero. E os responsáveis por esse desastre deviam ter seus nomes e seus erros expostos à opinião pública. É fácil encontrá-los: só procurar no MEC e nas faculdades de “educação”. Estiveram lá esse tempo todo, desde a década de 70, passando por FHC (grande responsável também) e atingindo o clímax com a chegada do PT ao poder. Qualquer pessoa que entre em uma faculdade de “humanas” ou de “ciências da educação”, pode constatar o lixo que aquilo se tornou (inclusive literalmente).

  7. A coisa da educação no Brasil é tão grave que o ministro do supremo FUX serrou fileira com a maior fábrica de mentiras do planeta (fake-news) que é a mídia brasileira, para censurar a internet.
    Pode ser que ele até esteja ganhando algum com isso.
    Um ministro do supremo que não sabe que qualquer notícia que calunie ou difame alguém é crime e quem se sentir vítima pode entrar na justiça, ou é analfabeto ou está se vendendo .
    Isso é Brasil e o que faz a nossa “maravilhosa” educação com a cabeça de quem tem acesso a ela.

  8. Vicente,

    Não se falou em dar mais dinheiro à Educação, mas pagar melhor os professores e construir escolas em tempo integral seria um dever do presidente.

    Quanto a questão referente à esquerda, principalmente, claro, nas Universidades e nesses cursos que mencionaste, lembro que na democracia não se pode proibir que existam tendências políticas de todas as matizes, logo, tolher qualquer manifestação nesse sentido não seria bem-vindo, pelo contrário, aumentaria mais ainda a separação do povo e no ambiente estudantil, volta e meia querendo resolver as suas pendengas no sopapo e pontapés!

    Acredito que a esquerda seja mesmo efervescente na Universidade porque a história é deturpada, e usando o pobre como vítima dos ricos e as nações do imperialismo americano!

    Palavras ultrapassadas, deslocadas do tempo, mas que surgem efeito para calouros, para jovens que sequer sabem quando que se deu o início do comunismo.
    Muito menos a diferença entre bolcheviques e mencheviques.

    Também, por outro lado, o aspecto romanceado de um revolucionário de esquerda, disposto a matar e morrer pela sua ideologia – evidentemente nos livros – pois na vida real esse pessoal que estuda em Universidades Públicas é de gente muito abastada, então são os primeiros a sair do país!

    A imagem de Chê Guevara os inspira nesse sentido, pois se não omitissem a verdade sobre este assassino, que matava homossexuais e quem dele discordasse, talvez o romance da esquerda virasse uma tragédia.

    Abraço.

    • Caro Bendl,

      O aparelhamento das universidades para tocar a revolução cultural é fato evidente e inegável. Enquanto essa gente estiver a frente da educação no brasil, minha opinião é que os recursos financeiros serão inúteis (inclusive podendo ser desviados). Digo isso porque a prioridade desses agentes da revolução disfarçados de professores não é transmitir conhecimento, e sim utilizar a juventude para seus propósitos destrutivos. É claro que a educação precisa de investimento, mas enquanto isso não for denunciado veementemente, o investimento poderá surtir efeito contrário e encher de mais dinheiro o bolso dos pseudo educadores!

      Abraço.

      • Concordo contigo neste sentido, nada a opor.

        De alguma forma esta revolução da esquerda deve começar por algum lugar, e nada melhor do que nas faculdades, onde as cabeças podem ser feitas conforme o modelo que o professor quiser.
        Diga-se de passagem, invariavelmente auxiliado pelos estudantes profissionais, que permanecem por quase 10 anos no mesmo curso!

        Abraço.

  9. Para finalizar: a nossa educação é tão ruim que aqui mesmo temos a prova cabal disto. Ficam discutindo embalagem e não o conteúdo.
    Por essas e outras , este país está condenado ao atraso eterno, a miséria e ao crime.

  10. Mário Jr,

    Só conseguiremos abrir o pacote pela embalagem, para se chegar no conteúdo.

    Lembro que a embalagem deve estar à altura do presente a ser dado.

    Não se empacota uma joia com jornal ou papel de padaria.

    Se, na Educação, a embalagem é feia, o conteúdo está pior.
    Logo, rasguemos esta de hoje, porém que se saliente que também o conteúdo será outro, e não sendo diferente como acontece há décadas.

    Conteúdo deve ser igual á embalagem, no mínimo digna, se não valorosa, significando salários, escolas reformadas, banheiros, cercas, proteção em cada uma por um PM, e escola em sintonia com os pais.

    O ideal, e que os governantes fogem como o demônio da cruz, o ensino integral, nos moldes como fez Brizola no Rio, onde seriam modelos a ser seguidas em todo o país.

    Primeiro nas capitais, onde o ensino tem índices menores que nas demais, depois nas que faltaram.
    Mais adiante, no interior, de modo que a criança esteja no ambiente escolar de manhã à tarde, se alimentando, estudando, brincando, fazendo seus deveres, e voltando para casa livre das más companhias e das ruas.

    Mas qual o governante depois de Brizola que seguiu em frente com este incomparável e fabuloso projeto??!!

    NENHUM!!!

    Abraço.

  11. Lamentavelmente, as comparações com o nível de ensino de outras nações, o Brasil está colocado quase no fim da fila!

    “Desempenho do País está entre os mais baixos, em ranking internacional que avaliou 76 países; melhor avaliado é Cingapura.”

    SÃO PAULO –
    “O Brasil ficou na 60.ª posição no ranking mundial de educação, divulgado nesta quarta-feira, 13, pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
    13 de mai de 2015”

    E agora?
    Vale a propaganda do governo e seus dados enganosos ou o resultado prático e verdadeiro de como a nossa educação se encontra?

  12. Primeiro tem que arrancar esse câncer marxista do meio educacional, e depois mudar a grade curricular que hoje é só putaria. E depois cobrar os profissionais que em maioria só contam mentira em sala de aula.

    • Meu caro amigo Alex – RJ,

      Alex – RJ,

      Penso com os meus botóes como posso te dizer que Marx deve ser estudado, sem querer criar polêmica contigo, pois sabes que não sou comunista.

      Marx e Engels foram dois brilhantes filósofos, cujo tema que abordaram foi inédito para a humanidade até aquele momento.

      Se, anteriormente, o regime feudal escravizava os aldeões, surgiu a escravidão na Europa mas, principalmente, no continente americano recém descoberto.

      Com a explosão industrial no século XVIII, e com a necessidade de se contratar as pessoas – as minas de carvão foram uma espécie de início do trabalho sem qualquer fiscalização, apenas e tão somente a exploração do ser humano -, as empresas precisavam muito da mão de obra que, abundante, aceitava os maus tratos de seus empregadores, não havendo qualquer direito a ser exercido, só trabalho.

      O resumo da tese de Marx, dizia o seguinte:
      Um dono de terra tem uma propriedade. Contrata pessoas para plantar. Elas permanecem cuidando da plantação. Quando prontas para colher, os empregados cumprem com esta tarefa, embalam a mercadoria, e esta é armazenada em depósitos.

      Serviço feito, e até vir o novo ano com a renovação desse plantio, o empregado é demitido.
      Com o tempo, fica sem dinheiro, e não tem condições de adquirir o que ele mesmo plantou, aquilo que produziu!

      Da mesma forma com os produtos fabricados, onde se não fosse o empregado não haveria uma indústria, que, uma vez demitido, este servidor não compra o que ajudou a produzir, a receber uma compensação que fosse da riqueza que gerou para seu empregador e país através da exportação.

      Marx revolucionou este aspecto, estudando as relações do capital com o trabalho, onde a mão de obra valia menos do que o dinheiro que esta mão de obra produzia para muito mais dinheiro, referente a produção de um único indivíduo.

      Em outras palavras:
      Marx passou 15 anos trabalhando apenas o primeiro volume desta sua obra-prima complexa, O Capital.
      Aqui ele detalha a “mais-valia” que os trabalhadores criam para os que possuem os “meios de produção” e como os capitalistas exploradores vendem os seus bens não para comprar outros bens, mas para aumentar sua própria riqueza.

      O “dinheiro que gera dinheiro”, ou o processo de acumulação de capital está no cerne da crítica do autor contra o capitalismo.

      O trabalho desenvolvido deve ser mesmo estudado, compreendido.

      Agora, a questão não é o alemão ou o seu colega, Engels, autor de O Manifesto Comunista, este sim um apelo à revolução, mas a mente humana, que distorce os fatos ou o que ela pretende mediante as suas intenções.

      Finalizo, meu amigo, dizendo que não se estuda Teosofia ou Deus sem que Ele esteja ligado intimamente ao demônio, pois foi o Criador que o colocou em nosso caminho!

      Marx tem sido lamentavelmente rotulado negativamente porque os comunistas e/ou socialistas deturparam seus estudos.

      Abraços.

    • Alex, vc está certíssimo quanto ao marxismo.
      Se na nossa educação fosse ensinado o capitalismo , coisa que o Brasil nunca foi, poderíamos chegar a ser um dia um país decente e rico.

  13. O problema da Educação nacional está nos Ensinos Fundamental e Médio.

    O federal sempre esteve em patamares muito distantes dos Estados, para melhor, claro.

    Quanto aos salários dos professores federais, em comparação com o que recebe um vereador de uma capital é vergonhoso.
    Se a média dos proventos dos mestres está em 8/10 mil mensais, um edil recebe 15 mil, mais indenizações e penduricalhos!

    O problema é a esmola do professor estadual e municipal, travestida em salário mensal, e que recebe com atraso e parcelado, atingindo apenas 1,5% do que recebe um deputado federal!!!

    Enquanto os governos não decidirem que a educação é prioridade, e não esta política safada, nossos níveis continuarão descendentes, uma vergonha para uma nação com este tamanho e riquezas naturais que possui!

    Logo, as notícias veiculadas sobre educação em órgãos invariavelmente oficiais são não só duvidosos como manipulados, pois continuo demonstrando, na prática, que vamos muito mal nesta área de vital importância para o futuro e o desenvolvimento do país e de seu povo.

  14. Cabe perguntar:
    Seria, então, o comunismo melhor do que o capitalismo?
    Seria, em decorrência, a ditadura melhor do que a democracia?
    Ou o nosso capitalismo é comunista e a nossa democracia um simulacro de ditadura?!

  15. EM TEMPO:

    Só não vale chamar o autor do texto de “cumunista”, “bolivariano”, “mortadela”, “esquerdopata”, “petista”, “petralha” etc., ou dizer que ele “tem medo de perder a boquinha”……

    kkkkkkkkkkkk xD

  16. Raramente consegue-se notar um livro sendo examinado e discutido pelo povão.
    “Uma pátria é construída com homens e livros” Monteiro Lobato
    Precisamos ensinar a ler e amar a leitura como ponto de partida.
    Alguns saem de faculdade com uma leitura balbuciante, uma vergonha.
    Precisa-se ensinar a amar os livros, os livros que ensinem a pensar, abrindo leque de perguntas.
    Estamos diante uma geração deslumbrada com o vazio das telinhas que excitam dedinhos nervosos mergulhando as mentes numa perda de tempo.
    É raridade entrar numa casa e encontrar uma biblioteca. construir uma casa e pensar no local de leitura, estudo e meditação. Mas, não falta espaço para a parafernália eletro eletrônica.
    Esta educação começa em casa com o exemplo dos pais e não precisa fortuna de investimentos.

  17. Bendl.

    Sempre acompanho seu comentários Você me vende a imagem de um gaúcho da fibra de um Plácido de Castro. Quanto ao Brizola, sou testemunha ocular de seus desgovernos no Rio de Janeiro. Sem falar de governos que ele ajudou a se elegerem: Marcelo Alencar, a dupla de Garotinhos, Cesar Maia e Saturnino Braga Foi pai politico de todos eles.

    Quando ele chegou ao Rio, declarou-se falido. Foi morar de graça no Leblon em um apartamento cedido por Niemeyer. Quatro meses após se eleger, comprou um apartamento na Av. Atlântica em Copacabana.

    Sempre disse que era engenheiro. Lembro-me de um deputado estadual de nome Alcides Fonseca, que ofereceu 50.ooo dolares a quem apresentasse uma copia do diploma do Itagiba (nome verdadeiro do Brizola). O jornal A Última Hora – ja extinto – publicou, em destaque, por diversas vezes. Ninguém ganhou o prêmio

    A título de curiosidade verifiquei o seguinte:
    a) – Em l934 foi fundada a Universidade de Porto Alegre
    b) – Em l957 passou a ser Universidade do Rio Grande do Sul
    c) – Em l950 foi federalizada
    d) – Em 1967 passou a se UFRGS

    A sua biografia diz que ele se formou pela UFRGS. Como ?

    Sou mineiro mas moro no Rio ha mais de 5 décadas e torço de coração pelo FLAMENGO. O Brizola acabou com o meu RIO DE JANEIRO. Se tivesse chegado a Presidente, teria sido igualzinho ao Lula.

    Com toda minha consideracao e estima,
    Abraços

    • Prezado Elmir Bello,

      Obrigado pelo comentário endereçado a mim diretamente.

      Caso eu tenha te vendido a minha imagem, confesso que não recebi um tostão por esta venda!

      Brincadeiras à parte, Elmir, e obrigado pelo elogio, me colocando em um lugar que não mereço e sequer tenho condições, Brizola conseguiu ser o representante ideal daquele slogan do tempo da ditadura:
      Brasil, Ame-o ou Deixe-o.

      Conheço gente que idolatra o gaúcho e pessoas que o detestam, no entanto, não existe quem possa contestá-lo quanto à preocupação dele com o Ensino.

      Afora as centenas de escolas que abriu no RS quando governador, o projeto dos CIEPS junto com Darcy Ribeiro foi uma revolução na Educação indiscutivelmente.

      Ora, neste deserto de iniciativas dos governantes e de projetos verdadeiramente sociais, principalmente na área do Ensino, a escola em tempo integral precisa ser enaltecida e exigida pela população.

      Nessas alturas, Elmir, se Brizola enganou, se mentiu, se disse que era engenheiro ou não, a questão que deve ser levado em conta foi a sua realização na área educacional, de fundamental importância para as crianças e país.

      Agora, como o meu conterrâneo não foi eleito presidente, penso que me faltam elementos para afirmar se ele seria igual ao Lula.
      Acredito piamente que não, Elmir, pelo fato de que Brizola tinha seu patrimônio pessoal e considerável, não precisava roubar.

      Portanto, a aquisição desse apartamento em Copacabana, lembro que o gaúcho era fazendeiro, casado com a irmã de João Goulart, outro estancieiro muito rico, de São Borja, RS.

      E, Brizola foi dissecado pelos militares, que não encontraram absolutamente nada que maculasse a sua honra no que tange exatamente a desvios de dinheiro público!

      Muito diferente de Lula e sua quadrilha, pois não param de surgir roubos praticados pelos petistas em quaisquer segmentos por onde andaram nos 14 anos que estiveram no Planalto!

      Por outro lado, meu amigo, o último governo de Brizola terminou em 94, no Rio.

      Faz mais de 20 anos que seus sucessores tiveram tempo suficiente para consertar os erros que “acabaram” com a nossa Cidade Maravilhosa.

      Não só nada fizeram neste sentido, como Cabral e Pezão literalmente quebraram com o Rio!

      Brizola não chegou nem perto do que Cabral fez com o nosso Rio, a ponto de deixar o Estado FALIDO!

      Logo, respeito a tua posição contra Brizola mas, se o gaúcho, no teu entendimento, acabou com o Rio, repito, aqueles que o sucederam destruíram o que sobrara da antiga Guanabara!

      Logicamente que o Brizola jamais poderá ser acusado de ser o pior governo do Rio, pois Cabral é incomparavelmente não só o pior da história dos cariocas, mas o maior ladrão individual que se conhece no Brasil!!!

      O PT foi o partido que mais roubou o país porém, Cabral, foi o governador que arrasou com o Estado, que dilacerou as finanças do Rio, que roubou até medicamentos!!!

      Elmir, um forte e caloroso abraço.
      Da mesma forma, minha estima e consideração por ti, meu caro mineiro.
      Saúde e paz.

  18. A Educação, de fato já morreu, faz muito tempo

    Havia prometido nunca mais retornar a esse tema, em 2015 a 2017 fiz muitos comentários sobre como o governo da Bahia estava desmontando a Educação básica e ensino médio, com o fechamento de escolas, pois bem mudou o governo, saiu Jaques Wagner, que começou a fechar os turnos noturnos das escolas que serviam basicamente aos estudantes dos bairros carentes e que necessitavam estudar à noite para poderem continuar a trabalhar, entra Rui Costa do mesmo PT, e começou um arrastão no sentido de fechar as escolas. Na sua primeira gestão fechou escolas em toda Bahia, hoje segundo dados SEC/COMTE há um “reordenamento da rede estadual para 2019 que consta:
    1- 37 escolas para a municipalização; (redução drástica de vagas para o ensino médio.
    2- Fechamento de 16 unidades escolares;
    3- transferência compulsória dos alunos para qualquer unidade onde haja vagas.
    Portanto, vemos numa amostra, onde o que sobrou do cadáver da Educação está sendo esquartejado. O que significam os dados alarmantes sobre a Educação e nesse caso da Educação superior, que é a única a resistir ao assédio das grandes corporações voltadas para a Educação como a KROTON uma empresa Sul coreana que já adquiriu várias faculdades e está de olho no filão dourado que é a Educação fundamental e média do Brasil.
    Não se fala mais da educação fundamental e Média, que são o alicerce de todo sistema educacional, e esse alicerce está bem enterrado na burocracia e descaso, lembremos que na última reforma da Educação foi criada a figura do “Notório saber”, acabando a obrigatoriedade do professor formado em licenciatura.
    Sem engano algum não há saída para esse sonho de uma melhoria da Educação, e a prova de que não haverá melhoras é a PEC do Teto dos gastos que IMPEDE maiores gastos com a Educação. O governo nunca teve interesse em trabalhar para o povo esse tema só retorna em época de eleição com o fito de conseguir votos.
    Os resultados na educação só vão piorar cada vez mais, não havendo interesse do governo e tão pouco do brasileiro que está sendo ludibriado com esse teatrinho que os técnicos do MEC chamam de melhorias no ensino, e são as classes mais baixas que estão sendo massacrado e espoliado mas vão continuar na apatia confortável, vivendo na ilusão de que seus filhos estão indo à escola para estudar.
    Posso falar com propriedade, pois tenho 19 anos que trabalho com Educação pública na Bahia e só tenho visto a precarização desse sistema, cada vez mais rápido, onde o objetivo da secretaria de Educação é apenas notas boas conseguidas de qualquer forma, alunos que chegam ao nível médio sem sequer conseguir ler ou fazer um simples cálculo, mas que sabem que serão “aprovados” tendo conhecimentos ou não, só as notas boas para o governo apregoar que está trabalhando pela Educação. Não gosto de fazer essas comparações, mas num país de verdade, a Educação é a viga mestra para a estrutura deste, enquanto que aqui é só um estorvo para os governantes e um atraso para a a sociedade que nunca valorizaram o professor.
    Vendo que ainda existe um resquício de conscientização sobre a educação superior, passo a acreditar na veracidade da doutrina espírita, alguns espíritos se recusam a acreditar na morte do seu corpo.
    Para encerrar esse assunto, a Educação no Brasil está morta e enterrada!

  19. Educar custa caro.
    Lula assumiu em Janeiro de 2003.
    Seis meses depois, troquei meu carro por passagens, pegamos nossos filhos (de 5 e 2 anos) e viemos para a Inglaterra em busca de boa educação para eles.
    Se permanecesse no Brasil teria que dobrar meu rendimento para mante-los em boas escolas quando a pequena começasse a estudar.

    O Governo e a Igreja bancavam a pré-escola e a escola primaria integralmente, em todos os sentidos.
    Meus gastos: Uniforme, e R$5,00 (1 Libra) para o fundo estudantil no inicio do ano. Se enviasse duas libras devolviam o dinheiro extra.

    Aulas das 9:00 as 15:00, e como os pais trabalham até mais tarde, a escola se vira com cursos extra-curriculares para ficar com os alunos até as 17:00.
    Nunca faltou nada na escola, muito pelo contrário. Nunca houve greve de professores.

    Sim, pagamos imposto para tanto, mas se formos avaliar a qualidade de vida, segurança e, principalmente educação, fica de graça!…

    Por que digo que educar custa caro, se foi de graça?
    Porque custou ‘aos pais’, até agora, mais de uma década de vida no exílio, longe de família e dos amigos, sem convivência social, sem as raízes; e não pense que é pouco, sem saber…
    “E ai? Valeu?”
    Tenho em mente que a única coisa de real importância que podemos deixar para nossos filhos chama-se Educação, o resto são outros 500.

    Poder contemplar os filhos estudando nas principais (top) universidades do Mundo é algo que eu, assim como 95% da população brasileira, não podia nem imaginar.
    Aqui está disponível para todos os estudantes que se esforçam, sem elitismo, até mesmo para entrar em Oxford e Cambridge ( Cambridge um tanto menos), ranqueadas primeira e segunda melhores universidades do planeta em 2018.

    Anos antes, conheci alguns brasileiros, em Londres, no fim da década de 80, que chegavam com essas bolsas de estudo Capes, a maioria filho de pai rico ou influente.
    Ficavam todos bebendo e fumando maconha. Não tinham o preparo necessário para entrar nos melhores cursos universitários.

    Na verdade, no Brasil, nunca em tempo algum, em qualquer governo, houve o intento de formar os melhores, os mais bem preparados, exceções á parte para os conhecidos gênios brasileiros, de cátedra, que expandiram o conhecimento mais alto na docência, e os genios brasileiros desconhecidos que estão fora do país, de quem nem ouvimos falar.

    Educar custa caro.
    Meu filho terminou o segundo ano de Universidade na Inglaterra, que diferente do primeiro e segundo grau, é paga. Como não têm bolsa nem direito a financiamento governamental, paga sua mensalidade de R$4.400,00 trabalhando 16 horas por semana.

    Nestas férias que antecedem o terceiro ano, realiza projetos num centro de pesquisa, líder mundial, que se concentra na ciência agrícola estratégica para o benefício dos agricultores e da sociedade em todo o Mundo, recebendo R$2.300.00 por semana, por 8 semanas, até voltar para a universidade, em Setembro.

    Um centro de pesquisa de mais 170 anos evoluindo e mantendo-se líder, com alta tecnologia, pagando para jovens estudarem, fazendo parcerias com inúmeras instituições de pesquisa e universidades em mais de 50 países, incluindo o Brasil.
    Não é o mesmo que 170 anos e indo pras cucuias, como somos acostumados a ver no Brasil….
    Custo: a passagem de trem ida e volta.

    Sabe quando veremos oportunidades como essas disponíveis a todos os brasileiros que têm realmente intenção de estudar?

    O quesito Educação já seria o suficiente para mandar todos os candidatos a presidência pro ralo nessas eleições, inclusive a eleição em si, junto.

  20. Hoje, em destaque no Estadão, com a foto de criança escrevendo.
    Na foto, a prova da falha educação brasileira: não ensinam nem mesmo como segurar corretamente um lápis…

    Jornal da USP: “Universidade elabora documento com propostas para a educação”

    https://jornal.usp.br/cultura/usp-elabora-documento-com-propostas-para-a-educacao/

    Nos cinco encontros promovidos pelo Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP, professores da Universidade, educadores e gestores públicos analisaram a situação da educação no Brasil.

  21. Várias famílias morando a beira de um rio com margens que possibilitam alimentação farta e equilibrada, passam fome.
    -O rio está tão poluído que não permite peixe viver e a terra das margens estão repletas de lixo e matagal e para mais entristecer, uma multidão de cidadãos ribeirinhos estão desempregados e com um olhar sem brilho, conforma-se com a miséria.
    Onde reside a mais cruel miséria? Não está na hora das refeições e em cima da mesa, mas na cabeça que não foi ensinada a trabalhar os 15 mil computadores de última geração que estão dentro da caixa craniana.
    É este chão de miserabilidade intelectual que o povão vive e é enganado com pão e circo.
    O sistema está deprimente, todos sofremos por isso e a dor da incapacidade e da inércia atinge a todos.
    A raiz da planta está no chão e não, no céu. A desgraça do nosso povo não está nas faculdades, mas na base.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *