Os dois únicos assuntos que dominam o Rio e o país. 1 – A formação do “novo” governo Lula, com a displicência e imprudência de Dilma. (Como se esperava). 2 – As tropas policiais, sem plano, sem ordem, sem organização, sem saber o que fazer. (Como se esperava).

Helio Fernandes

O show da televisão mudou de preferência, por causa da audiência. Antes, a sensação surgia com os nomes que apareciam do nada e se elevavam aos céus. Depois, também dos céus surgiram os helicópteros, mostrando cenas fantásticas, desalojaram apenas nomes, as cenas da guerra urbana ganharam primeiro plano. A audiência atravessou os dias de quinta e sexta (ontem) e promete continuar no fim de semana. O público ficou de frente aos aparelhos, embora as cenas fossem as mesmas, repetidíssimas.

MINISTÉRIO: QUEM ESTÁ GARANTIDO,
VETADO OU ESPERANDO UMA VAGA

A chamada área econômica já estava composta e formada antes da viagem para o G-20, me fartei de mostrar isso. Mas os jornalões e os “bem-informados” só “revelaram” os nomes anteontem, com atraso de pelo menos 15 dias. E badalaram e retumbaram três nomes, quando na verdade são apenas dois, o Brasil nunca teve planejamento.

Agora, nomes confirmados, garantidos, referendados, mas sem direção certa. Alguns têm que receber ministérios pelo que “valem” e por causa dos partidos.

PALOCCI – Pelo que Dona Dilma dizia, “só escolherei auxiliares sem nada a ver com o ficha-limpa”, foi aproveitado, já que as indicações são todas DIRETAS ou INDIRETAMENTE de LULA. O ex-Ministro, demitido e humilhado, deve ir para a Casa Civil, mas antes esvaziaram o  cargo, tiraram suas principais atribuições.

MOREIRA FRANCO – No PMDB diziam que “só seriam aproveitados aqueles que tivessem mandato, e Moreira não tem, mas além de ter sido governador, é o principal conselheiro (e competente) de Michel Temer. Era tido como certo para a presidência da Caixa Econômica (já foi Diretor de Loteriais, não quer mais arriscar), prefere o importante Ministério das Cidades. Só não será, se houver composição arquitetada e aprovada pelo vice-presidente. Então, irá para outro cargo, também importante.

PAULO BERNARDO – Ninguém é tão certo quanto ele. E já confirmou em entrevista pública: “Fui convidado, aceitei, qualquer  que seja o ministério”. Como eu disse antes da eleição: “Correto e sem nenhuma pretensão”.

FRANKLIN MARTINS – Seu nome não foi citado uma vez sequer por Dilma ou Lula, para confirmar ou vetar. Com ele aconteceu o pior: completamente esquecido, o que é aviltante. Revelei isso antes da eleição, afirmei: “Ficará longe de qualquer ministério, principalmente o da Comunicação Social, talvez vá para uma embaixada pequena na Ásia ou África. Tenta intimidar Dona Dilma, mas além dela estar mandando pouco, a tentativa de intimidação de Meirelles, derruba os que forem pelo mesmo caminho.

DEFESA – Está aparentemente com um personagem do PMDB, mas o partido não sanciona seu nome, embora Nelson Jobim faça qualquer coisa para continuar. Acho que será descartado pelo que representa, negativamente, e a falta de vagas para todos.

SAÚDE – É o que tem o maior número de candidatos, verdadeiro refugo ou refúgio de quem não conseguiu outra coisa. (Única exceção para Paulo Bernardo, que pode ir para lá, sem desgaste, recusa ou rejeição). Temporão, Mercadante, Ideli Salvatti e outros disputam, mas o Ministro, há muito no cargo, é vetado pelo PMDB (que o indicou e por causa do desastre que foi a sua “administração”). Nunca esse setor foi tão abandonado. Mas luta obsessivamente para continuar.

MERCADANTE – Diz que foi Lula que garantiu, “você será Ministro, nem que seja da Saúde”. O que mostra a “importância” que o ainda poderoso presidente dá a esse ministério.  Lula pode estar enganando novamente seu candidato a vice-presidente em 1994.

IDELI SALVATTI – Tem uma das “credenciais” de Mercadante: foi derrotada. Dona Dilma garantiu, “não nomearei derrotados”. E a demanda por cargos é tão grande que a Saúde poderá ir para qualquer um. Dona Salvatti será então, “ministra da Pesca, na cota de mulheres”, difícil de preencher,

JUSTIÇA – Ministério garantido por Lula e Dilma para José Eduardo Cardozo. Queria ser Ministro do Supremo, ficaria até os 70 anos. Como é muito moço, foi aconselhado a esperar. Lembraram; “Vários Ministros da Justiça foram para o Supremo”. O contrário também é verdadeiro.

AMORIM E PATRIOTA – Oito anos chanceler, Celso Amorim julgava que estava garantido por mais um ano, até vagar uma embaixada poderosa. Seu candidato a sucessor era o secretário geral Antonio Patriota. Vetado, Amorim pode ter arrastado com ele o próprio Patriota. Só que este se mantem na luta, por ausência de um nome feminino.

MEIO AMBIENTE – Carlos Minc era favoritíssimo, por causa da ligação (polêmica, mas efetiva) com Dilma. E principalmente pelo fato de surpreendentemente ter feito administração eficientíssima. Com o desgaste (antecipado) de Dona Dilma, pode ter que esperar, desperdiçado na Alerj.

TRABALHO – Praticamente garantido por Dilma-Lula, sofre restrições do próprio PDT. Dizem: “Aceitamos o ministério, mas por que o indicado tem que ser sempre o mesmo? Não se elegia nada, mesmo quando era protegido por Brizola”.

TRANSPORTES – Lula gostaria de guardar o Ministério para Alfredo Nascimento, que ocupou o cargo 8 anos com ele. Fracasso completo, mas com um fator que agrada o presidente. É senador até 2014, seu suplente, que ficou no cargo 3 anos e meio, é João Pedro, amicíssimo de Lula, que continuaria. Alfredo Nascimento é outro derrotado.

***

PS – Faltam ainda diversos ministérios e estatais cobiçadíssimas: Petrobras, Banco do Brasil, Caixa Econômica, e muitas diretorias dessas empresas.

PS2 – E faltam ainda indicações do PMDB, PT (qual deles?) e outros “partidos da base”. Menores, mas com reivindicações. Todos têm que esperar vagas.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *