Os votos de Marina

Carlos Chagas

A pergunta fundamental é saber se vão para Aécio Neves os 21 milhões de votos dados a Marina Silva. Senão todos, ao menos a maioria. Nessa hipótese, Dilma Rousseff estará derrotada.

Não se duvida de que o PT agirá nas próximas três semanas de campanha para o segundo turno da mesma forma como agiu contra Marina no primeiro: valendo tudo, até mentiras. Aécio que se cuide. Existem indicações de que centralizará suas intervenções em denúncias sobre a corrupção nos governos Lula e Dilma. Pode ser um erro, se ficar só nisso. Domingo tivemos a demonstração de que o eleitor quer propostas de mudanças. Criticar a impunidade constitui apenas um dos ângulos do poliedro eleitoral.

Dilma terá compreendido esse anseio ao inaugurar seu mais novo slogan, de “governo novo, ideias novas”, mas precisará defender-se, coisa que não parece fácil.

O MAIOR DOS VEXAMES

Repercute no país inteiro o vexame dado pelos institutos de pesquisa, errando nas previsões para os governos de estados importantes como Pernambuco. Lá, não consideraram que Paulo Câmara daria um passeio. Como na Bahia, onde Rui Costa sequer era citado. O que dizer do Rio Grande do Sul, com Ivo Sartori batendo Tarso Genro e Ana Amélia? E no Ceará, onde Camilo Santana saiu da frente? Garotinho ficou para trás, no Rio, perdendo para Marcelo Crivella.

A desculpa esfarrapada das empresas de consulta eleitoral está sendo de que o povo mudou de tendências à última hora, nos estados referidos e em outros, mas não enganam ninguém. As decisões estavam tomadas faz muito pelo eleitor. Faltou detectá-las, sabe-se lá com que estranhas intenções. A lambança será posta à prova no segundo turno das eleições presidenciais e nos estados onde se realizará. Escorregar de novo poderá levar os institutos a perder clientes nas próximas eleições, ou seja, ficar sem faturamento. Bem feito…

DE OLHO NO FUTURO

Geraldo Alckmin é candidato certo para a sucessão de 2018, mas não estará sozinho no ninho dos tucanos. José Serra, com excelente votação para o Senado, não deixará de pleitear a indicação. E se por hipótese Aécio Neves eleger-se dia 26, rejeitará a reeleição?

Do lado dos companheiros, pouca gente duvida da candidatura do Lula, até por falta de alternativas viáveis. Vale para todos aquele velho provérbio árabe de que “bebe água limpa quem chega primeiro na fonte”.

 

4 thoughts on “Os votos de Marina

  1. Prezado Carlos Chagas:

    No Brasil, conforme já tive oportunidade de escrever antes, é sempre uma temeridade afirmar-se, em tom peremptório, resultados antecipados de eleições presidenciais. Para este segundo turno, a TENDÊNCIA é a eleição de Aécio Neves. Tendência. Seria essa a configuração racional de uma resposta das urnas às manifestações, do ano passado. Análise fria e isenta, simplesmente.
    Quanto às especulações para 2018, futurologia total. Até porque, a meu ver, se o PT ACORDAR da letargia e da cegueira com que vem interpretando os fatos, colocará, IMEDIATAMENTE, CIRO GOMES no centro de suas operações. Só a turminha estúpida do PT, que decide passionalmente tudo, ainda NÃO entendeu o quanto esse senhor defendeu_ sempre brilhantemente, APESAR DO QUE LHE FIZERAM_ , a insígnia petista.
    Mas, quanto a José Serra…é alguma piada? Daqui a 4 anos não estaria ele com uns duzentos e oitenta anos?

    Saudações,

    Carlos Cazé.

    PS: Alckmim, de novo? A oposição já terá motivos pra se animar. Goste-se ou não, Aécio já é a grande estrela da Oposição, nenhuma dúvida. Triste Brasil.

  2. Caro CN … Bom dia.

    Os partidos da base aliada de apoio ao Governo do PT, junto com o PT, geralmente perderam representação na Câmara; inclusive o meu PMDB … já os partidos de oposição cresceram!!!

    É hora então do PMDB entender que o eleitor quer mesmo mudança … e apoiar Aécio??? ??? ???

    (https://www.youtube.com/watch?v=VS6WXV6YBSI&hd=1) é de filho meu!!! desculpas pelo comercial, amigo CN … porém, é da mudança pedida pela Nação!!!

  3. Jornalista Carlos Chagas, com grandes perguntas, essenciais para os cerebelos de milhões de eleitores, e ainda um profissional de imenso coração, ao dar mais uma chance aos institutos de opinião que ganham fortunas com suas pesquisas de opinião de voto.
    Que pelo coração não se perca jornalista, permita-me:

    “A desculpa esfarrapada das empresas de consulta eleitoral está sendo de que o povo mudou de tendências à última hora, nos estados referidos e em outros, mas não enganam ninguém. As decisões estavam tomadas faz muito pelo eleitor. Faltou detectá-las, sabe-se lá com que estranhas intenções. A lambança será posta à prova no segundo turno das eleições presidenciais e nos estados onde se realizará. Escorregar de novo poderá levar os institutos a perder clientes nas próximas eleições, ou seja, ficar sem faturamento. Bem feito…”

  4. Pingback: Os votos de Marina | Debates Culturais – Liberdade de Idéias e Opiniões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *