Página do Exército com estudo em defesa do isolamento social sai do ar para “manutenção”

Segundo o Exército, não há previsão do site voltar a funcionar

Renata Galf
Folha

Desde esta segunda-feira, dia 6, o site do Centro de Estudos Estratégicos do Exército (CEEEx) está fora do ar. O órgão, que é subordinado ao Exército, publicou na última quinta-feira, dia 2, estudo indicando o isolamento horizontal como forma de combater o coronavírus.

O presidente Jair Bolsonaro tem criticado medidas tomadas por governadores e defendido o isolamento vertical, que incluiria apenas idosos e grupos de risco para a Covid-19. Intitulado “Crise Covid-19 estratégias de transição para normalidade”, o estudo havia sido noticiado pelo jornalista Rubens Valente, do UOL, no domingo, dia 5, e pelo menos desde esta segunda-feira não está mais disponível, como noticiou o Nexo.

“MANUTENÇÃO” – Procurado pela Folha, o Exército informou apenas que “o endereço eletrônico encontra-se em manutenção”. Diante da resposta, solicitou-se que o estudo fosse enviado por email, o que foi negado. Questionado também sobre qual a previsão de retorno do site e desde quando a página está em manutenção, o Exército não respondeu.

O estudo afirmava que “há um consenso mundial, entre os especialistas em saúde, de que o isolamento social seja a melhor forma de prevenção do contágio, especialmente o horizontal, para toda a população”.

DEFESA NACIONAL – Consta entre as responsabilidades do Centro, criado em 2003, a avaliação de “conjunturas nacional e internacional para determinar situações, na área externa ao Exército, que aconselhem iniciativas para superar conflitos e crises ou para atender interesses da Defesa Nacional”.

Por meio do site WayBack Machine, que grava versões antigas de páginas da internet, ainda é possível ver o estudo publicado. O último registro dele na plataforma é do dia 6 de abril às 2h56.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGO sumiço do documento é estratégico, para esfriar o caso. Em termos políticos, o trabalho do Centro de Estudos Estratégicos do Exército tem uma importância realmente extraordinária. A divulgação deste documento, na última quinta-feira, tornou-se fundamental para evitar a demissão do ministro da Saúde, Henrique Mandetta. Os chefes militares entendem que o presidente Bolsonaro tem obrigação funcional de seguir a orientação dos órgãos técnicos internacionais e nacionais quanto ao combate à pandemia, conforme Mandetta preconiza. Bolsonaro não conseguiu resistir à pressão militar, teve de recuar, mas só pensa naquilo e não vê a hora de demitir o ministro, um ato que sem dúvida desgastará ainda mais sua imagem políticos no Brasil e no exterior. (C.N.)   

8 thoughts on “Página do Exército com estudo em defesa do isolamento social sai do ar para “manutenção”

  1. Concordo plenamente.
    Porém gostaria que fossem justificar o ponto de vista à funcionários de empresas fabris em que foi demitido todo o quadro de pessoal. Especialmente em municípios pequenos.

  2. Nem todos os trabalhadores podem ficar em insolamento, os servidores de serviços essenciais tem que sair para trabalhar.
    No dia 5 deste mês no artigo de William Waak comentei que as empresas de transporte de massa: ônibus. trens, barcas e BRT diminuíram a frota para atendimento ao público, passaram a andar com superlotação. A inciativa privada não tem compromisso com o social, seu compromisso é o Lucro. Defendo que transporte de massa é um serviço essencial e de utilidade pública, têm que pertencer ao governo, não é para dar lucro e enriquecer meia dúzia de empresários com sacrifício do povo.
    Considerando-se que o maior número de empregos está nos grandes centros das cidades, sugeri que colocasse dois ou três horários diferentes para início do funcionamento das empresas, para não permitir aglomeração no mesmo horário e principalmente obrigar as empresa de transporte de massa a colocar toda a frota em funcionamento.
    Dia 6 deste mês soube que o Crivella vai criar dois horários diferentes, um para abertura do comércio e outro para indústria. Sem obrigar as empresas colocar sua frota à altura da necessidade dos passageiros, de modo que viagem com espaço confortável, essa diversificação de horário não vai adiantar. Para o capitalismo selvagem a vida e o conforto da população não é importante, o lucro acima de tudo e de todos.

  3. “Trata-se de estudo acadêmico que não reflete a posição da força”. Os vermébiles vivem catando justificativas para o injustificável: paralisar a nação, por recomendação de um aparelho comunista.

  4. Por favor troque “os chefes militares” por “pessoas de bom senso”.
    Bom dia.
    PS: O que eu sinto de tudo que relaciona com o nosso PR e a pandemia é que ele quer resolver da maneira mais rápida possível; custe o que custar em termos de vidas humanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *