Palocci: o homem do dia, do mês, do ano, desgastou a presidente, Dona Dilma.

Helio Fernandes

O tumulto, a confusão, o enriquecimento, as trapalhadas do Ministro Palocci. Veio de Ribeirão Preto acusado de fatos os mais indefensáveis. Desde o assassinato de Celso Daniel, estava no centro dos acontecimentos.

Apesar de tudo, se transformou em poderoso Ministro da Fazenda. Apanhado em flagrante na “casa oficial”, foi denunciado por um senador do PT, seu próprio partido, que traiu até uma jornalista que lhe dera a informação. Foi demitido, mas usou todo o Poder da Caixa Econômica para “desmoralizar” e colocar na pior posição o caseiro Francenildo.

Foi vergonha intransponível, usou e utilizou toda a engrenagem oficial para “sequestrar” o caseiro que não praticou nenhuma irregularidade, ilegalidade, falta de credibilidade. Pelo que havia feito desde Ribeirão Preto, não podia mais ocupar nenhum cargo, como esse importantíssimo chefe da Casa Civil.

Agora, com menos de 5 meses como o mais importante personagem do Planalto, está nas manchetes dos jornais, televisão, internet. E não há defesa para ele. A única saída de Dona Dilma é demitir Palocci pelo telefone, como Lula fez com vários ministros.

Surpreendente: o ex-presidente Lula não deu uma palavra para “apoiar” a presidente, e concordar com a demissão imediata de Palocci. Este, recusa qualquer investigação, não admite a “quebra” do seu sigilo bancário e financeiro. Mas perseguiu o caseiro Francenildo, emparedou-o, sequestrou-o, acusou-o.

Sem o menor constrangimento, o chefe da Casa Civil, telefona diariamente para dois tipos de pessoas. 1 – Falou com os economistas, pedindo desculpas por ter acusado todos eles, “de terem feito a mesmo coisa que eu fiz”.

2 – Telefona para deputados e senadores do PSDB, com estas palavras, textuais: “Espero que vocês não admitam organizar uma CPI, também serão atingidos”. Apelo e intimidação, demonstração de falta de caráter e covardia.

É evidente que a CPI será formada. É facílimo, bastam 171 deputados e 27 senadores, pois a ideia é envolver a Câmara e o Senado. Motivo: assim mobilizam os nomes mais destacados do Congresso. Se fizesse só da Câmara, abandonariam os senadores, e vice-versa.

Além do mais, muitos parlamentares assinarão (?) apenas para negociar, isso nem é novidade. Assinam, depois negociam com o Planalto, “renegociam” e logo “desassinam”, retiram as assinaturas. O Planalto terá que tratar com deputados e senadores, mas o custo será altíssimo.

Sem falar no desgaste. Não adianta dizer, “as CPIs começam, acabam e ninguém é responsabilizado”. Isso é apenas um quarto da verdade. Ricardo Teixeira respondeu a uma CPI, foi indiciado por 6 crimes financeiros. Mas com dinheiro, alguns processos foram arquivados, outros retardados, e até absolvidos.

De que ainda? É sempre chamado de CORRUPTO, não adianta tentar amenizar. Essas CPIs costumam durar meses e meses, o noticiário é vasto, diário e inclemente. Palocci não vai suportar, só a presença física dele é incômoda, suja (interna e externa), vão massacrá-lo. Depois de todo esse tenebroso processo de massacre, o que restará de Palocci?
Ninguém irá tratar com ele como representante legítimo do governo, e o objetivo dele com empresário, estabelecer pontes ou pontos de acordo com o interesse nacional. Chegarão logo com a proposta: “Ministro, preciso de financiamento do BNDES (ou do Banco do Brasil) para a minha empresa, mas não posso pagar mais de 3 por cento de comissão”.

Além do mais, a CPI não será sobre a atuação de Palocci na Casa Civil, e sim desde que apareceu c-r-i-m-i-n-o-s-a-m-e-n-t-e no cenário de Ribeirão Preto. (Que, aliás, pautado e identificado pela atuação de Palocci, passará a ser citado como Ribeirão NEGRO).

Como Palocci irá se defender de todas as fases de sua vida? De lá onde surgiu, do Ministério da Fazenda, do que fez, a razão da demissão? E se convocarem o ex-presidente Lula para explicar a razão da saída de Palocci do cargo?

Pelo silêncio de Lula. Ele está disposto a comparecer, contar tudo sobre o ex-ministro da Fazenda. E com isso, desanuviar a visão de Dona Dilma. Como Lula poderá explicar a incoerência de dizer, “espero que Palocci me dê sinal verde para baixar os juros”, depois demiti-lo desprezivelmente?

Uma das coisas que a CPI irá investigar imediatamente: seu patrimônio. E como ele mesmo informou que ganhou 8 milhões e empregou TODO ESSE DINHEIRO na compra de dois imóveis”, pedirão à Receita que informe qual é seu verdadeiro patrimônio.

Se for realmente de 8 milhões, tudo empregado em imóveis, um fato. Se nada foi declarado, deverá ser demitido durante o funcionamento da própria CPI. E se houve “transparência”, muitas vezes maior do que os 8 milhões, aí não há previsão ou analise sobre a repercussão.

PS – De qualquer maneira, foi total imprudência a elevação de Palocci à Chefia da Casa Civil. O silêncio de Lula pode ser protesto contra a nomeação de quem ele demitiu tão discricionariamente. Acintosamente. Inesperadamente. Silenciosamente.

PS2 – Dona Dilma tem uma solução. Negociar com Obama e conseguir o apoio dele, para que Palocci vá para o FMI. No lugar de Straus-Kahn.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *