Pânico na TV, por causa da baixa audiência em todas as emissoras abertas, no período do horário eleitoral gratuito

Nogueira Lopes

As emissoras de TV aberta estão preocupadíssimas com as próximas eleições. Motivo: na disputa das prefeituras, em 2008, o principal resultado do horário eleitoral gratuito no primeiro turno foi o recorde de audiência da TV por assinatura, que subiu 104% entre as 20h30 e as 21h30, comprovando o desinteresse do público em relação à política.

Agora, as chamadas TVs abertas estão novamente em pânico, porque o telespectador pode se acostumar com a TV por assinatura e deixar de assistir novelas, o que seria ótimo, aliás. O desinteresse pela política, porém, é lamentável e desanimador.

A propósito das eleições, é sempre bom lembrar o bruxo Karl Marx, que ensinava: “De nada valem as idéias sem homens que possam pô-las em prática”.

O Brasil ajuda a todos, mas quem nos ajuda?

O Brasil ajuda o Fundo Monetário Internacional. O Brasil ajuda o Haiti. O Brasil ajuda o Chile. O Brasil ajuda a Bolívia. O Brasil ajuda a Grécia. Mas ninguém ajuda o Brasil. Parece estranho, e na verdade é muito estranho mesmo. Essa mania de grandeza do companheiro Lula pode nos custar caro. Muito caro.

Cedae continua fazendo cobranças ilegais

Como diz o genial humorista Agildo Ribeiro, perguntar não ofende. Então, que fim levou o projeto conjunto, assinado pela bancada do DEM na Alerj, visando a pôr fim à ditadura da Cedae, que decidiu, por conta própria, vincular ilegalmente a conta de água ao imóvel e não ao usuário? A proposta obrigaria todas as concessionárias do Estado a incluir nas cobranças o CPF do morador ou CNPJ da empresa que ocupa o imóvel.

Se o projeto fosse aprovado, acabaria com os casos de proprietários de imóveis que injustamente herdam dívidas contraídas por locatários, o que não acontece, por exemplo, com a Light ou a CEG, cujas contas são vinculadas ao ocupante do imóvel, não ao proprietário.

Atendimento grátis para osteoporose no Rio

O país assiste, inerte, à desenfreada proliferação de ONGs, que em sua quase totalidade são organizações criadas exclusivamente para desviar dinheiro público, com participação direta das autoridades (muitas vezes, é a própria autoridade que cria a ONG, em nome de “laranjas).

Enquanto as falsas ONGs impunemente dilapidam os cofres públicos, as verdadeiras instituições beneficentes lutam para sobreviver. Uma delas é o CCBR – Brasil, um centro de pesquisa de osteoporose muito bem organizado e totalmente grátis. O tratamento é feito com calcitonina de salmão para a perda óssea nas mulheres a partir de 65 anos, através de exames, consultas e total acompanhamento médico periódico.

Fica em Botafogo, na Rua Mena Barreto, 33, telefones 2527-7979 e 2537-8221. O médico responsável é o Dr. Luis Augusto Tavares Russo, o tratamento dura 3 anos com tudo grátis, inclusive os remédios e o lanche servido às pacientes.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *