Papa denuncia perseguição a cristãos no Oriente e na África

Antes da Missa do Galo, o Papa ligou para refugiados

Deu no Correio Braziliense

O papa Francisco pediu nesta quinta-feira em sua mensagem de Natal o fim da perseguição brutal a grupos étnicos e religiosos no Iraque e na Síria, ao mesmo tempo que condenou a violência e o tráfico que afetam as crianças.

Na mensagem “Urbi et Orbi”, centrada nas violências fundamentalistas no mundo, Francisco criticou o fato de que na Nigéria “muitas pessoas são retidas ou massacradas”. Também condenou que “tantas crianças (sejam) vítimas da violência, objeto de tráfico ilícito e tráfico de pessoas”, em referência ao recente massacre em uma escola do Paquistão.

Na quarta-feira, o Papa telefonou para refugiados iraquianos do campo de Ankawa, perto de Erbil, no Curdistão iraquiano, e lhes confessou que está preocupado com as crianças e os idosos.
“No meu coração estão […] as crianças inocentes, as crianças mortas. Pensemos nessas crianças enquanto Jesus vem à nossa casa. Eu penso também nos avós, nos idosos que atravessaram a vida e agora sofrem com essa cruz”, disse por telefone aos refugiados chegados no semestre passado de Mossul e de Nínive a esse campo, expulsos de suas casas pelo grupo Estado Islâmico (EI).

“Irmãos, estou perto de vocês, de todo o coração. Deus os acaricia com sua ternura”, disse, de acordo com a agência de notícias italiana AGI.

Na segunda-feira, Francisco havia enviado uma longa carta aos cristãos do Oriente, pedindo que “perseverem” apesar das das dificuldades.

RESPONDAM COM TERNURA

O papa argentino Francisco celebrou antes da meia-noite desta quarta-feira, na Basílica de São Pedro, a segunda Missa do Galo de seu pontificado, durante a qual pediu aos católicos que respondam com “ternura” às dificuldades do mundo.

“Temos a coragem de acolher com ternura as situações difíceis e os problemas de quem está ao nosso lado, ou preferimos soluções impessoais, talvez eficazes, mas sem o calor do Evangelho?”, questionou o papa durante a solene homilia.

“Quanta necessidade de ternura o mundo tem hoje!”, conclamou ele, diante dos milhares de peregrinos que assistiam à cerimônia.

O papa também explicou o significado do nascimento de Jesus para os cristãos: “Uma luz que irrompe e dissipa a mais densa escuridão”.

2 thoughts on “Papa denuncia perseguição a cristãos no Oriente e na África

  1. Enquanto o islã existir, não só os católicos, mas o resto da humanidade vai ser perseguida até a morte. A felicidade desses animais, os mais assemelhados ao Diabo relatado por todas as religiões, é a morte de quem não crê em Maomé, como noticiado ontem, na Mauritânia, onde um jovem foi condenado à morte por um artigo supostamente crítico a determinadas atitudes do prócer dos muçulmanos. O anúncio da pena provocou comemoração no tribunal e nas ruas.

    Um nojo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *