Para acalmar os ânimos, Barroso admite aumentar o número de urnas auditáveis em 2022

Charge do Genildo (Arquivo Google)

José Carlos Werneck

Em conversas com interlocutores de sua confiança, o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, já dá inequívocos sinais de que pensa em aumentar o número de urnas eletrônicas auditáveis na próxima eleição, para diminuir a pressão que vem sendo feita pelo presidente Jair Bolsonaro e seus seguidores políticos.

Atualmente, apenas cem das quase 450 mil urnas em todo o País são sorteadas para serem auditadas por especialistas, num processo filmado.

SEM DEFINIÇÃO – Com o aumento do total de urnas auditáveis, será é possível obter-se um “retrato” mais amplo dos votos digitados pelos eleitores nas urnas eletrônicas, no dia das próximas eleições, marcadas para 3 de outubro do próximo ano.

O ministro, no entanto, não tem ainda o número total de urnas que passariam a ser auditadas desta maneira.

A notícia é boa, para acalmar os ânimos, ora exaltados, de muitos brasileiros que ainda têm dúvidas sobre a vulnerabilidade do sistema eleitoral do País, notadamente naquilo que concerne à apuração e à consequente totalização dos votos que indicarão o nome dos candidatos vencedores.

5 thoughts on “Para acalmar os ânimos, Barroso admite aumentar o número de urnas auditáveis em 2022

  1. Acho uma providência tola aumentar o número de urnas: se o software funcionar para uma urna funciona para todas as outras igualmente.
    O que está havendo por parte do Belzebu é uma tentativa de tirar a atenção do povo para a barbaridade que ele cometeu e resultou em milhares de mortos pela covid, o que poderia ser evitado.

  2. Tenho 64 anos em 1978 entrei para cursar engenharia aí conheci a liguagem Fortran, era usada no campus. Em 1979 fiz um curso na companhia elétrica do Ceará a COELCE, então conheci as maquinais da IBM, nós as programávamos com um cartão era então o código Holerite, fazíamos perfurações em um cartão colocávamos em um rolo e a máquina repetia inúmeras vezes nossa programação. Depois alguns anos depois fui trabalhar no Banco do Estado só Ceará como analista de sistemas. Nessa época a programação era em COBOL. Na década de noventa começamos a implementar as primeiras máquinas a serem usadas no autoatendimento. Por mais ou menos vinte anos trabalhei nessa área.
    Quero com tudo isso dizer essa imprensa é uma vergonha. Não sabem absolutamente de nada e ficam falando e os otarios ficam acreditando nesse fdps. Tem um vagabundo chamado Arruinaldo Azedo da Bandeirantes que se essa rádio tivesse obudansman já tinha tirado esse fdp do ar.
    Ah país vagabundo.

  3. Lembrai de Esopo: há aproximadamente 550 a.C. ele escreveu a fábula “O lobo e o cordeiro às margens d’um riacho”…

    Aplica-se direitinho a essa discussão “fumaça de cortina” onde Boçalnalha tem dois objetivos claros:

    1 – fugir da foco do Covid-19, cuja disseminação do vírus e centenas de milhares de mortes EVITÁVEIS têm como responsável maior o próprio presidente da república;

    2 – tumultuar as eleições e tentar impor uma ditadura narcomiliciana que evitaria que toda a familícia Boçalnazista acabe no xilindró.
    .

    Obs. Se houvesse concurso para palavrões e baixo nível o rebanho Boçal-olavista não teria concorrentes.

Deixe um comentário para Batista Filho Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *