Para apimentar o debate democrático de ideias…

Roberto Nascimento

Antes de 1964, podia-se votar no presidente de um partido e vice do outro. Assim venceu Jânio Quadros, da UDN, e João Goulart do PTB. Creio, que aquela forma causa distorções de toda ordem. Os dois ficam sempre de olho um no outro, o primeiro com medo das ações do segundo temendo uma conspiração para derrubá-lo e assim, assumir o poder. Esse quadro causa profunda distorção na mente do eleitor e aprofunda a instabilidade política e institucional.

Os motivos da renúncia de Jânio, talvez tivessem na raiz de tudo a vontade de se livrar do vice incômodo para poder governar ditatorialmente, conforme fez Getúlio Vargas, um presidente com P maiúsculo, que todos desejariam copiar ficando mais de 15 anos no poder. Todos que assumiram o poder máximo no Brasil, desde o fim da era Vargas tiveram esse sonho de consumo, entretanto, ninguém conseguiu ficar mais de 8 (oito) anos seguidos. Digo 8 (oito) anos por culpa de FHC, que trabalhou e conseguiu mudar a Constituição permitindo o segundo mandato para ele e o seu sucessor aproveitou também.

No tocante a permissão de ter o domicílio eleitoral em um Estado e poder se candidatar em outro Estado, entendo que a proibição é pertinente, pois cria toda sorte de malabarismo puramente circunstancial desse ou daquele partido e suas raposas políticas, em nada beneficiando o povo. Na última eleição, um político cearense aceitou o canto da sereia para se candidatar a governador por São Paulo. Lógico que tudo deu errado, pois o bairrismo ainda predomina em algumas regiões e principalmente muito arraigado nas Gerais e na Paulicéia. No Rio de Janeiro, vários candidatos com origens no sul e no nordeste se elegeram para o governo do Estado, exemplos de Brizola e Moreira Franco.

É o que tinha a dizer para apimentar o debate democrático das ideias.

3 thoughts on “Para apimentar o debate democrático de ideias…

  1. Concordo com o Autor, Sr. ROBERTO NASCIMENTO de que até 1964, podendo se votar a Presidente por um Partido e Vice-Presidente por outro, só causou/causava mais desordem ainda no nosso já desorganizado Sistema Político. Sempre deu em grave Crise Política. Quando o Presidente DUTRA (PSD) teve como Vice NEREU RAMOS (PSD) foi tudo bem, já quando o grande Presidente VARGAS ( PTB-PSD) que fez a Base de nossa INDUSTRIALIZAÇÃO, teve como Vice CAFÉ FILHO ( PSP), foi uma confusão, redundando em Presidentes CAFÉ FILHO, CARLOS LUZ e por fim NEREU RAMOS que estabilizou o barco e passou o Poder para o Presidente JUSCELINO KUBITSCHEK ( PSD), este teve como Vice JOÃO GOULART ( PTB) que embora muito simpático incomodou bastante JK, tanto que este na eleição deixou a “ver navios” o Candidato do seu Partido HENRIQUE LOTT ( PTB-PSD) de tal forma que ganhou facilmente JÂNIO QUADROS ( PTN-UDN) com o famoso Vice JOÃO GOULART ( PTB ) de novo. Este, JÂNIO QUADROS, inteligentíssimo mas extremamente afoito, aos 6 meses de Governo, enviou à China, e tentou livrar-se não somente do Vice, mas do Congresso Todo, tentando dar um clássico Golpe: Estou demissionário, SE QUEREM QUE EU VOLTE, exijo isso,isso e mais aquilo. Muitos Políticos fizeram essa jogada, ex. FIDEL CASTRO (1959), Presidente NASSER do EGITO cada vez que perdia uma Guerra para ISRAEL, e foram 3, com sucesso, mas com o impaciente JÂNIO QUADROS que não preparou bem a coisa, deu tudo errado. E deu no que deu. Também o Domicílio Eleitoral, tem que ter. Na Eleição de 1945, o recém ex-Presidente VARGAS foi eleito Deputado Federal por 7 Estados + Distrito Federal, e Senador por 2, RS e SP. E São Paulo da Revolução Constitucionalista de 32. Depois reclamam que a Oposição, leia-se CARLOS LACERDA tinha que gritar, urrar, para ser ouvido. Mas como fazer Oposição a um Líder Político assim, Fundador de 2 Partidos (PSD e PTB), que me parece coisa única no mundo, e logo depois de ter que sair do Catete, por ter ajudado a vencer a II Guerra Mundial pelas DEMOCRACIAS, é eleito Deputado Federal por 8 Estado e Senador por RS e SP. E SP, não Amapá. Sou LACERDISTA, mas admiro e respeito o grande trabalho que o Presidente VARGAS fez para modernizar o Brasil, Alfabetização de Massa, Mecanização da Agricultura, Industrialização, etc, apenas que ele era MUITO ESTATISTA e não tinha credenciais impecáveis como DEMOCRATA. Nós LACERDISTAS tínhamos a mesma visão NACIONALISTA, apenas que dando prioridade a Empresa Privada Nacional ( Capital Privado Nacional), em vez do ESTATAL de VARGAS. Ambos porém entendemos que a a Empresa Internacional pouco acrescenta a ECONOMIA NACIONAL, dando com uma mão e depois, a medida que o tempo passa, tirando com as duas. Vejam que no Jornal TRIBUNA DA IMPRENSA pelo menos no período de seu Fundador CARLOS LACERDA, até +- 1960, nunca houve propaganda de Empresa Internacional (Multi-Nacional Estrangeira), e me parece que foi assim também até hoje com o brilhante e valente Jornalista HÉLIO FERNANDES.

  2. O rugido das ruas é o HoMeM, e o HoMeM é o rugido das ruas .Rendam-se continuístas da mesmice, vocês estão cercados, levantem as mãos para o céu, e agradeçam ao Senhor, pois o HoMeM, que já disse a que veio, é aquele que há décadas vocês pedem de joelhos ao Pai. A César o que é de César, a Deus o que é de Deus, e ao Povo o que é do Povo: o sucesso pleno do bem comum. Ao ver do HoMeM do Mapa da Mina, Campos está confundindo ainda mais o cenário da sucessão, apostando na confusão face à qual todos os gatos e gatas são pardos, posto que a questão central da sucessão não é se o País agüenta ou não mais quatro anos de Dilma, mas, isto sim, se a população do país agüenta mais 4 anos de partidarismo-eleitoral (oposição, situação e gollpismo-ditatorial, Campos à bordo ), tal qual encontra-se formulado e formatado, divorciado dos reais interesses da população que não se sente mais representada pela situação e nem pela oposição, e muito menos pelo gollpismo-ditatorial. A impressão é que Campos está querendo apenas tomar o lugar de Dilma, no bico, como se fosse Dilma o problema e não os modellos apodrecidos de Estado e de Pollítica-partidária-eleitoral. Aviso ao navegante, Eduardo Campos: uma dose de simancol diariamente lhe fará bem. Se existe alguém neste País em condições de ocupar o lugar de Dilma não porque é melhor do que Ela mas apenas porque tem uma MMissão inevitável e inadiável cujo tempo chegou, esse alguém é o HoMeM do Mapa da Mina, o HoMeM do Borogodó (RPL-PNBC-ME), o projetista, autor e executor da obra, se Dilma julgar que chegou a hora da grande mudança de verdade, da grande Travessia, com estabilidade econômica, política e social, e se achar que, por ora, deve embarcar na Nova Nau e passar o timão para o HoMeM. O que não podemos aceitar é Campos, Aécio, FHC e CIA querendo tomar o Novo Transatlântico e o timão do HoMeM. Assim não dá Campos, Aécio, FHC e CIA, assim não é possível, posto que com vocês no comando, sem conhecerem a Nova Nau, o Novo Mapa e a Nova Rota, e sem saberem rezar a missa, por completo, o desastre será inevitável. Só o HoMeM está credenciado a comandar essa Travessia. E Ele garimpa nessa lagoa há muito tempo e não irá entregar o espaço que é seu para sapos de fora, ainda que oriundos das elites cheirosas. Portanto, se quiserem participar desta grande transformação têm que se entender com o HoMeM, à moda ajoelharam têm que rezar, humildemente, sob pena de colocarem tudo a perder, e obrigarem o HoMeM a fazer o Serviço das ruas ( com as quais Ele se entende por telepatia) para os palácios, depois da COPA. E depois não digam que não foram prévia e fartamente avisados.

  3. O argumento de que Jânio renunciou para voltar nos braços do povo,
    não deixa de ser especulação. Acredito mais numa renúncia imposta.
    A direita elitista que o elegeu, não estava satisfeita com a guinada para
    esquerda de Jânio, Os golpistas vinham tentando o golpe desde o suicídio de
    Getúlio Vargas, não houve sucesso na renúncia de Jânio, graças ao Brizola.
    Sou a favor da eleição para Vice Presidente, fortalece a democracia e nada
    melhor para um Presidente andar na linha do que uma oposição em seus calcanhares.
    Imagine que invés de Michel Temer, o vice Presidente fosse um político da oposição,
    com certeza os governos do PT não cometeria tantos “malfeitos”
    Um grande abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *