Para defender Brasil na ONU, a AGU pede informações sobre prisão de Lula

Resultado de imagem para comitê da ONU charges

Advogado alega na ONU que Lula é “preso político”

Daniela Lima
Folha/Painel

Toma que o filho é teu: a Advocacia-Geral da União pediu informações sobre a situação de Lula à Justiça Federal do Paraná. Os dados serão usados para municiar a defesa do Estado brasileiro na ação movida pelo ex-presidente no Comitê de Direitos Humanos da ONU. Em resposta à solicitação, o juiz da 12ª Vara Federal de Curitiba, Danilo Pereira Júnior, afirmou que o processo sobre o petista é público. As informações que a AGU reputar relevantes, diz ele, “podem ser extraídas por ela mesma dos presentes autos”.

No pedido, a AGU explica que o Brasil precisa demonstrar à ONU que tem dado “tratamento adequado e conforme aos direitos e garantias constitucionais e legais” a Lula. O órgão solicitou ainda que as informações fossem enviadas pela Justiça até dia 2 de outubro.

PRESO POLÍTICO – O advogado Cristiano Zanin alega que o petista é alvo de um processo injusto e que seus direitos constitucionais, como a liberdade de expressão e o exercício dos direitos políticos, estão sendo infringidos. O Brasil precisa apresentar suas alegações até o fim de outubro.

Em Porto Alegue, os advogados de Lula vão apresentar recurso ao TRF-4 nesta segunda-feira (dia 24) para que o ex-presidente possa gravar vídeos para a campanha de Fernando Haddad. A ideia é que o petista possa fazer os filmes na quinta (27), durante o horário de visitas à carceragem da PF.

BOMBA-RELÓGIO – Há preocupação na cúpula da Polícia Federal com o timing do desfecho da investigação sobre as motivações de Adélio Bispo de Oliveira para atacar Jair Bolsonaro (PSL). Seguido à risca, o prazo para a divulgação do resultado da apuração seria a antevéspera do primeiro turno. A expectativa, hoje, é de que as primeiras conclusões dos investigadores da PF sejam apresentadas ainda nesta semana.

A defesa de Adélio diz que estão previstas para quinta-feira (dia 27) duas entrevistas dele: uma ao SBT e outra à revista Veja. Com esse cronograma, elas seriam veiculadas menos de dez dias antes do primeiro turno da eleição. As entrevistas foram autorizadas pela Justiça. Elas acontecerão no presídio federal em Campo Grande (MS), onde Adélio está desde o dia 8.

10 thoughts on “Para defender Brasil na ONU, a AGU pede informações sobre prisão de Lula

  1. A investigação está sob sigilo e não divulgam oficialmente NADA, mas o SBT e Veja podem interferir e saber de tudo e espalhar o que quiser fazendo entrevista com o esfaqueador.
    Nossa justiça é podre!!! Fora STF bolivariano!!!

    • O cenário todo está no Domínio Público.
      Nada do que está aqui expresso é novidade.

      Estamos, continuamente, todos nós brasileiros, vendo o Poder Judiciário nacional ser achincalhado por um agrupamento que se diz partido político e seus satélites.

      Tratam a coisa como sendo ‘chicana’, termo gracioso para enganar o poviléu, mas o que vemos mesmo é contestação feita de má-fé, uma manobra capciosa, uma trapaça, uma tramóia.
      Isto não é mais chicana.

      Senhores e senhoras do Judiciário, vocês ainda não perceberam que é uma rematada A.V.A.N.I.A ? Avania, sim ! E a Justiça sofre toda essa avania e a aceita; passiva, submissa, jugulada ! Por que ? Medo ? Falta AUTORIDADE ???

      O que as esquerdas estão fazendo repetidamente com o Poder Judiciário é DEBOCHE, ZOMBARIA, ESCÁRNIO, SARCASMO, MOFA etc. Assim entende o brasileiro comum.

      O próprio condenado, o hoje DETENTO FICHADO Luís Inácio da Silva, em conversa gravada pela Polícia Federal – e já no Domínio Público também, declarou em alto e bom som que “o STF está acovardado” e ficou por isso mesmo!
      Ainda não estava condenado, mas uma Procuradora do Ministério Público Federal disse ser “o maior ladrão da história da humanidade”!

      Tenho reiterado uma indagação que faço com absoluta seriedade, inclusive citando a mim mesmo, mas que até esta data ainda não obtive resposta e desejo tê-la!
      Repito-a:
      Se toda essa AVACALHAÇÃO [não há termo mais pertinente, mais apropriado!] fosse perpetrada por um simples e anônimo cidadão (por mim mesmo!, já referi!), qual seria a atitude dos senhores e senhoras ? Admitiriam tudo isso e pronto … ? Não o mandariam (o cidadão), de imediato, prender, já não seria réu em processo(s) ?

      Não me venham, nem nos venham, com argumento falacioso de que É A LEI, ESTÁ NA LEI!
      Ou é LEI para uns e ‘lei’ para outros ?

      Senhores e senhoras do Judiciário, vocês ainda não perceberam que O POVO os vê com olhos reveses? O POVO, que percebe remuneração de UM APENAS salário-mínimo, refuga quem ganha, além de vários e suspeitíssimos adicionais, valor quarenta vezes maior. O POVO os vê privilegiando quase sempre – É INDUBITÁVEL e flagrante – os mais aquinhoados e os melhor situados na vida.
      E os vê, também, ser levados no DEBOCHE, ZOMBARIA, ESCÁRNIO, SARCASMO, MOFA, ACHINCALHE, A.V.A.N.I.A, AVACALHAÇÃO, CHICANAS e m.u.i.t.o m.a.i.s!
      ATÉ QUANDO ? Por que ?

      O Judiciário brasileiro precisa com urgência impor-se perante os LADRÕES de gola branca.
      O que falta ?
      Autoridade ?

      Ou é CONIVÊNCIA ?
      OU É M.E.D.O ???
      OU É RABO-PRESO ???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *