Para desgastar Lula, ttica de Bolsonaro relembrar o fracasso do governo Dilma

Charge do dia: FHC comenta impeachment de Dilma - Metrpoles

Charge do Kacio (Metrpoles)

Ricardo Della Coletta, Mateus Vargas e Marianna Holanda
Folha

O presidente Jair Bolsonaro (PL) deve investir cada vez mais em comparaes de seu mandato com o governo Dilma Rousseff (PT), como parte de sua estratgia eleitoral contra o ex-presidente Luiz Incio Lula da Silva (PT). De acordo com interlocutores, o plano agir para ressuscitar os anos Dilma na memria do eleitorado e acenar para um pblico que se mobilizou pelo impeachment da petista ao longo de 2015.

O plano j tem sido colocado em prtica pelo mandatrio em declaraes recentes: ressaltar ndices negativos registrados na administrao da petista para defender dados adversos divulgados em seu prprio governo.

LADO NEGATIVO – Com essa ao, Bolsonaro tambm quer evitar que o PT transforme a campanha presidencial numa comparao dos oito anos de Lula no poder com o atual presidente. Lula deixou o Palcio do Planalto em 2010 com altas taxas de aprovao e baixo desemprego.

A ideia de Bolsonaro reforar que o perodo petista no poder tambm compreende a gesto Dilma e que a recesso iniciada em seu mandato tem reflexos at hoje.

A avaliao de aliados de Bolsonaro que o PT vai tentar esconder a crise econmica desencadeada no governo da sucessora de Lula e que preciso evitar que a gesto Dilma no esteja presente no debate eleitoral.

ATAQUES A DILMA – Em entrevista a uma rdio do Esprito Santo na segunda-feira (17), Bolsonaro investiu contra a administrao da petista. “[Em] 2014, 2015, o Brasil perdeu 2,5 milhes de empregos. Quando se fala emprego, com carteira assinada, que tem um controle por parte de rgos do governo federal. E no teve pandemia, no teve nada. Era o governo do PT, da senhora Dilma Rousseff”, disse Bolsonaro.

No dia seguinte, em conversa com apoiadores, ele insistiu no argumento. “Deus nos salvou do socialismo. Garotada, que em grande parte apoia, no sabe o que foi este governo aqui, fica gritando aquele papo furado, falando de inflao. Inflao, sim, tem inflao. O mundo todo est com inflao. Tivemos inflao de 10% com a Dilma, no teve pandemia, nada. Ns tivemos 10% com pandemia”, afirmou.

A referncia ao socialismo no por acaso. Auxiliares afirmam que um dos motes da campanha deve ser tentar repetir a frmula j empregada em 2018: tachar seus adversrios, da centro-direita esquerda, de comunistas e socialistas.

NOVA ESTOCADA Na quarta-feira, houve nova estocada em Dilma. “Eu decidi disputar a Presidncia depois da eleio da Dilma. Poxa vida, algum tem de fazer alguma coisa. Era um deputado, para ser educado, do baixo clero”, afirmou.

Na semana anterior, ele j havia destacado a inflao registrada durante o mandato de Dilma para se defender das crticas pela alta dos preos de 2021 medida pelo IPCA (ndice Nacional de Preos ao Consumidor Amplo). Nos 12 meses do ano passado, o IPCA acumulou variao de 10,06%.

“Olha s, se no me engano em 2014 ou 2015 a inflao foi de 10% tambm. Me aponte qual crise aconteceu nesses dois anos? No teve crise nenhuma. Ns tivemos aqui a questo da Covid”, disse Bolsonaro na ocasio.

EFEITO INFLAO – Assessores presidenciais destacam que a inflao um dos principais obstculos para a reeleio de Bolsonaro. Nesse sentido, ele pretende endossar uma PEC (Proposta de Emenda Constituio) que atropela a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) e permite, sem necessidade de compensao, o corte temporrio de tributos sobre combustveis e energia eltrica.

O presidente busca terceirizar as responsabilidades pela inflao. Ele tem dito que o aumento de preos ocorre no mundo todo e que, no Brasil, a culpa de governadores que adotaram quarentenas para conter a Covid-19.

Bolsonaro vetor de desinformao sobre a pandemia e afirma que o ideal era derrubar as restries de circulao, ainda que a doena tenha matado mais de 620 mil pessoas no Brasil.

CONTRA O MST – O atual presidente o segundo colocado nas pesquisas para eleio ao Planalto deste ano, atrs de Lula. Em eventos recentes, Bolsonaro tambm tem apontado como mritos de sua gesto a oposio a grupos que apoiam as candidaturas petistas, como o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

“Todos devem se lembrar que tnhamos algumas dificuldades no passado. Por exemplo, a atuao do MST. Ns praticamente anulamos as aes do MST”, disse o presidente na segunda, em evento com representantes do agronegcio.

Para o lder do governo na Cmara, Ricardo Barros (PP-PR), Bolsonaro sabe das fragilidades a serem exploradas contra o PT por j ter disputado um segundo turno contra o partido contra Fernando Haddad, em 2018.

FRAGILIDADES DO PT – “O presidente Bolsonaro disputa a eleio contra aqueles candidatos que se apresentarem. Como j foi ao segundo turno com o PT, ele sabe exatamente as fragilidades a serem exploradas contra o seu adversrio [Lula]. Eu vejo que h uma lgica comparao do mundo real, dos fatos concretos, de como as coisas aconteceram”, afirmou Folha.

A estratgia bolsonarista ocorre em meio a sinalizaes do PT de que Dilma deve permanecer em segundo plano na campanha. O partido ainda discute que papel dar ex-presidente na corrida eleitoral.

Recentemente, um dos vice-presidentes do partido, Washington Quaqu, disse que Dilma no tinha mais relevncia eleitoral. Ela tampouco foi convidada para o jantar que sacramentou a aproximao entre Lula e Geraldo Alckmin (ex-PSDB), possveis aliados em uma chapa presidencial.

###
NOTA DA REDAO DO BLOG
Eleio isso a. Cada um -joga com as armas de que dispe. E os dois principais candidatos Lula e Bolsonaro tm enormes telhados de vidro a serem apedrejados. (C.N.)

3 thoughts on “Para desgastar Lula, ttica de Bolsonaro relembrar o fracasso do governo Dilma

  1. KKK no d para comparar nada com coisa nenhuma, os desgovernos do mito e da Dilmanta so ruins demais, sendo que a Dilmanta teve dois mandatos e o mito s est no primeiro. E espero que seja o ltimo. Como todo mundo sabe que o desespero pssimo conselheiro, o mito j est no clima de total desespero.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.