Para “justificar” o golpe, Jair Bolsonaro quer insuflar as multidões no Sete de Setembro

Crédito: Arquivo Agência Brasil

Bolsonaro participará dos protestos em São Paulo e Brasilia

Carlos Newton

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Braga Netto ficaram meio emparedados com a manobra do presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, que colocará na Comissão de Transparência um militar especialista em Informática, para garantir claramente a lisura da eleição. Com isso, Barroso esvazia o escândalo que Bolsonaro pretendia fazer, imitando seu ídolo Donald Trump na denúncia de uma fraude eleitoral que só “ecziste” na cabeça dele, diria o saudoso Padre Quevedo.

A jogada de Barroso foi magistral, porém isso não significa que Bolsonaro e Braga Netto pretendam desistir de um golpe militar para melar o jogo, como se dizia antigamente.

EM BUSCA DO GOLPE – A comemoração do Dia da Independência será o primeiro grande teste das intenções do presidente e de seu ministro Braga Netto, que Bolsonaro tirou da Chefia do Alto Comando do Exército para ocupar a Casa Civil em fevereiro de 2020, quando não havia crise alguma, numa nomeação estratégica para mostrar que o governo era mesmo “militar “e Bolsonaro podia posar de comandante-em-chefe das Forças Armadas, para que vem entendesse.

Embriagado pelo poder, Bolsonaro esqueceu de combinar seu plano com o então ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e com o comandante do Exército, general Eduardo Pujol, que jamais concordaram com os enlouquecidos propósitos do capitão-presidente.

Encurralado, Bolsonaro então nomeou Braga Netto para ministro da Defesa, trocou os comandantes militares e começou tudo de novo, em busca do golpe.

SETE DE SETEMBRO – Novamente sem desfile, este ano o Brasil terá um Dia da Independência totalmente politizado. Para agitar as massas, o comandante-em-chefe Bolsonaro vai estar de manhã em Brasília, na Esplanada dos Ministérios, e à tarde em São Paulo, na Avenida Paulista.

Tudo pode acontecer, porque as duas manifestações estão sendo vitaminadas pelo “Gabinete do Ódio”, que funciona no terceiro andar do Planalto. E não se surpreendam se nas ruas surgirem falsos black blocs a promover arruaças e depredar lojas.

O presidente e o ministro da Defesa estão apostando no pior com essas manifestações, que Bolsonaro chama de “ouvir o povo”. Daqui em diante, eles pretendem radicalizar cada vez mais seus seguidores, para que as Forças Armadas enfim possam “fazer cumprir a Constituição”, que é como Braga Netto justifica o golpe militar.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O único problema é que Bolsonaro e Braga Netto ainda não conseguiram cooptar o comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira, que é uma verdadeira esfinge. Sua única declaração, à repórter Jussara Soares, de O Globo, na semana passada, diz tudo: “O Alto Comando está com o comandante”. Em tradução simultânea, Bolsonaro e Braga podem se desesperar, atear fogo às vestes ou até praticar o haraquiri lusitano, mas não tem jeito – a democracia sairá vitoriosa. (C.N.)   

11 thoughts on “Para “justificar” o golpe, Jair Bolsonaro quer insuflar as multidões no Sete de Setembro

  1. Trocando em miúdos.
    Entonces Bolsonaro quer dar o “gope”, (apud Fatima Bezerra) nele mesmo? Vai ser bi presidente. Insuflador nato consegue promover passeatas, carreatas, motoceatas; Insufla tudo.
    Toda regra tem exceção, ele só não insufla as pesquisas de opinião do data folha e o gado assistir a Globo. Os mais insufláveis são Exército, Marinha e Aeronáutica, ali a cobra fuma mais que a Marcha da Maconha.
    Como Lula já bate uns 200 por cento de intenção de voto tá na hora da Friboi expandir o ramo da pecuária para fábrica de mortadela para criar os insufladores mortadelizados.
    Aí é caixão e vela roxa!
    Ridendo castigat mores.
    CN não é nada pessoal, só não podia perder o gancho, hehehe

  2. Caro Marcelo … O Presidente da República é Chefe do Poder Executivo … não é Chefe da Nação … nem Supremo Mandatário … nem Chefe do Governo … … … tanto que o 142 dá Poderes aos outros Chefes – o do Judiciário e o do Legislativo.

    Sds.

  3. Bolsonaro não tem noção das obrigações que qualquer cargo impõe.
    Não teve noção do que é hierarquia qdo militar.
    Não tem noção do que representa e deve fazer um vereador e um deputado.
    E não tem noção das obrigações do cargo de presidente.

  4. O entendimento dominante é que o presidente é Comandante em Chefe das Forças Armadas em caso de guerra.
    Contra quem ele pretende declarar guerra? Contra EEUU, China, Paraguai, ou contra os coitados mortadelas?
    Se ele produzir um cadáver sequer, será o maior tiro no pé, será expelido da cena política por um tsunami de revolta nacional e mundial.

  5. Essa ladainha insana não convence ninguém.
    Bolsonaro veio pra ficar, nem que haja pranto e ranger de dentes.
    “Vós sois o sal da terra”
    Bolsonaro, e eu sou o sal grosso.

  6. Não acho que vale muito a pena se digladiar em torno de futuras atitudes do Neonazista, o rumo será de acordo com as diretrizes do Vernon Walter, o Mito é simplesmente um títere oportuno da estrema direita radical mundial.

Deixe um comentário para Armando Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *