Para o eleitor de Dilma, a saída de Erenice Guerra não influi

José  Carlos Werneck

Para quem vai votar na candidata Dilma Rousseff (leia-se, presidente Lula) em nada influi a saída da ministra-chefe da casa civil da presidência da República nas pesquisas que dão a vitória da candidata do PT.

O eleitorado de Dilma não está nem aí para as denúncias envolvendo os integrantes do governo. Para dizer a verdade nem sabem o que significa o cargo de ministro chefe da casa civil, o segundo posto mais importante da Administração Federal, logo após o presidente da República.

Secularmente a maioria de nossa população, não mora decentemente, não tem emprego, e quando tem ganha mal, não tem assistência médica e previdência dignas, sofre nas filas dos hospitais, não possuiu um bom sistema de saúde e não tem segurança pública.  Isto tudo para não se estender, ainda mais,nas mazelas de que padece nosso povo.

Nossa gente carente e abandonada identificou-se com um Governo, que apesar de inúmeras falhas, preocupou-se com os menos favorecidos e procurou melhorar suas vidas.

Por isso as pesquisas de intenção de voto maciçamente favoráveis à candidata de Lula e a aprovação quase unânime ao Governo atual, não surpreendem a ninguém, que conheça um pouco da realidade deste País, em que os menos favorecidos SEMPRE foram esquecidos.

Diziam que Lula eleito ia estatizar os bancos, tomar as propriedades dos mais “ricos” e outras sandices espalhadas por seus adversários.

Ao contrário, nada disso aconteceu, Nunca os bancos lucraram tanto no Brasil, como nos dois últimos governos, chefiados pelo “perigoso” Lula”. Creio que os banqueiros sejam os maiores doadores da campanha de Dilma Rousseff e seus maiores cabos eleitorais.

Com a Democracia plena e as instituições funcionando razoavelmente o debate sucessório, felizmente, perdeu seu conteúdo ideológico e o que interessa ao eleitor é uma democracia econômica, um capitalismo de massas, com uma distribuição equânime das riquezas nacionais, a geração de novos empregos, aposentadorias e salários dignos e o tal sonhado bem estar social.

O presidente Lula, com seus programas sociais tornou menos perversa a situação dos miseráveis. Isso é inegável e esse é um dos acertos de seu governo.

Só que não existe almoço grátis, a conta é alta e está sendo paga pelas pessoas erradas.

Os muito ricos é que deveriam pagar essa conta, já que também lucraram muito com o crescimento da economia como um todo.

Mas a fatura veio parar nas mãos erradas. Caiu no colo da classe média, constituída de pequenos empresários, funcionários públicos, profissionais liberais, gente que paga impostos, na fonte e fora dela, para que o governo possa gerir seus bem sucedidos programas sociais,

E é essa classe média que está fazendo das tripas coração, para pagar o plano de saúde, a prestação da casa própria, ou o aluguel da moradia, a escola dos filhos e todas as demais contas no fim do mês. Nunca houve tantos integrantes da chamada classe média vivendo tão mal e sofrendo tanto. Esses são os que querem ver a coisa mudar. Esse pessoal é que compõem o percentual de votos de José Serra.

Podem ter certeza, após a DEMISSÃO DA MINISTRA Erenice Guerra e de mais este escândalo governamental, Dilma continuará liderando as pesquisas e aposto que aumentará sua diferença em relação a Serra. Viva o Bolsa Família!

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *