Para onde voaram o dinheiro e os projetos de corrupção da Odebrecht? Se volatizaram?

Resultado de imagem para odebrecht

O dinheiro da corrupção entrou por um buraco e saiu pelo outro

Pedro do Coutto

Aline Bronzati e Niviane Magalhães publicaram reportagem na edição de ontem de O Estado de São Paulo focalizando os problemas financeiros da Odebrecht, maior empreiteira de obras do país, e que liderou, no lado empresarial, o processo devastador de corrupção desencadeada a partir do segundo governo Lula. E que velozmente atravessou os mandatos de Dilma Rousseff e navegou no lago encantado da conivência no desgoverno Michel Temer.

Entretanto, a Odebrecht assumiu dívidas no montante de bilhões de reais que deixaram a empresa aparentemente vulnerável à cobrança que em torno dela se fechou como círculo de ferro. Tal círculo reduziu, ou até zerou sua capacidade de resgate.

MUITAS DÍVIDAS – Os títulos emitidos foram para o espaço de crédito ocupado – acentua a reportagem – pelo Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, BNDES, Bradesco, Itaú e Santander. Tenho a impressão que nunca uma empresa sozinha conseguiu dever tanto a credores tão fortes.

Os leitores certamente sentiram que estou me inspirando na frase histórica de Churchill, aplicada aos pilotos da RAF que conseguiram abater, no ar, muitas bombas voadoras de Hitler que atravessaram a fronteira e tinham Londres como alvo. Nunca tantos deveram tanto a tão poucos, disse o primeiro-ministro.

DINHEIRO VOLÁTIL – Voltando a Odebrecht, que está devendo muito, é porque conseguiu assumir dívidas estratosféricas. Para onde foi o dinheiro produzido pelo mar de corrupção? Dinheiro volátil do roubo em série organizado? Basta ler as decisões da Justiça que condenou os principais ladrões.

E se a Odebrecht distribuiu rios de dinheiro para subornar e dividir vantagens ilegais com órgãos públicos, espanta que tenha submergido num mar de papeis de créditos não resgatados. Afinal a Odebrecht comandava uma face da corrupção integrada pela OAS, Andrade Gutierrez, Delta, entre outras de menor porte mas de grande voracidade demonstrada pela fúria dos assaltos em série contra o Tesouro Nacional.

Um desastre para os assalariados brasileiros, uma vez que a fonte da propina era alimentada pelo desvio de recursos públicos que deveriam ser destinados aos setores que mais necessitam deles no país. É verdade, porém não se sabe para quais destinos navegaram as taças de ouro e prata, produtos do roubo organizado.

ROUBO DE ESQUERDA? – Sabe-se apenas que uma parte corrupta deslocou-se para Cuba e Angola, principalmente no plano internacional. A corrupção sintetiza em larga escala uma cada vez maior concentração de renda. Nada mais conservador e também reacionário do que isso. Portanto devemos acentuar que o roubo em ondas enormes, como no Brasil, nada tem de centro-esquerda.

As ondas são do passado e que represam o caminho do futuro. Extrema-esquerda, hoje, só existe na Coreia do Norte e Cuba. Mas a pergunta, finalizando, continua ainda sem resposta. Para onde foram parar parcelas enormes de dinheiro da Odebrecht? Afinal de contas não existe crédito sem débito.

8 thoughts on “Para onde voaram o dinheiro e os projetos de corrupção da Odebrecht? Se volatizaram?

  1. Nada mais falso que acusar Lula e PT de esquerda. Só tem uma finalidade: desmoralizar a verdadeira esquerda democrática de Getúlio, Jango, Darcy Ribeiro e Brizola.
    O PT comandado por Lula tinha apenas uma finalidade: enriquecer através da corrupção

    • Ninguém menciona o PSDB, pois não dá Ibope.

      Será que FHC, Serra e Aécio Neves detre outros tucanos enriqueceram quando estavam no poder?

      Ou seja, será que estes também são corruptos, já que os bolsalienados nada faz deles ?

      O Lula, mesmo preso, ainda incomoda. Não estou aqui a defender “a” ou “b”, apenas fazendo uma constatação sobre os bolsoalienados.

  2. Jacob, meu caro,

    O pessoal habilidoso da esquerda criou essa artimanha, de alegar que Lula tinha um objetivo único, que seria enriquecer, deixando de ser de direita, esquerda, centro …

    Não.
    Lula era de esquerda, sim.
    A começar, que nos áureos tempos do petismo, nos dois primeiros anos de Lula, a conversa era unicamente com relação ao sucesso do PT, um partido de esquerda e que iria corrigir os erros de 500 anos da direita egoísta, capitalista, elitista …

    Bastou acontecer o mensalão, e começaram a mudar as palavras da esquerda, tornando-se mais amena em elogios ao PT, que estava no poder.

    Lula pode ter sido um mandalete de Golbery, ser dono do PT, de seguir somente as suas ideias e jamais alguma ideologia, apesar de se dizer socialista.

    Lula era dono do partido, seu guia político, espiritual, social, econômico e até mesmo religioso, mas era de esquerda!

    Se deixou-se levar pelas tentações do poder ou porque o seu caráter era de ser antissocial, com desvios de personalidade, mitômano, ladrão contumaz, inescrupuloso, tais defeitos eram pessoais, razão pela qual a esquerda “pura”, maravilhosa, sem qualquer erro na sua propalada divulgação ideológica – pelo menos era assim que ela pensava de si mesmo -, afastou-se de Lula para consumo externo, pois ficou atrelada ao poder com o PT até depois de Dilma ter sido cassada!

    Exemplo?
    O PDT, do saudoso Brizola!
    PCdoB;
    PCB;
    Psol;
    PSTU.

    Esse pessoal jamais deixaria o Planalto, então a falsa separação com o PT que, na verdade, tratava-se de uma pantomima tão mal feita, que não houve a famosa debandada de parlamentares do PT, pelo contrário, Dilma teve defensores de quase todos os partidos, sendo o MDB o segundo em número de políticos em lhe apoiar, claro, o PT só podia ser o primeiro.

    Se o PDT tivesse honrado o nome do seu fundador, jamais teria se aliado ao PT, jamais!

    A desculpa que tal aliança impediria o PDT de desaparecer do cenário político foi de amargar, inacreditável, de uma ingenuidade que mais beirava à estupidez e idiotice!

    Essa sigla, sim, caso se mantivesse longe dos crimes petistas e de seus outros aliados, teria sido efetivamente de esquerda, e teria hoje consigo uma parcela substancial da população.

    No entanto, apesar da esfrega que levou de ser aliado da quadrilha petista, o PDT rasgou em definitivo a sua política, jogou-a no lixo, desprezando o seu líder maior, Brizola, quando Ciro Gomes foi escolhido candidato pelo partido à presidência!

    Ciro, simplesmente, ateou fogo nos restos do programa pedetista de Educação, exemplar, modelar, E NUNCA FALOU DOS CIEPS NA SUA CAMPANHA!!!

    Ciro era o maior economista do mundo;
    o mais competente;
    o de maior visão;
    o único capaz de resolver nossos problemas econômicos.

    Mas, tirou a máscara de candidato do PDT em três momentos:
    Quando jamais fez a divulgação de uma política educacional levada a efeito por Brizola, pois apenas propalava o que fizera no Ceará;
    Quando inúmeras vezes admitiu publicamente que, se eleito, tiraria Lula da cadeia!
    O seu desejo maior, o seu objetivo como onipresente, que disputa com Lula quem seria mais egocêntrico, vaidoso, ser aquele que reuniria AS ESQUERDAS, pois queria ser uma espécie de sucessor do ladrão e genocida!

    Logo, meu amigo, não estou discordando de ti, mas apresentando a minha ideia quanto a Lula e qual seria a sua tendência política – esquerda -, corroborada por Ciro, que tinha como intenção ser o “Moisés” do povo de esquerda, e que o levaria a cruzar o deserto e chegar à terra prometida, o Planalto!

    Certamente faltou a Ciro não uma língua de trapo, porém o cajado que, sem ele, Ciro não abriu o mar para a fuga dos eleitores de Bolsonaro para o seu movimento, afogando-se junto com esta tentativa, em consequência.

    Lamento muito, e já escrevi a respeito, que o PDT tenha perdido a sua identidade ideológica:
    primeiro para “sobreviver”;
    segundo, ao aliar-se ao PT, do sapo barbudo;
    por último, ao relegar a Educação, que seria o grande mote do PDT nos dias de hoje!

    Seria a esquerda que comentas, que gostaríamos de ter, que fosse mesmo pura, maravilhosa, e sem máculas!!

    Abração.
    Saúde.

Deixe uma resposta para James Pimenta Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *