Para que servem as autoridades? A Justiça não respeita nem mesmo seus funcionários.

Paulo Peres

Quinta-feira, os representantes do Sindjustiça do Rio tiveram o primeiro encontro com o novo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Manoel Alberto, após a sua posse.  Entre outros assuntos, foi colocada em discussão a extensão dos 24% (ganhos na Justiça por funcionários) para aposentados e pensionistas, mas o posicionamento da administração foi no mesmo diapasão.

Além de alegar que qualquer decisão ultrapassa a sua alçada, o novo presidente justificou-se pela inexistência de verba. E o mais ainda surpreendente foi a explicação de que esse pagamento poderia comprometer o orçamento do RioPrevidência ( cadê o dinheiro dos royalties do petróleo?).

Foi dito ainda que a responsabilidade pela exclusão dos aposentados e pensionistas é do governador Sérgio Cabral, aquele mesmo que outrora se dizia ser “o defensor dos idosos”.

As autoridades esquecem que, o funcionário, mesmo depois de aposentado continua descontando, mensalmente, para o RioPrevidência e, é claro, para o cofrinho do Sergio Cabral e sua trupe.

Portanto, abrir um crédito suplementar ao Tribunal de Justiça do  RJ, para pagamento do aumento de 24,6% dos aposentados e pensionistas daquele órgão, seria, no mínimo, um ato de caráter, de sensibilidade e de compreensão com quem dedicou dezenas de anos de sua vida em prol do serviço público e que, na maioria, como todos os idosos, são pessoas que precisam de tratamentos especiais e um número maior de remédios.

 Paulo Peres é analista
judiciário aposentado

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *