Para se reeleger, Bolsonaro não pode ser Bolsonaro e tem de sufocar a beligerância

Nani Humor: BOLSONARO PAZ E AMOR

Charge do Nani (nanihumor.com)

Guilherme Amado
Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro tem que driblar o jeito Bolsonaro de ser para se manter competitivo para a eleição de outubro. Só que, a contar pelos novos ataques à Justiça Eleitoral na semana passada e pelas investidas de seus apoiadores contra as pesquisas que o mostram bem atrás de Lula, o presidente já começou a deixar a autocontenção para trás.

Num ciclo vicioso, Bolsonaro só tende a perder se não conseguir esconder sua essência beligerante. Por isso, parece estar desistindo do voto e seus ataques de Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal integram uma estratégia contra a realização das eleições.

Caso seja derrotado e precise questionar o resultado eleitoral, o presidente precisa fazer parecer que o Supremo é seu adversário. Neste quadro, Jair Bolsonaro precisa manter aquecida a tensão com o STF daqui até as eleições, para fazer colar a narrativa de que é vítima do tribunal.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Uma análise precisa, curta e grossa de Guilherme Amado, um dos destaques na nova geração de jornalistas políticos, que está chegando à casa dos 40 anos, a idade da razão. Parece claro que Bolsonaro, desde que assumiu, escolheu esse caminho, por julgar que as Forças Armadas iriam apoiá-lo numa aventura para repetir 1964. Ele parece não ter entendido o propósito do general Eduardo Villas Bôas, que comandava o Exército no governo Dilma Rousseff e deu grande força ao impeachment. Os militares não queriam o poder, apenas almejavam que poderiam fazer bonito no governo Bolsonaro, mas se enganaram. O presidente tem um parafuso a menos e se mostra incontrolável, ingovernável e inadministrável. E vida que segue, diria o grande João Saldanha, o João sem Medo, como era chamado por Nelson Rodrigues. (C.N.)

7 thoughts on “Para se reeleger, Bolsonaro não pode ser Bolsonaro e tem de sufocar a beligerância

  1. Fôrças Armadas tem como parâmetro, receber e cumprir ordens, dando os necessários passos.
    Resta saber quem é a “mão oculta” determinante?

  2. Bolsonaro não vai mudar. Sempre foi o mesmo.
    Ele tem certeza de que ele está certo e o resto do mundo está errado.
    Ele é incapaz de reconhecer isso.
    Se ele mudar aí sim vai perder seus devotos seguidores.

  3. Todos os que estão contra suas opiniões estão errados, é próprio de Ditadores e aí também tem as diferenças existem os ‘raivosos’, vide ‘tosco’ e os ‘doidivanas’, vide ‘anta’. Mas todos só escutam o que eles pensam e por isto estão condenados ao fracasso.

  4. E o fracasso se dá por causa dos aproveitadores de plantão que começam a falar o que o Ditador quer escutar e são levados para a corte do mesmo e quando o barco afunda, caem fora, após se regalarem com as benesses do poder.

  5. As idéias do Guilherme Amado “não correspondem aos fatos”. Na real, o jornalista é Metrópoles e Metrópoles é imprensa petralha.

  6. Simples assim:

    Quem tem apoio dos militares? Dos cristãos (Católicos, protestantes, evangélicos e pentecostais)? Do Agro Negócio? Dos caminhoneiros? Dos policiais civis e militares? Das forças auxiliares? Dos conservadores? Das famílias? Dos motoqueiros? Do povão?

    Só Bolsonaro tem! Ninguém mais! É só checar o DataPovo semanalmente. Bolsonaro só não se reelege se morrer, for assassinado ou houver fraude nas eleições. Tirando isso, vai ganhar com mais 70% dos votos válidos. Ganha brincando.

    Na noite fria de Campos do Jordão, multidão sai às ruas e faz corredor quilométrico para Bolsonaro, vejahttps://terrabrasilnoticias.com/2022/05/na-noite-fria-de-campos-do-jordao-multidao-sai-as-ruas-e-faz-corredor-quilometrico-para-bolsonaro-veja-video/ vídeo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.