Para uma inflação de 2,3%, planos de saúde aumentam mensalidades em 20%, quase dez vezes mais

SOU+SUS: A saúde brasileira em charges - Planos de Saúde

Charge do Bier (Arquivo Google)

Pedro do Coutto

A inflação calculada pelo IBGE para o período julho de 2019 a julho de 2020 foi de 2,3%, entretanto os planos de saúde estão reajustando em até 20%, portanto, quase dez vezes mais. A reportagem de Mariana Barbosa, O Globo de hoje, chama atenção para um aspecto da maior importância que se encontra no lucro obtido pelos planos no mesmo período.

As operadoras alegam que perderam 400 mil associados este ano, entre março e junho. No entanto, tiveram lucros que variam no semestre de 200 milhões a 400 milhões de reais. O lucro da Sula América está neste 400 milhões. O plano Notredame registrou um lucro líquido de 223 milhões. O Hapvida obteve 278 milhões de lucro. Incrível, portanto, na minha opinião, o que os planos reivindicam agora a partir de agosto.

LUCROS ALTÍSSIMOS – Com base na Sul América, podemos imaginar os lucros obtidos pelo Bradesco Saúde, Itaú, Amil, Assim e Unimed, planos bastante conhecidos de forte presença no mercado.

As seguradoras, segundo a Associação Brasileira dos Planos de Saúde perderam 400 mil clientes, que não tiveram condições de manter os pagamentos mensais. Pois é preciso considerar também que o aumento de até 20% (há casos de aumentos de 15%) superam os reajustes salariais que são de zero%. Assim a população com o passar do tempo terá de recorrer ao SUS.

DIZ GUEDES – Uma boa pergunta é o que acha deste descompasso o ministro Paulo Guedes, que em uma entrevista a Manoel Ventura e Geralda Doca, O Globo, diz que o presidente Bolsonaro “tem muita confiança em mim” no que se refere ao teto dos gastos públicos, em particular, e à política econômica de modo geral.

São contradições essenciais as que marcam o confronto entre a política econômica e a política social do governo. Em alguns casos colocando em conflito a questão da desoneração de empresas para com o INSS.

Um projeto aprovado pelo Congresso prevê a desoneração. O presidente Bolsonaro vetou. O veto será apreciado em setembro. Mas em contrapartida o projeto da reforma tributária prevê a mesma desoneração.

12 thoughts on “Para uma inflação de 2,3%, planos de saúde aumentam mensalidades em 20%, quase dez vezes mais

  1. Desde quando o PT estava no poder é que as operadoras de saúde têm “deitado e rolado”. Lula se tornou “mui amigo” de Seripieri, da operadora Qualicorp. Então essas empresas lucram sempre mais e os planos de saúde vão ficando cada vez mais caros. Mas quem se importa???

    Temer também pouco se importou com a saúde pública e com a ganância das empresas de saúde suplementar.

    Agora certamente Bolsonaro vai deixar o cenário ainda PIOR. Porque tem ideias genocidas contra o seu próprio povo, como ele tem demonstrado perante a pandemia de Covid-19.

    Então os planos de saúde vão ficar IMPAGÁVEIS para um número cada vez maior de cidadãos neste país, ano após ano. Enquanto isso a saúde pública será ainda mais sucateada, obviamente. Alguém duvida disso???

  2. ANS e seus diretores são os culpados diretamente. É preciso exigir que o Coaf/MPF/PF fiscalize estes diretores.
    Deputados da Câmara que indicou seus protegidos na ANS não o faz.

  3. Juntando Covid19 e o reajuste dos Planos de Saúde chego à conclusão que o Extermínio de Velhinhos será digno de um Holocausto.

    Enquanto isso a Executivo, Judiciário e Executivo se fazem de surdos por que seus Planos de Saúde deles estão garantidos pelos Escravos Contribuintes.

    Este é o Nosso País.

  4. Interessante o argumento das operadoras. Se elas perderam associados, evidentemente deixaram de ter que atender esses mesmos associados. Caiu receita de um lado, caiu despesa do outro. Se a diferença dessa receita perdida para essa despesa economizada é tão grande que justifique um aumento de 20% nas mensalidades, salta aos olhos que ou as operadoras são administradas de modo muito ineficiente (suas maiores despesas são administrativas) ou então gastam muito pouco com o atendimento aos associados, o que implica em que atendem mal.

  5. Não entendo estes reajustes, o salário do cidadão trabalhador, nunca poderá acompanhar estes altos índices em comparação aos reajustes de salário, é inacreditável, para que serve estas agências reguladoras, só regulam os lucros destas instituições, que país é este ? Qual o critério do IBGE, ninguém sabe o que acontece, assim são os aluguéis, IGPM de 12 % e salário de 2,5 %, sempre estaremos perdendo para estes índices.

  6. Não chega a exploração sistêmica por parte dos governos, federal, estadual e municipal, através de impostos, taxas e manipulação dos índices de inflação, que temos que arcar com esse dizimo da saúde, para não morrer nas filas do SUS, esses Planos que só funcionam bem quando você é novo e saudável, se ficar velho e doente e precisar de uma cirurgia mais séria, você pode se defrontar com algum tipo de cláusula impeditiva e simplesmente morrer se não tiver quem pague.

  7. Nem Jair Bolsonaro, Michelle, e o filho mais novo de Jair Bolsonaro tomaram cloroquina ou hidroxicloroquina. Pode-se falar outras coisas sobre o clã Bolsonaro, mas o que não se pode dizer é que eles são trouxas. De trouxas eles não têm nada ! O clã Bolsonaro, como todos nós, está ciente de que a cloroquina e a hidroxicloroquina não têm qualquer indicação para o tratamento da Covid-19 e que esses fármacos podem provocar arritmias cardíacas e mortes em pacientes assintomáticos, com sintomas leves ou com sintomas severos do coronavírus, já que este assunto foi mencionado à exaustão por cientistas, imunologistas, intensivistas e pelo médico porta-voz da OMS. O Exército brasileiro, foi na onda da opinião de Trump, pressionado por Jair Bolsonaro, que também fala que a cloroquina e a hidroxicloroquina curam o coronavírus, e comprou toneladas destes medicamentos, que vão perder a validade, pois não há demanda suficiente no Brasil para consumir toneladas desses fármacos.

    Fico sem saber os motivos políticos ou a estratégia de Bolsonaro de teimar em prescrever esses fármacos para os incautos e para seus admiradores, apesar de ser uma recomendação sabidamente criminosa.

    Quanto aos empresários dos planos de saúde, citados acima, eles conseguiram autorização para, nesse mês de agosto, para aumentarem o preço das mensalidades dos usuários. Autorização dada pelo Governo Federal. Isso parece explicar porque os planos de saúde estão pressionando médicos a medicarem com cloroquina ou hidroxicloroquina os pacientes de Covid-19 – é um agrado ao presidente da República,

    Eu sou usuário de um plano de saúde da UNIMED (que não é o plano Top de linha), que tem como administradora a QUALICORP, e recebi os extratos. No mês de julho, minha mensalidade, sempre do plano BETA, era de R$ 2.852,26 , mas no mês de agosto tive de pagar pelo mesmo plano, a mensalidade de R$ 3.191,68.

    Tudo se encaixa !

  8. Pelo menos em tempos normais, sem crise econômica, parece haver um movimento contrário, em que a população busca os planos de saúde e foge do SUS. Desconfio da ingerência do estado nos negócios privados, como num contrato de prestação de serviços entre um plano e um indivíduo.

  9. O problema é que as autoridades também mandam os planos cobrir tudo o que aparece…doenças raras… uma festa para eles, pois uma minoria utiliza e eles aumentam uma barbaridade de todos( o meu aumentou 24%)…aquela máxima (não existe almoço grátis)…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *